Google anuncia carros autônomos para daqui a cinco anos. Boa ou péssima notícia?

Rogério Maestri

O Google anunciou que muito em breve lançará os seus carros autônomos para evitar o massacre do trânsito, eles seriam guiados por GPS e seguiriam o sistema georreferenciado que a Google vem montando. Em princípio parece o máximo, mas será mesmo? Os GPS tem um grande, ou melhor, um imenso problema, ele permitiria que o governo americano em questão de segundos levasse qualquer grande país, como o Brasil ao caos.

Todos devem lembrar que dois sistemas de GPS que existem são sistemas militares, tanto o norte-americano como o Russo, no momento em que houver uma ameaça de alguém utilizar o GPS para guiar um míssil contra os USA eles retiram o sinal do ar ou introduzem o ruído que havia antes do governo Clinton, aí ficam todos parados.

O início do GPS começa em 1960 com cinco satélites que nesta época davam para os submarinos norte-americanos as suas posições de hora em hora. O sistema GPS como nós conhecemos, começa da década de 70 para fins militares e até 1989, ano de lançamento do primeiro dos 24 satélites abertos ao público em geral a utilização continuava essencialmente era militar, mesmo colocando o sinal para o público em geral em 1994, este sinal tinha um ruído que só o governo americano sabia corrigir, fazendo que a precisão do mesmo em equipamentos móveis não fosse melhor do que 100m a 20m. Somente em 2000 que é retirada a chamada “disponibilidade seletiva” fazendo que o GPS tenha a resolução que temos hoje em dia.

O outro sistema existente de GPS é o Russo, o sistema GLONASS, que também só foi aberto para o público em geral em 2007. Os Europeus estão patinando com o seu sistema Galileo que só deverá estar pronto em 2019. Os chineses, os últimos a entrarem na corrida, já possuem um sistema meramente regional, o BeiDou I (3 satélites somente cobrindo a China)e agora com Compass ou BeiDou II (35 satélites)é prometido estar a cobertura da Ásia em 2013 e para o resto do mundo em 2020. A Índia, preocupada com a sua dependência, espera em 2014 estar com um sistema operacional sobre o próprio país.

Como se vê, todos os sistemas estão amarrados à segurança nacional de cada país ou região e em caso de ameaça nacional, qualquer país pode tirar o sinal do ar ou introduzir um ruído que inviabilize o seu uso para a condução de carros.

Caso for universalizado este sistema de carros autônomos, qualquer país proprietário de um sistema de navegação global pode parar qualquer país ou região “inimiga”, introduzindo um pequeno ruído no satélite que passa sobre a região causando um caos instantâneo no sistema de transporte. Os carros e ônibus baterem entre si ou simplesmente sairiam das estradas.

Para o uso internacional de carros autônomos teria que haver um sistema realmente internacional gerido, por exemplo, pela ONU. Se assim não for só aumenta a dependência dos países as grandes potências, ficando estas com uma arma que pode matar milhões de pessoas em questão de segundos.

Rogério Maestri – Engenheiro, Mestre em Recursos Hídricos e Especialista em Mecânica da Turbulência



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, ,

30 respostas

  1. P/que isso? As coisas estão ficando cada vez mais complicadas, arriscadas e perigosas! Que STRESS!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: