Veículos estão proibidos de circular na Praça da Alfândega

Motivo são as obras de restauração do local, que devem ser concluídas em outubro

Frades de ferro foram colocadas na praça pra impedir a entrada de carros Crédito: Arthur Puls

A instalação de quase uma dezena de frades de ferro na entrada da Praça da Alfândega pela rua General Câmara, em Porto Alegre, intrigou alguns pedestres na manhã desta quarta-feira. O receio deles é de que o local público, que passa por um processo de revitalização, seja cercado. No entanto, a arquiteta do Projeto Monumenta Doris Oliveira, que participa do trabalho de recuperação, tranquilizou a população, dizendo que as estruturas servem para impedir a entrada de veículos no local.

Segundo ela, o único acesso de automóveis será pela rua Caldas Júnior, entre a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banrisul. “Os carros danificam os passeios e não podem entrar. Esse acesso é somente para os bombeiros, ambulâncias e polícia, quando necessário, ou equipamentos de manutenção”, explicou.

Doris informou que, em breve, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) instalará placas que indicarão a proibição do trânsito de carros pela praça. Entre os veículos impedidos de circular no local, estão os carros-fortes, frequentes na região. “Todos os bancos da praça têm acesso pela lateral”, destacou a arquiteta. Quem descumprir a regra, será autuado.

O prazo para a entrega da Praça da Alfândega segue sendo o mês de outubro. Contudo, algumas pequenas obras de finalização devem seguir depois desse período, mas isso não impedirá a realização da Feira do Livro na área.

Segundo Doris, a jardinagem foi concluída esta semana e os banheiros já foram retirados.

As obras já duram dois anos e devem devolver à Alfândega a imagem que tinha nas primeiras décadas do século XX. Hoje a praça já apresenta vias mais largas, menos árvores, bancos reposicionados e mosaicos portugueses reorganizados.

Correio do Povo



Categorias:Parques da Cidade, Revitalização do centro

12 respostas

  1. Que acabamento de ouro dessas pedras portuguesas…. ao melhor estilo SMOV. Desgraca!! CREEEEDO.

    Curtir

  2. Concordo muito com o comentario acima. Em certas ruas deveria ser permitido o acesso aos fornecedores e soh. Talvez liberar durante a noite tambem. Mas de dia eh o caos toda aquela gente se espremendo nas calcadas.

    Curtir

  3. Ótima iniciativa de proibir a circulação de veículos na praça. Já é um começo, mas a restrição da circulação de veículos deveria se estender a diversos outros logradouros do Centro Histórico. É um absurdo a disputa entre pedestres e motoristas em vias como Otávio Rocha, Marechal, Andradas e Gen.Câmara (neste caso, as motos).

    Curtir

  4. Quando é que o blog fará uma matéria sobre as paradas de ônibus de POA que mais parecem cenários de guerra?Tá na hora de expor esse problema por aqui!

    Curtir

  5. Pô, eu curti bastante a reforma.

    Só o povo que é porco e não colabora, passei hoje indo pro trabalho, tava o lixo de uma lixeira em frente ao santander todo no chão, e as plantas parecem que tem neve de tanto toco de cigarro, é um absurdo.

    Curtir

  6. Arquiteta Doris, as fontes já estão borbulhando em volta da estátua equestre?? Ou será mais uma de nossas fontes secas?

    Curtir

  7. Já concluíram a jardinagem? Então a prefeitura deve receber o dinheiro de volta por que o serviço ta uma M**

    O lado bom é que proibiram os carro-fortes de circular ali, deveriam proibir de passarem pela Andradas também.

    Curtir

  8. Essa reforma da Pca da Alfandega foi minha maior decepcao nos ultimos tempos…e olha que P.Alegre raramente me desaponta nesse quisito.

    Curtir

  9. Bah, mas que povo doente, qualquer coisa ja acham que vão cercar, fechar, proibir isso, proibir aquilo…

    Muito boa a iniciativa, vai ajudar a manter a praça.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: