Uma imagem: Pegada Africana – Praça da Alfândega

A Pegada Africana, Praça da Alfãndega, Porto Alegre

  • Título: PEGADA AFRICANA
  • Local: Praça da Alfândega – antigo Largo das Quitandeiras
  • Arte: Vinicius Vieira
  • Materiais: aço e pedras
  • Dimensões: 2 x 3m

A obra integra o Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre, uma demanda do Centro de Referência Afrobrasileiro – CRAB, realizada com recursos do Programa Monumenta / IPHAN e da SMC, com apoio da UNESCO. O projeto busca visibilizar a comunidade negra, com a construção de obras de arte no espaço público da cidade.

Com méritos de nova inclusão, a manifestação visível da “Pegada Africana” afirma a Praça da Alfândega como um dos lugares de existência do Museu de Percurso do Negro. Na praça, antigo Largo das Quitandeiras, raízes históricas adquirem nova visibilidade na forma de continente africano, concebida a partir de uma linha formada por sinuosos movimentos de matriz orgânica. Vinicius Vieira apresenta um desenho contemporâneo, modelado em aço, que envolve e ressignifica as pedras portuguesas do local, simbolizando a concretização de políticas públicas que resultaram da luta histórica por reconhecimento das culturas étnicas.

Miriam Chagas, Doutora em Antropologia

Integrante do grupo de jovens escultores gaúchos, Vinicius Vieira desenvolve em sua área profissional a pesquisa do percurso do negro na formação de Porto Alegre. Dentro desta perspectiva, com possibilidades que sua formação lhe permitem, surgiu a Pegada Africana da Praça da Alfândega. O resultado é a simbiose de arte e meio ambiente. Cheio de sutilezas, utilizando um filete de aço e pedras, ele conseguiu o equilíbrio adequado para deixar sua primeira marca na paisagem urbana da cidade onde nasceu.

Décio Presser, autor do Dicionário de Artes Plásticas do RS (UFRGS – 2000)

Pegada Africana – Praça da Alfândega Foto: Zezé Carneiro

 



Categorias:Arte, Parques da Cidade

Tags:, , ,

32 respostas

  1. Boa ideia, vamos fazer pegadas africanas, européias, chuarruas, guaranis, orientais, de cachorro, gato, cavalo etc e colocar sobre os buracos das calçadas pela cidade toda. Pode virar atração turística. hahaha

    Curtir

    • Brincadiras à parte, achei muito criativa e bonita a obra ao estilizar uma pegada humana no desenho do continetnte africano. Cada etinia que defenda seu quinhão. Se a comunidade eurodescendente assim desejar que o faça também. Há calçadas para todos…

      Curtir

    • QUANTA INFELICIDADE NA TUA DECLARAÇÂO.
      BRINCADEIRA DE MUITO MAL GOSTO.
      COMUNIDADE NEGRA OFENDIDA SUTILMENTE.
      PASSÌVEL DE JUSTIÇA ATÈ.

      O FOCO DO SÈRIO ASSUNTO NÂO SÂO AS CALÇADAS OU OS CACHORROS…

      E SIM A ARTE AFROBRASILEIRA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Curtir

  2. Nessa parte o piso é até bom, ele fica ruim mais próximo aos bancos e museus.

    Curtir

  3. ^^ Vc realmente acha que esse piso esta “imaculado”????

    Curtir

  4. QUE LINDA A DIVERSIDADE !!!

    Linda a Pegada Africana do artista VINICIUS VIEIRA.

    Agora, no espaço público da cidade, todas as etnias que contribuíram para a formação do nosso estado. O Monumento aos Açorianos, a India do Obirici, O Monumento aos 100 anos da Imigração Judaicas, os bustos da comunidade alemã espalhados pela cidade, o monumento à Giuseppe e Anita Garibaldi, além de tantos outros…

    PARABENS UNESCO !!!
    PARABÈNS MONUMENTA-IPHAN !!!
    PARABÈNS CRAB E ENTIDADES DO MOVIMENTO NEGRO !!!

    O MUSEU DE PERCURSO DO NEGRO EM PORTO ALEGRE é uma conquista da comunidade negra local…

    blog: museudepercursodonegroemportoalegre.blogspot.com

    Curtir

  5. Nessa foto o calçamento português parece imaculado! Não há orelhões asquerosos, não tem artesões, nem lixo, nem as lixeiras asquerosas,nem buracos. É um cartão postal! Queria que fosse assim em todo o centro!
    PS: Quem se importa com pegada africana se as ruas estão quase todas rebentadas, sujas e irregulares?

    Curtir

  6. Olha, eu achei essa arte muito melhor do que aquela praticada no tatu/araujo pelos “artistas”!

    Curtir

  7. e a pegada charrua? demagogia pura. eu não quero pegada nenhuma, eu quero um piso bonito e bem acabado. os caras estão loucos!

    Curtir

  8. Eu nao quero “pegadas”. Quero SIM um piso de pedras portuguesas(ou qq outro) nivelado e com bom acabamento.

    Curtir

  9. Bacana!

    Mas poderia ter de outros dois continentes: o europeu (porque uma boa parte do composto populacional gaúcho descende de gente daquele continente) e evidentemente a américa do sul, o chão que pisamos.

    Curtir

  10. Falei sobre isso aqui uma vez e fui muito negativado. No mínimo estranho.

    Curtir

    • Mas o que você falou?

      Curtir

    • Exatamente !!!
      Muito tem se falado sobre o Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre, principalmente no circuito das artes visuais, nas associações e nos terreiros da cidade.

      GRANDE CONQUISTA DO CRAB – Centro de Referência Afro-brasileiro

      é incrível essa possibilidade de promovermos e alavancarmos as representações simbólicas da comunidade negra em Porto Alegre.

      Um salve ao saudoso LUA, um dos idealizadores do Museu de Percurso do Negro em Porto Alegre. Quanta saudade !!!!!

      A Pegada Africana, do artista Vinicius Vieira, promove a visibilidade que tanto precisamos…

      MOCAMBO
      Associação de Amigos do bairro Cidade Baixa e Arredores

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: