Inflável da Coca-Cola é queimado após show de Tom Zé no Araújo Vianna

Da Redação

Durante o show de Tom Zé na última quarta-feira (3), ocorreram diversas manifestações de discordância em relação à política da prefeitura em relação aos bares da Cidade Baixa, à utilização de propagandas nas praças, assim como do cercamento do Araújo Vianna.

O espetáculo ocorreu normalmente, porém, na saída, algumas pessoas sentaram no gramado que cerca o auditório recém reformado, do lado de dentro da cerca. Em resposta, os guardas teriam utilizado equipamentos de choque elétrico para retirar o público do gramado. Este teria sido o estopim para que o grupo levasse um inflável de propaganda que estava no local.

Abaixo, cenas da fuga e da queima do inflável.

SUL 21

___________________

Nota do Blog: O que essa gente quer ? Deixar o Araújo mofando, fechado e entregue aos ratos e baratas mais 10 anos ?  Se não fosse as PPPs não teria solução esta questão.

___________________

Celebração, grande música e política no show de Tom Zé

Milton Ribeiro

O tom do show foi dado sem que nenhuma canção fosse apresentada. Quando o locutor anunciou o espetáculo que fechava a edição de 2012 do Porto Alegre Em Cena, a Prefeitura foi citada, recebendo imediatamente uma vaia. Logo depois, sozinho, Tom Zé entrou lentamente no palco carregando um maço de jornais. Começou a ler algumas manchetes, agradecendo aos jornalistas que organizaram suas — segundo ele — disparatadas respostas, tornando-as bonitas matérias. Quando chegou ao nome de Zero Hora, outra vaia. Então Tom Zé jogou longe seus jornais e ficou claro que o show teria enorme participação de um público que ama o cantor e compositor.

Antes mesmo da banda entrar, ele tratou de organizar o movimento, pedindo respeito aos seguranças e que as pessoas em pé na frente do palco se retirassem porque senão todo o Araújo Vianna seria obrigado a levantar. Todos colaboraram e o show começou, não sem antes ouvirmos a explicação para o rabo que Tom Zé trazia atrás de si. Ele ensinou que os faraós egípcios, quando visitavam a divindade, colocavam um rabo a fim de demonstrarem sua inferioridade em relação aos deuses. Com o mesmo, Tom queria deixar clara sua posição em relação a Caetano e Gil, os principais nomes da Tropicália.

Falta uma semana para Tom Zé completar 76 anos, mas ele parece ter 36. Canta com voz potente, dança as danças do nordeste erguendo os pés até quase a altura de sua cabeça e demonstra enorme felicidade de estar ali. Afinal, o mais anárquico e injustiçado membro da Tropicália recebe desde os anos 90 a contrapartida que não tivera antes. Como dissemos, o público o adora — todos os CDs trazidos pelo artista foram comprados antes da apresentação — , canta junto, aplaude muito e, entre as músicas, Tom lê os recados que recebe e ouve pedidos de canções. Um dos recados mais aplaudidos foi aquele que reclamava que o elevador da Casa do Estudante não funciona há um ano.

A base do show é seu último CD, Tropicália Lixo Lógico. As canções são efetivamente ótimas, altamente criativas, com destaque para Não tenha ódio no verão, O motobói e Maria Clara, Marcha-enredo da Creche Tropical e De-de-dei Xá-xá-xá. Entre elas, homenagens à Aristóletes e citações das Metamorfoses de Ovídio. Foi quando, ao final de uma canção, inesperadamente, foram subitamente desfraldadas faixas pela plateia. As faixas diziam “Praças Vendidas”, “Não ponha o toque de recolher na alegria” e outras palavras de ordem do movimento porto-alegrense Defesa Pública da Alegria. Um gosto vidro e corte perpassou a espinha deste comentarista que pensou estar voltando aos tempos da ditadura.

Sensível ao momento, Tom Zé foi até a margem do palco, pegou um papel e começou a ler o manifesto do movimento. Foi um episódio belíssimo e, a partir dali, o compositor passou a uma revisão de sua obra em ordem cronológica descendente. Nesta viagem ao passado, ele apresentou algumas de suas músicas inspiradas por avisos — as hilariantes Não urine no chão, Atenção passageiro, antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se parado neste andar – , até chegar ao clímax: a clássica 2001, imortalizada pelos Mutantes. No caminho passou por Augusta, Angélica e Consolação e muitas outras. O show foi encerrado por Xique-xique (“Sacode a cultura, sacode a cultura”). No bis, entre outras, Menina amanhã de manhã e Jimi Hendrix.

Sobre o novo Araújo há que dizer que a amplificação do som esteve bastante boa. Caminhamos por todo o auditório e não percebemos aqueles ecos e retornos de som do passado.

Durante o show, Tom Zé mostrou um dos cartazes trazidos pelo público, o qual dizia ”Praças vendidas”. Ao final do show, um grupo pôs fogo em um inflável da Coca-cola. Também alguns manifestantes sentaram no gramado ao lado do prédio — cercado por grade desde a reabertura — , e foram retirados do local com truculência, segundo relatos. A Brigada Militar informa que não houve registro de nenhuma ocorrência, seja sobre o protesto, seja sobre a queima do inflável.

SUL 21



Categorias:Outros assuntos

Tags:, , ,

61 respostas

  1. A Coca-Cola é um dos milhares de símbolos do capitalismo. E como resolveram na festa queimar este inflável, só pode ter sido obra da gentalha da esquerda raivosa e que tem complexo de inferioridade. Sem dúvida havia ali gente de partido socialista. Entretando, se perguntarem a esses caras onde gostariam de passar suas férias fora do Brasil, com certeza a opção seria pela Disney, Miami, Las Vegas e outros centros capitalistas.

    Curtir

  2. Se não gosta da Coca, faça um concorrente. Onde anda as leis, onde anda a polícia, onde anda a justiça????

    Curtir

  3. Vergonha é ver todo o dia, o descaso com os momumentos e patrimonio publico nas praças e parques, sem um minimo cuidado ou com o sumiço literal de muitos… Não como disse um jornalista tremendamente emocionado da radio Gaucha, RBS de que havia sido destruido um patrimonio público da cidade.

    Curtir

  4. Outra notícia para envergonhar os porto-alegrenses e os gaúchos!

    Passou para todo o Brasil e vai para mundo, “gaúchos insanos destroem o boneco mascote da Copa de 2014.”

    Utilizar o Facebook para insuflar as massas, são sem noção mesmo!

    Para mim tem tudo a ver com o pleito municipal para a prefeitura e câmara de vereadores de Porto Alegre.

    Há muito que detesto política, nestas horas aparecem os oportunistas para fazer só porcarias sem medir as conseqüências.

    Os gaudérios estão especializando-se em manchar a imagem dos gaúchos pelo mundo afora.

    Mais tiros nos pés!

    E eu, o que vou dizer onde resido, e conhecem-me, sabem que sou natural de Porto?

    Que vergonha!

    Se pensavam quem sabe sediar a Copa das Confederações em 2013 na Arena, com este papelão, acabaram de colocar a pá de cal nos sonhos desta pretensão que traria mais empregos e renda à cidade e ao estado.

    Ah, em tempo; os tiros nos pés, as balas não são de espingarda, são de canhão!

    Curtir

  5. Bando de VAGABUNDOS, PILANTRAS,…. FAÇAM ALGUMA COISA DE UTIL PROTESTEM CONTRA a violencia, politicos ladrões, juiz que manda soltar marginais…. e não distruir o que e feito com nossos impostos…. SEUS de NOJENTOS .

    Curtir

  6. Engraçado é que conheço que estuda na Puc, dirige um carro da Ford, tem um celular da Nokia e estavam por la.
    hsahuashuasuhasuhushahuashuasas

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: