Implantação do 4G em Porto Alegre enfrenta obstáculo

Fernando Soares

Mesmo tendo dezembro de 2013 como prazo estabelecido para a implementação do sinal de internet 4G, Porto Alegre terá de driblar um obstáculo se quiser ter o serviço de forma eficaz. Isso porque a atual legislação municipal dificulta as operadoras de instalarem estações de radiobase. Para permitir a conexão ao sistema de velocidade superior ao 3G é necessário ampliar significativamente a quantidade de antenas para a emissão do sinal.

“Para o 4G é necessário quase que quadruplicar o número de antenas frente ao que existe hoje. E Porto Alegre é a cidade com a legislação mais rigorosa do Brasil em relação à instalação de estações radiobase. Se essa questão regulatória não for resolvida, vai ser difícil termos a implementação eficaz do 4G na Capital gaúcha”, acredita o presidente da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), Hélio Bampi, que esteve nesta quinta-feira na Capital para participar de um seminário promovido pela Fiergs com foco no setor.

Segundo Bampi, a legislação é um entrave que vai além do solo porto-alegrense e, por isso, precisa de uma regulamentação nacional. “Nessa modernização de tecnologia, é necessário criar uma lei nacional que desburocratize a implantação das estações radiobase. Se isso não for resolvido rapidamente, vamos ter um retardamento da implantação do 4G em Porto Alegre e em outras cidades”, afirma o presidente da Febratel. Para ele, seria ideal haver uma solução para o tema até o final do ano. Ele lembra que os ministérios das Comunicações e das Cidades já estão tratando o assunto com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O número de antenas só não precisará ser maior porque as quatro executoras do serviço (Claro, Oi, TIM e Vivo) vão compartilhar a estrutura. “Essa tecnologia precisa antenas próximas umas das outras, a não mais de 300 metros de distância”, justifica João Bettoni, gerente da Anatel no Rio Grande do Sul.

Porto Alegre compõe a segunda leva de sedes da Copa do Mundo de 2014 que terão a tecnologia até 31 de dezembro de 2013, conforme a Anatel. Antes, em abril do próximo ano, as seis localidades que receberão a Copa das Confederações devem ter o sinal. Para os demais municípios com mais de 100 mil habitantes, a previsão de disponibilidade é 31 de dezembro de 2016. A qualidade da conexão 4G, porém, é uma incógnita na opinião de Edgar Serrano, presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Estado. “O 3G, que é o produto atual, funciona muito mal no Brasil. Fico preocupado em relação à qualidade do serviço a ser prestado”, menciona.

A indústria gaúcha já se mobiliza para lucrar com o 4G. Uma das contrapartidas impostas às operadoras que arremataram lotes no leilão da Anatel está no uso de equipamentos e tecnologias nacionais. Entre 2012 e 2014, 60% dos produtos e tecnologias utilizadas precisam ser produzidas internamente. Esse percentual sobe para 65% no biênio 2015 e 2016 e para 70%, entre 2017 e 2022.

Jornal do Comércio



Categorias:Ciência e Tecnologia, Telefonia Móvel

Tags:,

17 respostas

  1. Células de 300m de raio?
    Estão brincando não é?

    – O que as operadoras querem realmente é meter a mão em dinheiro público para tornar seus custos de manutenção mais baixos. Sim a 4G é mais barata de manter.

    – Estão usando ainda essa desculpa de falta de antenas para que não tenham mais que pagar aluguéis umas às as outras. O problema de afrouxar a legislação é transformar a cidade naqueles abacaxis de palitinhos das festas de antigamente. É um horror arquitetônico. A alternativa seria investir em ERB’s com maior potência de alcance, mas sobre isso as operadoras não querem falar.

    – Basta fazer a 3G funcionar direito que não precisaríamos de 4G.

    http://gigaom.com/2012/04/08/think-4g-is-10-times-faster-think-again/

    Curtir

  2. Porto Alegre é demais…

    Curtir

  3. Há varios estudos que correlacionam a instalação de antenas com incidência de câncer.A saúde da população vem em primeiro lugar.Tá certinha essa resistência!

    Curtir

    • Então vamos ficar sem celular, tv, internet…

      Mas varios outros estudos contrariam esses…

      Curtir

    • Então o mundo inteiro vai ter câncer, menos Porto Alegre.

      Curtir

      • Em POA é problemático porque as operadoras querem botar antenas mais “espalhadas” (mais distantes uma das outras) porém com potência maior. E como aqui há uma restrição mais forte no que diz respeito a potência, acaba dando problema de cobertura e qualidade.

        Agora, no 4G, pelo fato de precisar de mais antenas, teoricamente a potência de cada seria mais fraca, o que se confirmar irá reduzir o risco à população.

        Curtir

    • Isso é mentira. Não tem NENHUM estudo creditavel que relaciona uso do celular com câncer.

      Cara…. As pessoas não pensam…. Tem muitas outras coisas que causam muito mais câncer e ninguém liga. Por exemplo, o corante da coca-cola, o qual já foi banido nos estados unidos.

      E fora o câncer, temos um ambiente urbano insalubre, majoritariamente causado pelo diesel arcaico vendido no Brasil e que tem 10x mais enxofre que no resto do mundo.

      Então, enquanto não legislamos sobre o mínimo e o concreto, qual o sentido de legislar sobre o imensurável e o abstrato?

      Esse povo não sabe pensar.

      Curtir

      • Nova pesquisa mostra correlação entre casos de morte por câncer e localização das antenas de telefonia celular.

        http://www.mreengenharia.com.br/tese_ufmg.php

        Curtir

        • Como eu disse, não tem nenhum estudo CREDITAVEL. Uma tese de doutorado que não é publicada em jornais internacionais e portanto não é avaliada pelos pares científicos, esta muito longe de servir de embasamento para algo tão importante.

          Curtir

      • Concordo quanto tu diz que temos outros agentes causadores de câncer (e que são comprovadamente causadores) que ainda não foram proibidos – modo conspiração on – por questões simplesmente comerciais. – modo conspiração off –

        Agora simplesmente ignorar outros agentes (no caso, a radiação eletromagnética) porque ainda não se proibiu os comprovados é andar pra trás….

        Curtir

  4. o 3g já é ruim e o 4g vai ser também, se sair.

    Curtir

    • Tenha paciencia…nao existe estudo agum serio que comprove o que estas dizendo….e uma absurdo….

      Curtir

  5. Por que não se preocupam em instalar 3G?????? Pois 3G pra mim não existe aqui!!! E o 4G será para poucos, muito poucos!!!!

    Curtir

  6. Bah, e eu to louco pra atualizar minha internet, esse 3g não é la grandes coisas… se bem que né… nossas operadoras de merd* não vendem um 3g de verdade, ja que eles aguentam bem mais do que o 1mb que vendem.

    Curtir

  7. Se não mudar a legislação, não teremos 4G em Porto Alegre, temos de escolher; é simples assim. O que não pode é esse mundo de fantasia de certas pessoas que querem os fins (objetivos), mas não querem os meios (como chegar lá) – e isso vale para tudo.

    Curtir

  8. Como tudo em Porto Alegre, enfrenta obstáculos. Isso é endêmico da cidade.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: