A Espanha e a qualidade dos projetos urbanísticos – 2 de 3

Continuamos no nosso passeio por Valdebebas. Desta vez vamos nos concentrar mais no paisagismo. Não é uma questão de jogar uma fileira de jerivás, mas um plano ambicioso e super bem bolado de cores, formas, texturas e alamedas de árvores frondosas.

Sobre os comentários no post anterior, pessoal, por favor, não estou promovendo aqui o plano econômico habitacional espanhol, mas a qualidade, o bom gosto, os detalhes na construção urbana e paisagismo com p maiúsculo. Espelhamo-nos. Clique nas imagens, são grandes.

Kick ass paisagismo!

Isso é asfalto bem colocado

A fantástica nova skyline madrileña lá no fundo!

O cuidado meticuloso, diversificado e de extremo bom gosto do paisagismo é inacreditável



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Paisagismo

Tags:,

19 respostas

  1. Cade as pessoas????

    Curtir

  2. Sem dúvida interessante, mas a realidade barcelonesa é altamente distinta da nossa passando pelos subsídios abundantes que jorraram via União Européia, pelo nível das universidades e formação dos profissionais, e especialmente por condicionantes geográficas como clima e vegetação nada parecidos aos daqui. Creio que o melhor exemplo a ser seguido por POA é o de Rosário na Argentina que tem muitos pontos em comum e que diferentemente da capital gaúcha possui uma orla absurdamente bonita. Arborizada com primor, possui parques diferenciados, grandes monumentos e ainda praias, é cruzada por vias ribeirinhas com tratamento paisagístico, tem equipamentos públicos e bares transadaços, e nela ainda erguem-se grandes torres imobiliárias dentro de um regime urbanístico especial e no contexto da revitalização de áreas e moinhos antes abandonados, tudo isto somando e gerando uma orla simplesmente fantástica. Um dia chegamos lá.

    Curtir

    • Acho tudo válido, precisamos nos espelhar no que há de melhor. Às vezes simplesmente no bom gosto, Maurício. Não se esqueça que a economia do Brasil é superior ao da Espanha. O problema nosso é dinheiro mal gasto. Também o Governo Dilma tem vários secretarias e fundos com orçamentos somente parcialmente utilizados porque os governos estaduais/locais não mandam projetos à Brasília. Mas realmente me interessei por Rosário e vou estudar essa cidade!

      Curtir

  3. Até que enfim… Eu vinha sempre citando os exemplos espanhóis, mais especificamente os de Barcelona. Adorei os Posts!! Parabéns. Isso sim é exemplo a se copiar e não,,,,, outras cidades (uma que sempre gostam de citar como melhor que POA, que de melhor nada tem).

    Curtir

  4. Interessante. Trolls negativadores eu não tinha visto aqui ainda… Vou considerar os votos ao contrário então.

    Curtir

    • em homenagem, dei um like. mas considere ao contrário. ô blog que as pessoas ficam brabinhas com deslike.

      Curtir

    • Que estranho isso! Comentários totalmente inocentes com um monte de negativação e nada de argumento! Será os CCs?

      Curtir

  5. Aqui em Porto Alegre, quando tapam buraco, as vezes fazem um montinho de asfalto como se fosse de terra (como se fosse ficar plano com a passagem dos carros). Isso é pra ter uma idéia do nível de proficiência técnica dos operários e do nível técnico dos “processos” de trabalho.

    Acho que o problema dos detalhes, do asfalto mal colocado, dos meio-fios tortos que temos aqui por exemplo, não é projeto e sim execução.

    E acho que não temos knowhow técnico para fazer uma boa execução, visto o que é feito quando o projeto é tocado por empresas contratadas com recursos privados, como a avenida Grécia (embora eu não saiba exatamente a estrutura do projeto).

    Em outros países (não só na itália) o acabemento do asfalto e sempre perfeito, o meio-fio é sempre perfeitamente reto, as pontes não tem um desnivel no encontro com a estrada, etc… Não acho que isso seja problema de projeto. Acho que é resultado de economias e falta de knowhow simplesmente.

    Já o paisagismo como na foto, isso sim pode ser financeiramente inviável por aqui com a atual estrutura dos gastos públicos (que gasta 70% em folha de pessoal e investe 2%)

    Curtir

  6. Se bobear, na última foto o primeiro comentário seria “nossa, pra que tanto canteiro? Dava pra fazer mais 1 pista de cada lad ao invés desse monte de plantinha”

    Brincadeiras a parte, o planejamento e a execução lá são ótimos porque os profissionais incumbidos a isso são valorizados e realmente ocupam os cargos de planejamento urbano, coisa que aqui é praticamente inexistente.

    Sendo muito sucinta claro, porque o buraco é um pouco mais embaixo…

    Curtir

  7. E aí, não vamos debater de como isso não importa por que eles tão quebrados? haha

    Curtir

  8. Vai me dizer que não dá vontade de pedalar nessa ciclovia?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: