Novo aeroporto gaúcho pode ter parceria de investidores ingleses

Proposta do 20 de Setembro será apresentada a investidores nesta sexta

Amilton Belmonte*

Porto Alegre – Ofertar oportunidades de negócios em projetos que abrangem o setor de infraestrutura nos modais rodoviário, aeroportuário, ferroviário e hidroviário. É o que governo gaúcho, em parceria com a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), apresenta na manhã de hoje a uma comitiva de investidores ingleses que está em visita ao Estado.

A reunião ocorre às 10 horas, na Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI), e será coordenada pelo titular da pasta, Mauro Knijnik. “Vamos discutir modelos de negócios, oportunidades e taxas de retorno aos investidores”, explica Marcus Coester, presidente da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Investimento (AGDI). Ele assinala que em reuniões preparatórias dois projetos em especial chamaram a atenção dos ingleses. O do Aeroporto 20 de Setembro, entre Portão e Nova Santa Rita, e da concessão de um serviço de contêineres por hidrovia ligando Porto Alegre (Lago Guaíba) a Rio Grande (Lagoa dos Patos).

Composta de seis pessoas, a comitiva inglesa é liderada por David Wootton, o Lord Mayor de Londres e espécie de prefeito do centro financeiro da capital inglesa. Na capital, eles prestigiam a British Week, semana dedicada ao Reino Unido e que segue até 1.º de novembro.

Emendas defendidas

O coordenador da Frente Parlamentar Pró-Aeroporto Internacional 20 de Setembro, deputado Giovani Feltes (PMDB), liderou ontem encontro com o relator da proposta de Orçamento para 2013, Marlon Santos, com o objetivo de sensibilizá-lo sobre a importância de manter as emendas apresentadas para viabilizar o início do projeto. Ele próprio é autor de duas emendas ao Orçamento, destinando R$ 2 milhões para elaboração de estudos de viabilidade técnica e de engenharia. Além das duas emendas de Feltes, o deputado Lucas Redecker também encaminhou emendas. Também estiveram presentes à audiência o deputado João Fischer e Jurandir Maciel.

Uma PROPOSTA do aeroporto*

  • 1 – Depósito de combustível
  • 2 – Área comercial: oficinas, escolas, empresas
  • 3 – Acesso rodoviário para BR-386 e RS-124
  • 4 – Área comercial
  • 5 – Pista auxiliar
  • 6 – Área comercial
  • 7 – Terminal de cargas
  • 8 – Área para ampliação do terminal de cargas
  • 9 – Pátio de manobras
  • 10 – Seção contra incêndios
  • 11 – Garagem coberta
  • 12 – Shopping
  • 13 – Terminal de passageiros
  • 14 – Torre de controle
  • 15 – Pátio de manobras
  • 16 – Área para ampliação do terminal de passageiros
  • 17 – Hotel
  • 18 – Garagem coberta do hotel
  • 19 – edifícios garagem
  • 20 – Área comercial
  • 21 – Acesso ferroviário
  • 22 – Acesso para BR-116 e BR-386
  • 23 – Pista principal
  • 24 – Futura 3ª pista
  • 25 – Área comercial

Radiografia dos investimentos

De acordo com o presidente da AGDI, Marcus Coester, uma análise de quase todas as variáveis técnicas e oportunidade de negócio dos projetos do Aeroporto 20 de Setembro e da concessão do serviço de contêineres foi feita pela consultoria britânica PricewaterhouseCoopers (PwC), contratada pela Fiergs. “No caso do 20 de Setembro, do ponto de vista da localização geográfica, é excelente”, comenta Coester. Ele observa que outros itens envolvendo o empreendimento precisam de detalhamento. Cita questões de desapropriações e mesmo os limites do espaço aéreo envolvendo a Base Aérea de Canoas. Sobre a modelagem dos negócios, assinala que ambas podem se enquadrar em parcerias público-privadas ou concessões públicas.

Interesse de investidores

Cônsul honorária da Grã-Bretanha no Rio Grande do Sul, Denise Crawshaw Pellin destaca que a missão inglesa vem ao Estado como resposta à ida de comitiva gaúcha ao Reino Unido, em maio último. Ela diz que a ideia é compilar todas as informações de negócios ofertados em solo gaúcho para posterior análise e negociações. “No que diz respeito ao aeroporto, um ponto benéfico é sua alta demanda tanto para passageiros quanto para cargas”, observa Denise, que disse desconhecer o conteúdo do levantamento de viabilidade da obra feito pela PwC, mas confirma que o projeto interessa aos investidores de seu país.

Ampliação da pista do Salgado Filho

O Ministério da Defesa deve apresentar até o final deste mês o relatório final que analisa a viabilidade de ampliação em mais 920 metros da pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. Estimada em R$ 700 milhões, a ampliação é alvo de críticas.

“A Infraero está num beco sem saída. Tem nas mãos uma obra muito cara e que resolve o problema por, no máximo, oito anos”, diz o secretário da Infraestrutura, Beto Albuquerque. Conforme a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o projeto está em execução e a conclusão da ampliação prevista para março de 2014.

Dos 15 projetos de mobilidade urbana na capital para a Copa do Mundo, a ampliação da pista do Salgado Filho é única que ainda não saiu do papel.

Retrospectiva

Agosto/ 2009: “Novo Hamburgo deveria ter um aeroporto regional.” A sugestão foi dada pelo comandante da empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras, Régis Brito.

Março/ 2010: Um grupo de trabalho informal reuniu-se no Jornal NH para viabilizar estudos para a construção de um aeroporto no Vale do Sinos.

Abril/ 2010: O projeto de construção do Aeroporto Regional Vale do Sinos foi apresentado aos deputados federais na Assembleia Legislativa.

Maio/ 2010: A construção de um aeroporto no Vale do Sinos passou a ser pauta na Assembleia gaúcha.

Março/ 2011: O titular do 5.º Comando Aéreo Regional, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossatto, prontificou-se a atuar como um facilitador.

Abril/ 2011: O Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Aeronáutica, declarou a viabilidade técnica para a construção do aeroporto.

Agosto/ 2011: O tamanho da área do aeroporto foi definido com 25 quilômetros quadrados entre Portão e Nova Santa Rita.

Setembro/ 2011: Os prefeitos de Nova Santa Rita, Francisco Brandão, e de Portão, Elói Besson, entregaram os decretos de declaração de utilidade pública das áreas para o secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Beto Albuquerque.

Novembro/ 2011: A bancada gaúcha definiu na Câmara dos Deputados 11 prioridades para o Plano Plurianual 2012-2015. Entre elas, o Aeroporto 20 de Setembro.

Dezembro/ 2011: Ao completar o primeiro ano no Piratini, o governador Tarso Genro disse que o 20 de Setembro era umas da prioridades para a região.

Março/ 2012: O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, confirmou que o presidente da Infraero, Antonio Gustavo Matos do Vale, avisou que o órgão estava disposto a tornar o 20 de Setembro uma realidade.

Maio/ 2012: O secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, comentou que investidores ingleses viriam ao Rio Grande do Sul por conta de projetos como o aeroporto.

Junho/ 2012: O requerimento para instalação da Frente Parlamentar em favor do projeto do Aeroporto Internacional 20 de Setembro foi protocolado com a assinatura de 37 deputados na Assembleia Legislativa.

*Colaborou: Paulo Langaro

Diário de Canoas

 

________________________

Governador se reúne com grupo de investidores ingleses

No encontro serão apresentadas análises dos projetos do Aeroporto 20 de Setembro de de uma hidrovia entre Porto Alegre e Rio Grande

Da Redação

Porto Alegre – O governador do Estado está reunido com uma comitiva de investidores ingleses na Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento. Na reunião, será apresentada uma análise técnica dos projetos do Aeroporto Internacional 20 de Setembro e de uma hidrovia para o transporte de contêineres entre Porto Alegre e Rio Grande.

Também participam do encontro secretários do Estado e o presidente da Fiergs,Heitor Müller. Informações do repórter Amilton Belmonte.

Diário de Canoas



Categorias:Aeroporto 20 de Setembro, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

49 respostas

  1. A pista da Base Aérea de Canoas é subutilizada, é logo ali e já tem o comprimento que teria a do Salgado filho se fosse ampliada.

    Curtir

  2. Tenho receio que os militares também estão envolvido nessa CAMBALACHO para construirem um novo aeroporto na PQP, pois como se não bastasse terem revogado a portaria com o “Plano Específico de Zoneamento de Proteção ao Aeródromo da cidade de Porto Alegre” que estabelecia os limites de altura para a construção de edifícios no perímetro do Salgado filho, adotando limites mais restritivos (sob o argumento de que esses limites deveriam ser adaptados a nova pista – que ainda não existe e, pelo jeito, nem vai existir), estão atrasando descaradamente a entrega do estudo de engenharia necessário para abrir a licitação do projeto de extensão da pista do aeroporto, que tinham prometido para março de 2011.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: