Morrendo de calor e secura

Dia 28 de Novembro, dia ensolarado, 32 graus. Quente pra caramba. Passo pelo espelho dágua da Redenção e fico me perguntando porque não vejo pessoas sentadas com os pés dentro d’ água, como acontece em qualquer cidade européia no calor? Porque não é possível fazer o mesmo no lago, mais adiante? É poluído? Porque no centro não vejo fontes, e espelhos dágua? Porque a fonte da Marques de Sevigné continua seca?

Precisamos acabar com o divórcio dos portoalegrenses com a água no verão. O mar está há centenas de quilômetros,  o Guaíba ainda é um esgoto, e temos calorão de Novembro a princípios de Abril. Temos que dotar a cidade com espaços públicos onde as pessoas possam se refrescar no calorão. Temos que colocar água na Marques de Sevigné, na praça Dom Sebastião, no largo Glênio. Temos que construir mais fontes e chafarizes. Ou deliro?



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

24 respostas

  1. Minha ultima alegria é sair do trabalho e ver o pessoal molhando as plantas da praça da alfandega, é um jatão da água no meio das sobras, fica aquele cheiro de chuva, e da uma refrescada sem nem chegar perto.

    Eu gosto… haahah

    Um chafariz fazendo um jato de água assim não seria nada mal, é muito bom.. hahaha

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: