Alámos, por que não?

DEPOIS que a prefeitura petista encheu a Farrapos de Jerivás, a cidade se entupiu deles: do laçador, à orla do Guaíba, da Avenida Independência à Carlos Gomes e empreendimentos privados, tudo que é construido é adornado por estas palmeiras à la Caruaru. Os plátanos que enchem Montevideu de charme foram execrados. Jacarandás, que adornam Buenos Aires, desapareceram das plantações.

Mas há ainda uma outra árvore que, antigamente, adornava graciosamente a Avenida Farrapos, o álamo (primeira foto).

Gostaria de ver essa árvore substituir os terríveis jerivás na lista de plantações de avenidas na cidade. Porque não? A propósito, vários álamos (também conhecidos como choupos) foram plantados nos edifícios do Jardim Europa. Olhem nas montagens como instantaneamente elas emprestam um ar chic e  europeu onde estão colocadas. Não é verdade?

Clique para ampliar

Farrapos, antigamente

farrapos antiga

x

carlos gomes 1

carlos gomes 2

farrapos-jerivas

farrapos-depois

carlos gomes antes

carlos gomes depois

lacador-antes

lacador-depois-2

Turim, Itália

turim

Lisboa

lisboa



Categorias:Outros assuntos

56 respostas

  1. “Ar chic e europeu”
    Tô me segurando pra não rir muito aqui.

    Curtir

  2. “Depois que a prefeitura petista … ” ( Paraǵrafo introdutório )

    Vamos combinar uma coisa : mesma abertura de matéria – trocando o adjetivo – para os dois últimos governos nos posts futuros ?

    Curtir

  3. Concordo com o Marcelo, precisamos de uma solução mais estética. O jerivá frequentemente tem um caule deformado e assimétrico com uma copa bagunçada que parece uma “prima pobre” da imponente palmeira imperial. Jacarandás, ipês, tipuanas, cerejeiras, plátanos, acers, álamos e as palmeiras washingtonia e canariana… Enfim, são várias as opções visualmente mais atraentes que o jerivá.

    Curtir

  4. Só pra lembrar: muitos falam que os jerivás e demais palmeiras não dão sombra. Mas que sombra que o álamo daria ?????

    Curtir

    • Ah Gilberto, neste post não estamos falando de sombra, simplesmente de estética. Mas seriam mais nos corredores de ônibos, canteiros centrais, este tipo de coisa. Sei que to pisando nos teus calos, porque gostas dos horrorosos jerivás 🙂

      Curtir

      • Não é questão de gostar Marcelo. O jerivá é NATIVO daqui. Portanto pra mim basta pra ele ser usado eventualmente em arborização e paisagismo. Ele não é um COQUEIRO, que é o que tem no Nordeste. Pelo amor de deus, jerivá não é coqueiro tropical. Mas tudo bem….

        Curtir

    • Esse tipo de árvore não é pra dar sombra, é pra reforçar e formar eixos urbanos. Árvore que dá uma bela sombra é o plátano (hehehe).

      Curtir

      • Que mania de querer plantar árvores do hemisfério norte. Vocês acham que a qualidade de vida no Brasil vai melhorar se plantarmos árvores européias?

        Existem milhares de espécies nativas muito lindas aqui e que dão sombra: jacarandás, ipês, guapuruvus, canafístula , e por aí vai.

        Curtir

  5. Particularmente, acho as palmeiras mais bonitas que os jerivás.

    Curtir

  6. O Marcelo me ensinou a odiar Jerivás.

    Curtir

  7. Adorei as montagens. Ficaria muito bonito conforme a sugestão.

    Curtir

  8. Dizer que nosso inverno é mais frio que o de Curitiba é no mínimo desconhecer climatologia e médias térmicas. Tanto as médias das mínimas quanto das máximas lá são menores no iverno, com a única diferença que o inverno lá tende a ser mais seco.

    Curtir

    • Se for falar em média, São Paulo e, em alguns anos, Belo Horizonte e Brasília são mais frias que Porto Alegre. Curitiba é uma das capitais com o maior aumento de temperatura nas últimas décadas, e esse ano as mínimas absolutas baixas e dias com máximas abaixo de 10ºC foram bem mais escassos do que em POA. Apesar de lá não ter veranicos tão fortes por causa da altitude (o que faz as médias abaixarem), apenas 40% das frentes frias que chegam ao Brasil chegam lá, enquanto 80% chegam em Porto Alegre. A última nevasca em Porto Alegre foi em 1984, mas tem vários casos isolados na década de 90, em 2000 e em 2006. A última em Curitiba foi na década de 70. Fora que em sensação térmica de dias frios ganhamos fácil, com umidade e minuano. E, mesmo nas médias, pra uma cidade que se diz fria o ano inteiro ter apenas 2ºC a menos na média anual (lá é 17 e aqui 19, apesar de que nas medições na zona sul de POA a média seja 17 também) comparada com a Porto Alegre dos 40ºC no verão, é uma diferença muito baixa.

      Curtir

      • Realmente, se dizer fria o ano inteiro é uma forçação de barra enorme. Mesmo assim, em função da altitude e com o forte resfriamento noturno graças ao tempo seco e céu aberto, Curitiba registra esporadicamente temperaturas negativas no INMET, e as geadas, que são raríssimas na parte urbana de POA, são um pouco mais comuns em Curitiba, embora eu não saiba precisar a frequência. Já vi gelo por lá até bem próximo ao centro (Visconde de Guarapuava), coisa que não me recordo ter visto em POA. A umidade de POA e a presença do Guaíba, que aumentam a sensação de frio,são os mesmos responsáveis por barrar o resfriamento noturno daqui e fazer nossa mínima muitas vezes a mais alta do estado. De qualquer forma, quanto ao aquecimento em função da urbanização, precisamos esperar uma nova série normal sair para termos certeza dos efeitos; o que sabemos a princípio é que, na média, a última normal climatológica apresenta cerca de 2° a menos no inverno para Curitiba. No verão esta diferença aumenta significativamente.
        Bom, acho que este não é o foco do fórum e esta discussão de qual é mais fria também não agrega muito ao post, então encerro minhas palavras aqui.

        Curtir

  9. Cara você achou a foto da Farrapos com os alamos! Muito legal. Procurei bastante e só o que encontrei foi num ângulo muito ruim.

    Alamos são realmente bonitos… Talvez tenham retirado porque dá ” muita manutenção ” quando cai as folhas (ironia).

    Gostei da idéia das araucárias. Deve haver espécies nativas, bonitas, práticas…

    Curtir

  10. Álamos são lindos! Em cidades como Madrid, Montevidéu, Cidade do México, Barcelona, Lisboa e várias outras eles ainda são amplamente usados em projetos arquitetônicas e urbanísticos (talvez mais até que as nossas construtoras abusam das palmeiras). Há tempos que eu procuro fotos deles na Farrapos. Mas me parece que eles duraram pouco tempo lá, porque em fotos de bem antes do PT a avenida está árida, sem álamos nem jerivás.

    Curtir

  11. Gosto dos jerivás, são nativas sim do nosso estado e mais condizente com nosso clima que tende a ser mais tropical do que temperado (jerivá é uma espécie da mata atlântica, uma floresta tropical). Não sei por que a mania de querer se parecer com Europa… Mas claro e evidente que tem que ter bom senso e mesclar com outras espécies.

    Curtir

    • Jerivá não é uma espécie tropical, já que ela não sobe o trópico, mas a aparência dela é substancialmente tropical. Moramos em um país onde a grande maioria da população mora em cidades tropicais lotadas de palmeiras. Ficamos na capital mais ao sul, com o inverno mais frio (sim, nosso inverno é mais frio que o de Curitiba). Temos que preservar nossas características, ressaltar as diferenças, ou tu acha que devemos aceitar o “padrão-capital-sergipana” (direitos ao Marcelo rs) e ficarmos iguais a todas as cidades do Brasil, inclusive as praianas do distante nordeste?

      Curtir

    • A questão não é a de plantar uma espécie ou outra por que ela é nativa, envolve outras questões como estética e funcionais. Uma arvores de copa devido a sua sombra e beleza é mil vezes mais indicada em uma calçada do que um jerivá. Acho eu que os alámos seriam uma ótima opção nos corredores de ônibus, já que é difícil de uma planta com copa mais pomposa se desenvolver devido ao atrito com os veículos, como na avenida perimetral ou joão pessoa.

      Curtir

  12. Na verdade palmeiras fazem parte sim, da paisagem, inclusive da campanha. Claro que mais concentradas nas pequenas matas ciliares e nas partes mais baixas das coxilhas. Algumas vez em campo aberto tb.
    Ainda assim, acho que poderíamos virar essa página e pensarmos em opções mais bonitas e funcionais que simples palmeiras.
    Há até espécies nativas, como a corticeira, de belíssima floração. Não sei qt a questão das suas raízes x calçamento… mas enfim..

    Curtir

    • As palmeiras devem ter sido escolhidas para dominar a cidade provavelmente por serem de mais fácil manutenção, presumo… sempre o mais fácil e barato vence.

      Curtir

      • Se for manutenção, tem as palmeiras californianas (da Oswaldo, J. Pessoa etc) e as das Canárias que são MUITO mais bonitas que jerivás. Eles plantam jerivás porque são as mais baratas na compra, acredito eu. Também são mais fáceis de plantar, já que são minúsculas comparadas com as outras. Estragam a cidade só pra disfarçar obras malfeitas e dizer que tem “acabamento” e “paisagismo”, mesmo sendo medíocre e sem graça.

        Curtir

      • Eu acho que é por causa das raízes. A Nonoai é muito bonita no trecho que tem aqueles guapuruvus no canteiro central, mas o asfalto está detonando. Nem sei o que afeta ainda a rede de esgoto.

        Curtir

  13. É inacreditável o quão mesquinha é a aparência da cidade nesse aspecto da arborização… foge ao que se espera que seja normal. Nós não vemos palmeiras forrando os campos do Estado, de onde tiraram essa mania caribenha? Árvores com aspeco de inverno são a escolha mais natural, mas onde anda a cabeça de quem decide? Pelo amor…

    Curtir

  14. Não que eu ache um bom motivo, mas acho que não são mais plantados por quenão são nativas.

    Curtir

  15. remember the alamo hehe

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: