Falta de estacionamentos força adaptações para inauguração da Arena

A nova casa do time possui capacidade para cerca de 60,7 mil torcedores
Foto: Lucas Uebel – Blog Grêmio Arena – 07/11/2012

Faltando menos de um mês para a inauguração do novo estádio do Grêmio, uma questão vem preocupando os organizadores do evento: o baixo número de vagas de estacionamento para a demanda de público que o jogo exigirá. A nova casa do time possui capacidade para cerca de 60,7 mil torcedores. A inauguração ocorrerá no dia 8 de dezembro e contará com shows, apresentações teatrais e reedição do Mundial de 1983, em um amistoso diante do Hamburgo.

O que se tem, atualmente, é um estacionamento interno da Arena com 2,3 mil vagas, que já estão reservadas à convidados e aos sócios que possuem camarotes e as chamadas “cadeiras gold”. Também está sendo preparado um estacionamento na área onde ficaram os blocos pré-moldados durante a obra, que comportará 3,5 mil veículos, sendo que desta quantidade 2 mil já foram comercializados e o restante foi reservado para convidados.

Para o restante do público estão sendo alugados bolsões de terrenos para servir de estacionamento no entorno do estádio, localizado no bairro Humaitá. Mesmo com a locação desses terrenos, não se chegará ao total de 30 mil vagas, número adequado para a demanda de carros esperados para um jogo de casa lotada, conforme a EPTC.

Com isso, os organizadores do evento estão estudando medidas para incentivar o uso de transportes coletivos. Está prevista uma avenida de acesso da estação Anchieta até o estádio, onde o trajeto é de 1100 metros. Além disso, haverá uma linha especial de ônibus que deslocará torcedores do Centro até o estádio antes e após a inauguração.

Para os torcedores que vêm do interior do Estado, a orientação é de que se desloquem por meio de caravanas. Segundo a EPTC, haverá estacionamentos próprios para essas conduções vindas de fora de Porto Alegre. O presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação, Vanderlei Cappellari, alerta para o fato da região não estar acostumada a receber grandes eventos. “Nos primeiros jogos as pessoas necessitarão de uma forte orientação para poder se localizar sem dificuldades. É uma área desconhecida da população”, ressalta Cappellari.

“Estamos preparados”, diz presidente da Arena Porto Alegrense

O presidente da Arena Porto Alegrense – empresa que faz a gestão do novo estádio – Eduardo Pinto, demonstra maior otimismo quanto a organização do entorno do estádio e não prevê grandes transtornos. “Estamos preparados para funcionar em um evento de 60 mil pessoas”, afirma. Porém, ele pede paciência aos torcedores na evacuação do estádio e para que utilizem transporte coletivo ou misto para acessar o local.

Ele sugere, por exemplo, que o torcedor deixe seu carro próximo a uma estação de trem e utilize o transporte público para completar o trajeto. “Futuramente as estações vão sofrer adaptações e serão melhoradas. Há discussões com a Trensurb de se privatizar as estações Farrapos e Anchieta, em função do aumento de usuários que ocorrerão nelas em função do estádio”, revela o presidente da Arena.

Está previsto no projeto da Arena ainda a construção de um edifício garagem com capacidade para 3,5 mil vagas e que será administrado pela construtora OAS, responsável pela construção do estádio. As vagas serão compartilhadas por torcedores do clube e para quem for utilizar o shopping, outro empreendimento previsto no complexo. Não há estimativa de data para a conclusão dessas obras.

Eduardo Pinto confirma que os procedimentos serão os mesmos caso o Grêmio chegue à final da Sul-Americana – marcada para os dias 5 e 12 de dezembro – e opte por jogar a decisão na Arena.

Nícolas Pasinato = SUL 21

_________________________________

Não entendi bem o que significa “privatizar as estações Farrapos e Anchieta”.  O que será isso ?  



Categorias:Arena do Grêmio, Grandes Projetos

Tags:, ,

29 respostas

  1. A Arena foi feita em lugar ruim de chegada e saída, ou à pé, de busão, de metrô, ou carro, já chega o Beira-Rio. Acessibilidade é prioritária nos grandes eventos. Este povo só que ganhar dinheiro, e atender mal os visitantes..

    Curtir

  2. Se existe “inteligência coletiva” então deve existir “ignorância coletiva” também. Como é que ninguém até agora lembrou que parte dos torcedores pode ir de bicicleta? Só precisa fazer um bicicletário – cada vaga de automóvel pode ser transformada em 10 de bicicleta.

    Curtir

  3. 701, 703, 704, 704.1, B25, B55, T2A.1, Futebol…. só aí são 8 linhas de ônibus, o torcedor tem que deixar de ser dondoquinha e querer ir de carro até “dentro do campo”. Só que a EPTC precisa se mexer, no próprio Olímpico já fiquei sem conseguir pegar o T2 porque o último era 00:00 e o jogo terminou 00:20 (disputa de penaltis).

    O jogo de inauguração iniciará às 22:30, isto é, terminará 00:30.

    Outra sugestão interessante é estender/alterar o trajeto lotações, poderia muito bem ter as linhas da Zona Norte (Leopoldina, Pq dos Maias, Sarandi) indo da Arena para o bairro e até aquelas da Zona Sul poderiam sair extraordinariamente da Arena, passando pelo Centro e seguindo sua rota normal.

    Olha, é só refletir 5 minutos que me surgiu estas ideias, tem gente que ganha para isto e não faz nada.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: