Caminho da Copa terá incremento de atrativos e serviços

FanFest será no largo Glênio Peres Foto: Samuel Maciel/PMPA

Reunião no Gabinete de Planejamento Estratégico, na manhã desta quarta-feira 7, com diversas secretarias municipais, como Smam, Eptc e Smov, entre outras, discutiu ações para incrementar atrativos e serviços no chamado Caminho da Copa, que se estenderá do Largo Glênio Peres, onde será realizada a FanFest, até o estádio Beira-Rio, estádio oficial da Copa. A ideia é promover um espaço de referência para deslocamento confortável e seguro do público, definindo uma rota com diversas atratividades.

Para o gerente do programa estratégico Porto Alegre Copa 2014, Robledo Castellano, esse será o trajeto preferido dos turistas que vierem para o Mundial. “Será grande a concentração de turistas nesses quatro quilômetros e pretende-se desenvolver em Porto Alegre um espaço de referência para o público, nos moldes do que foi o FanMile, em Berlim e o FanWalk, na Cidade do Cabo. Temos projetos para qualificar praças, parques e outros atrativos históricos e culturais no trajeto, sendo que muitos deles ficarão como legado para a cidade”, explica.

O Caminho da Copa faz parte dos projetos da Câmara Temática de Infraestrutura de Serviços e dividiu a rota da FanFest ao Beira-Rio em trechos temáticos, cada um com uma atratividade, como a Porto Alegre histórica, incluindo origem, etnias, marcos históricos, território e situação geográfica, população, personalidades, causos da cidade; um espaço que vai contar a História das Copas; espaço institucional, que vai proporcionar às instituições públicas e privadas, terceiro setor e patrocinadores Fifa a promoção de suas atividades, voltadas para inclusão e justiça social, reciclagem, qualidade de vida, direitos humanos e dos animais; espaço do produto gaúcho, para divulgar a produção gaúcha (vinho, doces, pedras semipreciosas, carnes, malhas, produtos coloniais e orgânicos) e locais turísticos do estado do Rio Grande do Sul.

Entre as medidas de caráter permanente previstas para o trajeto e discutidas na reunião estão a recuperação de vias, pavimentação, calçadas, elementos de acessibilidade, sinalização turística, recuperação de praças, fachadas de prédios, obras de arte, mobiliário urbano e iluminação cênica. As intervenções temporárias dirão respeito à limpeza especial para o período, plano de trânsito e segurança, programação cultural, feiras de promoção comercial, placas, pórticos e totens, além de campanhas de divulgação.

Nesta quinta-feira, 8, a Câmara Temática de Infraestrutura de Serviços abordará as questões de segurança para a Copa, reforço da Guarda Municipal e o papel do Centro Integrado de Comando, a nova central de inteligência do município.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:COPA 2014

Tags:,

11 respostas

  1. Uma boa atração pra copa, seria a implosão do esqueleto. Ia lotar de gente pra assistir. kkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

  2. “trechos temáticos, cada um com uma atratividade, …Porto Alegre histórica, origem, etnias, marcos históricos, território e situação geográfica, população, personalidades, causos da cidade; um espaço que vai contar a História das Copas; espaço institucional”
    Peraí!
    Deixa tudo isso pra “se der tempo”!
    ANTES temos que ter calçadas ampliadas, padronizadas e retas; retirada de orelhões e fios de orelhões cruzando a Andradas, TOTAL remodelamento da Andradas: piso, paisagismo, retirada de orelhões e postes de luz horrorosos; FINALIZAÇÂO DO ESQUELETO, iluminação CÊNICA dos prédios: mercado, prefeitura, alguns prédios do canyon da Andradas, do MARGS, do Memorial e a repaginada na BORGES e na OTÁVIO ROCHA que esta favelizada.

    ENFIM, temos que por a cidade própria em ordem e lindona ANTES de pensarmos em “trechos temáticos” que não durarão mais do que o período da copa.
    SERÁ que custa tanto assim acertar, prefeitura? Poxa vida!

    Curtir

  3. Temos km’s de obra mas vamos fazer a festa da copa no esqueletão cinquentenário! POA melhor em tudo só que não!

    Curtir

  4. E o esqueleto ruína segue ali no centrão como símbolo mor do descaso e da falta de noção estética predominante na paisagem urbana da capital gaúcha. Vergonha total. Atestado de incompetência. Grave dano a imagem da cidade, tolerado como sempre, na cidade da tolerância infinita!

    Curtir

  5. Na teoria, parece ótimo, quero ver mesmo se sai..

    Curtir

    • Santos tem 72 km de orla e tudo muito planejado… calçada, pista de ciclismo, ajardinamento, praia limpa e mar…pq não podemos ter tb? Quanto ao roteiro turístico não criem expectativas pois quem vem para a Copa, fará no máximo um pernoite e se for vendido vinho perto do Estádio, não terá aquela cena deprimente das pessoas tomando “outras” bebidas nas garrafas pet, pq até onde sei a cerveja será liberada no Estádio. Não estamos contando muito com o turismo receptivo mas sim com os transfers de AER/Htl e vice-versa..só quem vem com a família, caso contrário vai ser bate e volta.

      Curtir

  6. “As intervenções temporárias dirão respeito à limpeza especial para o período(…)”.
    Passada a copa, vira tudo de novo na mesma zona, na mesma sujeira. Sei não, esse tal legado da copa estou achando que é somente pra inglês ver.

    Curtir

  7. Temos 74km de orla… isso só de orla, imagina pegando zona sul pra norte, leste pra oeste, entre outras, e só temos pontos turisticos em 4 quilometros?
    =//

    Realmente, vivemos numa provincia..
    =//

    Curtir

  8. Tinha que ser CaminhoS da Copa, unindo todos os principais centros turísticos de Porto Alegre e os principais locais de interesse relacionados ao futebol (Beira-Rio e Largo Glênio Peres.) Podiam criar núcleos: Centro, Moinhos, Redenção, Orla (Praia de Belas até Cristal), Beira Rio e Ipanema. Nesses núcleos, alguns lugares especiais seriam selecionados e teriam a ligação entre eles também incrementada com atrativos e serviços (Por exemplo: uma linha que vai do Gasômetro até a Pça. Dom Feliciano, passando pela Dores, CCMQ, Pça da Alfândega/museus, toda a Rua da Praia, Mercado Público, e pça Otávio Rocha). As reformas nas ruas incluídas constariam de enterramento da fiação aérea, calçadas padronizadas, novos postes, fachadas de todos os prédios pintadas, asfalto novo (ou reconstituição do paralelepípedo enterrado), meio-fio nivelado e plantio de árvores e flores ornamentais. Os núcleos também teriam as ruas entre eles incrementadas (por exemplo: repaginação total da Independência pra unir o núcleo turístico do Centro com o do Moinhos.) e assim vai. Em pouco tempo, todos os pontos turísticos estariam qualificados e o caminho entre eles devidamente arrumado pra dar uma impressão real de cidade que cuida dos espaços públicos e tem grande vocação pra turismo de lazer. Com projetos totalmente básicos, acredito que resumi o maior problema de Porto Alegre pra ela se tornar turística e agradável pra população.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: