Prefeitura esclarece questão sobre o Auditório Araújo Vianna

Recebemos agora há pouco por, e-mail, da Assessoria de Imprensa da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Porto Alegre, o seguinte esclarecimento, quanto ao grande período em que o Auditório ficou fechado, antes de iniciar a sua reforma.

Este esclarecimento foi enviado devido a matéria que foi publicada pela própria prefeitura em seu site e reproduzida aqui no Blog falar que “o auditório, que por muitos anos ficou fechado, por condições técnicas, será reaberto até o final do ano.”

O texto da Secretaria de Cultura:

Prezados amigos, o auditório não ficou fechado por condições técnicas (que pressupõem possibilidade de serem resolvidas), mas jurídicas.

Vejamos:

A lona que cobria o Araújo Vianna, segundo laudo técnico da SMOV, perdeu sua validade ainda em julho de 2002. O risco era de, em caso de chuvas mais persistentes, a pressão sobre a lona rompesse os cabos, que teriam um efeito de chicote sobre o público. No início de 2005 o auditório foi interditado.

Como trata-se de uma construção tombada pelo patrimônio público, o que impede legalmente a contratação de quaisquer outros profissionais que não seus autores, em fins de 2005 foi encomendado um projeto de recuperação do auditório aos arquitetos Fayet e Moojen.

Quando este projeto estava para ser encaminhado, o processo foi sustado em razão de uma ação civil movida pela comunidade do bairro Bom Fim no Ministério Público no sentido de obrigar a completa vedação acústica do auditório. A ação foi declarada procedente em 4 de agosto de 2006.

A obrigatoriedade de vedação acústica implicou também na necessidade de climatização do auditório nos meses de calor intenso, elevando o custo da reforma a um patamar de R$ 7 milhões (em valores da época). Em 2007 esse novo valor necessário para reformar o Araújo Vianna era três vezes maior do que o orçamento anual total da SMC para manutenção de seus prédios e instalações. A solução foi resolver a recuperação do espaço com uma parceria-público-privada, cujo edital foi vencido pela Opus Produções.

Atenciosamente,

Marcelo Oliveira da Silva

Coordenador de Comunicação

Secretaria Municipal da Cultura



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:,

2 respostas

  1. Digo, Vedamento acustico pra quem mora as margens da Osvaldo Aranha.

    Tenha a bondade.

    Curtir

  2. A populacao reclama, mas é ela mesma (uma minoria de lixo) que flopa a evolução.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: