Curitiba recebe ônibus movidos a eletricidade e biodiesel que poluem 90% menos

Eleita a cidade mais sustentável do mundo, Curitiba lançará mais uma novidade ecológica. São os primeiros ônibus híbridos produzidos no Brasil

A previsão é que Curitiba receba mais 30 hibribus créditos: Divulgação

Os veículos são movidos a eletricidade e biodiesel. Batizados de hibribus, eles são capazes de reduzir em até 90% a emissão de gases poluentes e 35% do consumo de combustível comparados aos ônibus que circulam atualmente.

Além da questão ambiental, o hibribus não emite ruídos em cerca de 30% do tempo de operação. Ele é fabricado na unidade da montadora Volvo em Curitiba. Até então, o hibribus só era produzido na Suécia, sede mundial da marca.

O modelo começou a ser fabricado em junho para ser apresentado na Conferência de sustentabilidade da ONU, a Rio+20. A previsão é que Curitiba receba mais 30 hibribus. Além disso, mais 50 modelos devem chegar a capital paulistana.

Os dois motores do ônibus funcionam de forma independente. A parte elétrica é usada para arrancar o veículo e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 km/h. Na parte superior do ônibus fica a fonte, que é utilizada como geradora de energia durante as frenagens.

O motor a diesel por sua vez é usado para velocidades mais altas. O sistema do modelo permite carregar as baterias através da energia de desaceleração provocada sempre que os freios são acionados. Este motor fica desligado quando o ônibus está parado.

Devido à tecnologia aplicada neste modelo, o hibribus custa $ 600 mil. Para o diretor de transportes da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), Antonio Carlos Pereira Araujo, vale a pena optar pelo hibribus. “A alternativa de tecnologia compensa o investimento inicial pelos benefícios e depois há um barateamento do produto”, afirmou Araujo ao G1.

MOBILIZE – Com informações do G1.

Autor: Da Redação | Postado em: 28 de setembro de 2012 | Fonte: CicloVivo



Categorias:Meio Ambiente, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , ,

17 respostas

  1. A Carris é uma piada, onibus em que o cobrador lacra as janelas com parafuso e o motorista não liga nem a ventilação.

    Curtir

  2. Alguém consegue me explicar por que a alternativa de ônibus a gás natural foi deixada de lado? Ela é a principal meta para melhoria da mobilidade urbana na Europa, por causa dos imensos prejuízos á saúde causados pelos ônibus à Diesel.

    Curtir

  3. Tem um R10 (rápida Restinga) que é bem parecido com esse, só bi-articulado. É o modelo de BRT não?

    Curtir

    • É um ônibus como qualquer outro, só que tem um designzinho a mais e por isso a prefeitura inventou que é BRT. Que eu saiba BRT tem que ter pagamento fora do ônibus, entrada pela esquerda e piso baixo.

      Curtir

    • Até entrada pela direita funciona em alguns BRT, como em curitiba, mas pela esquerda é MUITO melhor, dá pra economizar demais por só precisar de metade do número de estações.

      Curtir

  4. Eu ia escrever “escreva aqui seu comentário anti-curitiba” mas não o VOP foi mais rápido hahaha

    Curtir

    • E não se pode criticar negativamente uma cidade extremamente criticável? Interessante isso. Você poderia ter colocado também: ”escreva aqui seu comentário deslumbrado pró-Curitiba”. Haveria vários. Eu sou um advogado do diabo mesmo. É que conheço muito bem Curitiba pra aceitar passivamente essa onda fetichista.

      Curtir

  5. Quem elegeu a cidade sul-americana com o maior número de carros por habitantes a “cidade mais ecológica do mundo” cometeu um desrespeito gigantesco com as nórdicas que constroem verdadeiras rodovias pra bicicletas, dezenas de regiões pedonais, com porcentagem enorme de casas com energia solar, onde não se encontra um papel de bala no chão e por aí vai… Entretanto, isso mostra como um título, que nem mesmo é verdadeiro, pode tornar um lugar melhor. Curitiba investe muito em desenvolvimento sustentável, e tenho certeza que não investiria tanto caso não tivesse essa fama de cidade ecológica. Fica a dica pro pessoal do blog que acha um absurdo Porto Alegre se “auto-dar” títulos ou comprar facilmente títulos dados por outros.

    Curtir

    • Criticar Curitiba já virou cliché para quem vive nas cidades que não fazem o que ela faz como a Criação dos BRT’s ou os ônibus bi-articulados. Ou ter um fluxo de turismo sem ter belezas naturais (coisa que POA tem e não explora). Mas enfim..

      Sobre os títulos de POA, algo tipo “Capital do mercosul”? Blz, pode ser tão artifical quanto o “ecológica” acima mas me diz o que isso gerou de bom para nós ou para o mundo?

      Enquanto isso, a capital da cultura no RS vai para Caxias do Sul!

      Curtir

      • Se tu tivesse lido o que eu escrevi, perceberia que o que eu fiz foi mais um elogio do que uma crítica a Curitiba. De qualquer jeito, só por eu ser de Porto Alegre, não posso criticar Curitiba? Nem defendi POA por sinal (não era nem desse título que eu estava falando) mas, enfim, não vou ficar me explicando pra ti.

        Curtir

        • Ui, ficou brabinho kkk

          Curtir

        • Me lembrei daquele filme Blue Valentine (Namorados para Sempre):

          Dean: In my experience, the prettier a girl is, the more nuts she is, which makes you insane.

          Cindy: I like how you can compliment and insult somebody at the same time, in equal measure.

          Curtir

    • Curitiba, capital ecológica? Só digo uma coisa: Sanepar.,

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: