Subindo a Pinto Bandeira

As fotos abaixo mostram o trajeto de alguém subindo pela Pinto Bandeira. Além de extremamente estreitas, elas estão cheias de buracos. Não suficiente, colocaram container de lixo no meio da calçada – que não tem mais de 1,50m de largura; além disso, tem-se que curvar o pescoço pra passar pelo orelhão.

Este post não é sobre a Pinto Bandeira, mas sobre as ruas do centro. Esperamos que a administração Fortunatti leve a operação de renovação e conservação de calçadas para o centro da cidade, que ele seja paulatinamente remodelado para privilegiar os pedestres e reduzir o fluxo de automóveis, que as calçadas sejam alargadas e arborizadas,  que esses orelhões obsoletos eliminados e confinados a pequenos nichos (não em calçadas estreitas) e que os containers de lixo sejam colocados em melhores lugares.

 

Para fechar, no final da Pinto Bandeira, tem um cruzamento extremamente perigoso. A faixa de segurança descolorida, a calçada estreita, o asfalto rebocado por cima das listras brancas. Enfim, sem mais comentários.



Categorias:Outros assuntos

10 respostas

  1. No mesmo dia desse post, houve uma noticia de uns azulejos que cairam na esquina da pinto bandeira com a alberto bins. A rua foi amaldiçoada pelo Marcelo hahah

    Curtir

  2. sem dúvida, uma das ruas mais feias do centro de porto alegre, casas antigas caindo aos pedaços… poluição visual , barulho… revitalização urgente!

    Curtir

  3. Essa imagem do contêiner diz muito sobre prioridades.

    Curtir

  4. Marcelo,esta matéria que você fez foi de uma sensibilidade louvável.Mas espere sentado a administração do Fortunati fazer políticas para reduzir o fluxo de automóveis.

    Curtir

  5. Centro é o próximo foco da campanha pela renovação das calçadas, não? Em alguns lugares já tem obras acontecendo.

    Curtir

  6. Eu curto, eu cuido!

    Curtir

  7. A calçada da buraqueira tem o muro patrocinado pelo curso do qual é sócio o atual secretário de Cultura .

    Curtir

  8. Nunca entendi essa tesão brasileira por este formato “orelhão” para telefones públicos. Para não falarmos do problema estético, tem pelo menos dois problemas funcionais muito graves com ele:

    1) É uma armadilha para deficientes visuais. O deficiente visual usa a bengala para detectar e evitar obstáculos no chão. Quando tem um orelhão, a primeira coisa a bater é a cabeça do indivíduo.

    2) É fisicamente o PIOR formato possível para um dispositivo onde isolamento acústico seja desejável. Se lembro bem das aulas de física, uma cuba parabólica reflete todas ondas que incidam paralelamente ao eixo para o foco da superfície. Adivinha quem está no foco? O usuário do maldito telefone.

    Curtir

    • Sem contar que o jeito que são intalados na calçada são às vezes totalmente aleatórios. Que nem o da segunda foto, se tivesse sido mais bem posicionado, não atrapalharia tanto.

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: