Educação, estética e desleixo

Esses dias estava passeando pela Cidade Baixa e me deparei com um prediosinho bem bonitinho com dois pinheiros altivos na frente: me pareceu um coleginho italiano renascentista em plena Porto Alegre. Contudo, o problema dos detalhes. Em primeiro lugar, as onipresentes grades, que estragam qualquer coisa nesse país. Além disso, tiveram a brilhante idéia de pintá-las de um milhão de cores. Lá em cima, cerca elétrica. E arame farpado. Ao invés de coleginho (na verdade é uma creche!) não seria um presidiosinho? Para coroar o desaranjo, fios e mais fios e postes de energia elétrica monstruosos. Acabou-se a ilusão de um pedacinho de europa ali nessa ruazinha da Cidade Baixa.

(Clique para ampliar)

 

 

 

O que poderia ser feito?

Se grades são indispensáveis nessa cidade, porque não tapá-las com uma cerca viva à frente? E será que há mesmo a nescessidade de arame farpado à la presidio central nos muros da Cidade Baixa? O que poderia ser um lindo, lindo prédio resguardado de pinheiros se tornou um troço de mau gosto. Lamentável.

O segundo caso que quero mostrar aqui são os estacionamentos estilo prédio-garagem. OK. São necessários. Mas olhe só o que uma dose de sensibilidade, uma pitada de bom gosto e uma preocupação com detalhes pode fazer a um simples prédio-garagem: Kansas City.

 

E agora uma garagem em Porto Alegre.

Por último, novamente os detalhes e a preocupação com o belo. Porque nos dobramos em elogios aos canteiros floridos de Gramado e, nas nossas calçadas, não damos a menor pelota para eles? Barro, pedregulhos, ervas daninhas, pouco importa. Quem dá a mínima? Essas duas fotos não são da periferia, mas de uma das mais badaladas ruas da Cidade Baixa: a República:  o segundo canteiro largado se situa em frente à sede do Psol, o primeiro quase esquina com a Lima e Silva, nas barbas da Subway.

 

 

Mas enquanto isso, em Kansas City…

 

O que quero concluir com essas comparações. O que nos falta? Educação? Sensibilidade? Deveríamos ser mais exigentes na educação das crianças em relação à estética, à beleza, à educação artística? O que custa plantar arbustos na frente das nossas horrorosas cercas de ferro? O que custa plantarmos flores em nossos canteiros e cuidá-las? Em contraponto, teríamos cidades mais bonitas, mais orgulho, mais qualidade de vida, mais reconforto em olhar para coisas belas na nossa vida agitada diária. Se a população em geral tem pouca educação, o que poderia e deveria ser feito pela prefeitura? E qual o papel da iniciativa privada no embelezamento de Porto Alegre?



Categorias:Abandono

Tags:,

27 respostas

  1. Achei feio esse edifício-garagem de Kansas, não gosto desses edifícios abertos, sem uma fachada coberta, etc. Acho que aqui em Porto Alegre temos exemplos melhores (pra mim), como o do Hospital Moinhos de Vento (http://www.hospitalmoinhos.org.br/uploads/nwEstruturaFisica/det_161120074544_b_7_6_garagem.jpg) ou o do Aeroporto Salgado Filho (http://www.bandrs.com.br/jornalismo/imagens/20120511115706.jpg). Não tô dizendo que esses são maravilhas da arquitetura, acho-os apenas razoáveis, mas não ficam atrás desse mostrado. Agora quanto ao entorno, realmente, estamos alguns anos luz atrasados.

    Curtir

    • Agora que tu postou essa foto, consegue me explicar o motivo daquela propaganda totalmente fora de contexto da churrascaria Na Brasa no aeroporto?

      Curtir

    • Leonardo, minha intenção não era comparar estilos ou design arquitetônicos, mas o cuidado e a preocupação com os detalhes: as cores, as flores, a colocação de uma obra de arte imensa no paredão, estas coisas.

      Curtir

  2. Minha sugestão: em calaçadas apertadas que mal dá pra duas pessoas colocar nos canteiros o metal, e nas calçadas mais largas canteiros… a cidade teria outra cara. E sobre a educação, realmente muita gente(quase todos os fumantes) acham que bitoca de cigarro não é sujeira. O gente relaxada que tem nesse cidade. Olhem o que tem de papel, plástico, folhetos, cigarros, e outras coias mais pela rua. Ou os garis se escondem em alguns lugares ou a demanda é muito grande….
    Ontem a tardinha eu indo pro trabalho e na José do patrocinio alguem colocou um plástico queimando dentro da lixeira… e por perto de posto e ninguém fala nada…. ta complicado viu.

    Curtir

  3. Bom tópico, mas discordo um pouco sobre os canteiros de árvores. Na verdade, eles não devem ter nenhum tipo de guarnimento. São espaços permeáveis que servem para absorver as águas da chuva vindas da calçada. Às vezes um canteiro aparentemente “descuidado”, sem nada, é melhor do que um jardinado mas totalmente à parte da calçada.

    Curtir

    • Mas a maior falta de respeito é depositar caliça e entulho nos canteiro. Talvez sejam os lugares menos adequados para isso, pois atrapalha o desenvolvimento das plantas e dificulta a permeabilidade do solo.

      Curtir

    • Eduardo, um pedaço de terra assim geralmente compacta e nao absorve a água (como esse lamaçal cheio de entulhos na frente da sede do Psol) . Já um areado por plantas, absorve a água facilmente. As próprias raízes das plantas também absorvem a água.

      Curtir

      • Sim, acredito que o ideal seria a terra jardinada com pequenas plantas, mas sem murinho. Mas o importante é que cuidem e respeitem as raízes das árvores.

        Curtir

  4. POR QUE as pessoinhas feias caminhando nas montagens que o Marcelo faz?

    Curtir

  5. Ontem , aqui na República, a dona de um salão de beleza jogou um cigarro acesso no chão, bem nos meus pés e na frente do lugar que ela deveria manter limpo em respeito à clientela e ao público em geral. Por uns instantes tive vontade de pegar o toco de cigarro e fazê-la comer, porém respirei fundo e vim até em casa. Se ela não se importa com a limpeza da calçada, tenho certeza que não dá a mínima para o resto também.

    Curtir

    • Fumantes acham que cigarro não é lixo, acham que é casca de bergamota. Acho que uns 70% do lixo na rua são bitucas de cigarro.

      Curtir

      • Por isso minha teoria de que fumantes são todos porcos, alguém já viu um fumante andando com uma caixinha pros cigarros fumados? Eles jogam no chão! Eu não tenho coragem de jogar qualquer coisa que seja no chão, simplesmente não passa pela minha cabeça, essa opção. É tão difícil guardar lixo no bolso e jogar fora quando encontrar uma lixeira? Ok, desabafo.

        Curtir

        • Também quase fui atingido no pés por uma bituca quando passava no Centro. Compartilho esse sentimento. E é triste ver as paradas de ônibus aqui, é o principal foco. Cada vez que vejo me dá vontade de tirar fotos do chão para divulgar a porqueira.

          Curtir

  6. Isso é falta de carinho e sensibilidade pela cidade onde se vive.

    Curtir

  7. Bem melhor aqueles esquemas que são tipo uma grade no chão, com uma espaço para entrar água, não sei como se chama, geralmente são pretas….
    É bonito, não precisa se incomodar com plantinha e barro.

    De resto, não é obrigatorio cuidar… então… faz parte..

    Curtir

  8. Acho que canteiros de flores não caem bem em Porto Alegre, além de que dificilmente dão certo. O que eu acho interessante são aquelas grades metálicas que botam ao redor da árvore, sobre a terra, tipo NY. Fica tri charmoso e não dá trabalho como jardins.

    Curtir

  9. Essa casa nas primeiras fotos é incrivelmente bonita. Tem capacidade pra se tornar a casa mais bonita da cidade, pra mim.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: