Audiência Pública sobre Trincheira da Rua Anita Garibaldi será dia 18/12

Obra é ilegal, pois segundo o Plano Diretor Cicloviário, deveria prever ciclovia

Obra é ilegal, pois segundo o Plano Diretor Cicloviário, deveria prever ciclovia.

Obra é ilegal, pois segundo o Plano Diretor Cicloviário, deveria prever ciclovia.

Mais uma audiência pública sobre essa obra grotesca e ilegal – pois a rua Anita Garibaldi é contemplada no Plano Diretor Cicloviário e portanto esta obra deveria prever a instalação de ciclovia ou ciclofaixa.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Objetivo: debater sobre a obra da passagem de nível entre a Rua Anita Garibaldi e a Avenida Carlos Gomes.

O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, COMUNICA, à comunidade porto-alegrense, a realização de Audiência Pública, dia 18/12/2012, às 19 horas, na Paróquia Nossa Senhora do Mont’Serrat, localizada na Rua Anita Garibaldi nº 1121, com o objetivo de debater a obra acima referida.

Gabinete da Presidência, 29 de novembro de 2012.

Ver.. Mauro zacher, Presidente 

http://dopaonlineupload.procempa.com.br/dopaonlineupload/693_cl_20121204_legislativo.pdf

Fonte:  Blog Va de Bici



Categorias:Bicicleta, Ciclofaixas, ciclovias

Tags:, , ,

131 respostas

  1. Porto Alegre merece seus caranguejos mesmo!!!!

    Curtir

  2. É por isso que to largando porto alegre, cidade de pessoas burras e que se acham intelectuais, povo gaúcho nunca foi tão motivo de piada no resto do Brasil. Tenho que rir desse gente. POA tem o que merece por isso larguei essa ratatulia. Miami, floripa e rio mandam um abraço

    Curtir

    • Miami tudo bem, mas rio e floripa esquecem de outros aspectos. Acho que o fazer piada deles é, inveja do gaúcho.

      Falando em BR, no fundo somos os menos piores se levarmos em conta tudo (e nao só beleza, turismo).

      Quanto ao se mudar, acho difícil tu morares em Miami, a nao ser que seja ilegal. Green Card demora anos, e olha la.

      Curtir

      • Green card é permanente, de residente. Visto de trabalho é barbada de conseguir se tu já tiver um empregador lá, eles mesmo te arrumam. Pra quem trabalha com TI por exemplo, é um boi. Tenho vários conhecidos lá.

        Curtir

        • Empregador é muito difícil também. Isso porque eles têm que provar que nenhum americano pode exercer tal vaga, aí podem buscar estrangeiros.

          Curtir

    • Falando no Rio, aqui tem uma reportagem interessante sobre o Rio

      http://oglobo.globo.com/rio/o-adeus-ao-volante-nos-deslocamentos-diarios-6990699

      Em Floripa tem dezenas de ciclovias ininterruptas.

      Curtir

  3. Uma coisa que eu não consigo entender é como no desenho tem CINCO pistas na Anita que hoje mal tem TRÊS! Porque aquela pista única ali do lado esquerdo? É meramente pra acessar possíveis garagens daqueles prédios ali?

    Sobre a matéria, não vou nem entrar nessa discussão tosca entre ciclistas x motoristas. Concordo com ambos os lados, mas infelizmente, esqueçam ciclovia em uma rua estreita como a Anita. Podem ter botado em plano cicloviário, mas duvido muito que algum dia vá existir. Porque não fizeram ciclovia na Nilo ou na Plínio que são mais largas?

    Sobre o transporte público “de qualidade”, um primeiro passo simplíssimo que podiam fazer em POA era aumentar os ônibus articulados e colocar ar-condicionado em toda a frota. Pode não melhorar a eficiência e tempos de viagem, mas ao menos as pessoas não ficariam espremidas e passando calor em um dia como hoje, de 35°C. Aliás, os amigos ciclistas em dias assim, tomam banho no trabalho, ou passam o dia fedendo? Hehehehe.

    Enfim, infelizmente, vão dizer que essas medidas encareceriam a passagem, e ninguém quer acabar com as regalias de isenções de passagem, o que poderia balancear os custos. Não sei como pode, por exemplo, pessoas de 60 anos andarem de graça em ônibus com a nossa atual expectativa de vida. Isenção devia ser pra quem tem mais de 70 e teria que provar que não tem condições de pagar a passagem. Passagem escolar idem, tem que comprovar renda. Mas vai mexer nisso pra ver o que vai feder. Vai sair um monte de “Associação de Moradores da Anita” pela cidade botando pilha em qualquer alteração…

    Fora os ônibus, temos utopias do metrô e aeromóvel (digo utopias porque isso, aqui nessa terra atrasada tá mais pro lado da lenda e do sonho).

    Aí o que resta? Pessoal pegar IPI reduzido e comprar carro e a prefeitura construírem viadutos pela cidade (cada um levando 2 anos pra ficar pronto, ainda por cima).

    Assim como aconselham (com razão) aos que querem transformar POA em Havana a se mudarem pra lá, os que querem transformar POA em uma cidade européia, eu digo: mais fácil nos mudarmos pra Europa, pois não vai ser nessa vida que veremos essa cidade como gostaríamos.

    Curtir

    • O ciclista aqui vem de bici e toma banho antes de entrar no trabalho. 😀

      Em relação ao custo do ar condicionado, aí é que está. Transporte público não pode funcionar pelas leis de mercado pois não há competição. Aqui em poa nem licitação tem. Eu acho que o ideal seria todo ele ser feito por empresas públicas, que deviam ganhar estímulos fiscais (isenção de impostos) e nem deviam visar lucro.

      Concordo que é utópico, mas bem que podíamos ter um meio termo:
      1- A prefeitura começa a fazer licitação a cada, sei lá, 10, 15 ou 20 anos. Esse oligopólio tem que ser quebrado
      2- Mesmo as empresas sendo, na sua maioria, privadas, por que não ganham as isenções de imposto? Com a redução da tarifa na mesma proporção claro.
      3- As empresas deviam ser pagas de outra maneira. Hoje elas recebem por passageiro transportado, o que estimula elas a atrolharem os veículos. Por que não recebem por vagas disponibilizadas?

      Curtir

      • Bah, excelentes ideias. Essa da isenção de imposto devia ser primordial. Mas novamente, hay que tener cojones pra meter a mão nessa bronca dos ônibus. O prefeito que tiver coragem de mudar isso, deveria ficar de forma vitalícia na prefeitura, hahaha.

        PS.: Sobre o banho, tu estás ciente que pra maioria das pessoas não existe como tomar banho no trabalho né? 😉

        Curtir

        • Estou, mas cabe a elas fazerem campanha para que passem a ter. E em alguns lugares há clubes perto que podem ser usados.

          Curtir

        • A questão do banho pode ser contornada. Pedalo 10 km todos os dias para ir trabalhar (20 km ida e volta) e, se fico suado, molho um pouco da cabeça até a cintura, seco, passo desodorante e troco a ropa. Pronto! Nunca reclamaram de mau cheiro.

          Curtir

        • Já inventaram as bicicletas elétricas.A desculpa do “suado e fedendo” não cola mais.

          Curtir

  4. A solução da prefeitura vai ser pintar uma faixinha de vermelho de 50cm ali por baixo. E ainda vão inaugurar!

    Curtir

  5. A tranqueira desse cruzamento gera reflexos na Anita no trecho entre a Carlos Gomes até a Bordini e vocês veem me dizer que a obra não é necessária? E outra, ciclovia na anita?Sério mesmo? Já tentou subir a lomba da anita de bike??

    Gostaria de saber quais são os verdadeiros interesses do Sr. Marcelo, que luta com unhas e dentes quelquer coisa que não seja “pro-bicicleta”.

    Curtir

    • E acho que estou sendo otimista, os efeitos da anita trancada são sentidos inclusive já na mostardeiro..é efeito cascata.

      Curtir

      • E aí, quando trancar no cruzamento seguinte, vai fazer mais um viaduto? Destruir mais uma praça, alargar mais uma faixa, fazer mais um túnel? Bom, deu certo em São Paulo, porque não imitamos aqui?

        O status quo carrólatra não entende que a solução baseada em transporte automotor particular já está saturada, e qualquer tentativa de melhoria voltada a este meio traz um benefício marginal para o custo envolvido.

        Curtir

      • Adriano, temos que possibilitar as pessoas que não querem ou não precisam usar carro de usar os meios alternativos. As pessoas hoje tem medo de pedalar e não andam de ônibus por que o serviço é demorado, etc. Investir nesse tipo de obra só vai dar mais estímulo para uso de carro e, em consequência, mais congestionamento. Ou o mesmo congestionamento duas quadras depois.

        Curtir

    • Como já foi dito antes, esta ciclovia da prevista no Plano Diretor Cicloviário, que também prevê que obras nas vias que têm plano de ciclovia devem obrigatoriamente contemplar a construção da ciclovia.

      Mas é, o Marcelo deve ter ações da Caloi, só pode ser.

      Curtir

      • Não vou levar a sério o chamamento de “carrolátra” pois não vou me rebaixar ao nível do Sr. Não estou atacando ninguém, então não retruco. Até porque posso acabar sendo “moderado” igual ao outro ali em cima….

        Eu já andei muito de bike na Anita, Eu já subi muito aquela lomba lá. Alias, as várias lombas (entre Mariland e Frei Alemão e logo depois da Carlos Gomes são as pioires). A avenida é dificilima, tem muito aclive. Pode até não fazer a trincheira, mas pelo motivo de não prever a ciclovoia seria o motivo mais imbecil já visto nessa Cidade.

        Curtir

        • Lei é lei. Foi esse governo que passou essa lei, que cumpra-a.

          Eu não te chamei de carrólatra, eu chamei o status quo de carrólatra.

          Curtir

        • Não precisa deixar de fazer a trincheira, mas que seja feita de acordo com a lei. Ou seja, com ciclovia.

          Curtir

    • Adriano, a Anita tem apenas uma lomba mais íngreme, logo no seu começo, depois é tranqüila de pedalar.

      A propósito, lombas a meu ver são os trechos onde as ciclovias são mais necessárias, pois é quando o ciclista está mais devagar e a diferença de velocidade com os automóveis é maior, portanto o risco é maior. Com uma ciclovia, pode-se subir uma lomba de bicicleta sem o receio de estar indo devagar demais e sem o medo dos finos dos carros que aceleram para subir a lomba.

      Sobre congestionamentos na Anita, logo depois do cruzamento com a Carlos Gomes a Anita estreita para uma só pista, ou seja, os congestionamentos vão continuar, só vão mudar de local.

      Curtir

      • Tranquilo. Muito tranquilo sim. Te desafio meu caro. Lá do China In Box na Anita, venha subindo aquela “lombinha”. Depois, suba a outra lomba, entre a Frei Alemão e a Mariland, é uma “lombinha também”. Depois, suba mais e mais até a Bordini. E me conte como foi “tranquilo” e como adultos, velhos e senhoras poderão subir de forma “tranquila”. Eu com 22 anos e super em forma suava e muito para fazer o trajeto, e isso andando todo o dia, e tu vem com esse papo…menos, muitooo menos.

        Curtir

        • Entre a Freire Alemão e a Mariland é uma descida. Se a ciclovia for bem feita, ela será unidirecional, no mesmo sentido do fluxo de carros. O retorno será feito por outra rua.

          Curtir

        • Pelo menos agora tu deixou claro, Adriano. Tu não quer ciclovias por que tu não vais usar.

          Curtir

        • Não fala bobagem Sr. Felipe.

          Curtir

        • Bobagem é achar que pq tu não consegues subir a Anita os outros não poderão.

          Curtir

        • Nossa, que conclusão inteligente Felipe, fiquei impressionado. Realmente, eu não quero a ciclovia porque eu, segundo tu alega, não posso trafegar nela, considerando os aclives existentes. Não é porque além dela ser cheia de lombas – o que limita e muito o número de usuários, a rua ser estreita, e, sob esse argumento, ainda não poder sair a obra que eu entendo útil à Cidade e a região que EU moro, e não no Cristal, beeeem longe, como tu, que vive alheio aos problemas enfrentados por todos que moram por ali. Sim, é só por que tu “nao consigo subir a Anita”.

          Curtir

        • Óbvio. A conclusão inteligente é que teus vizinhos de bairro não tem interesse nela.

          Bem, minha namorada mora no passo da areia e passa pela região ali seguido, de bici. Adoraria uma ciclovia. Satisfeito agora?

          E outra, posso não subir a Anita mas subo a Pinheiro Borda, por exemplo.

          Boa tarde.

          Curtir

  6. Vamos derrubar a cidade e replantar todas as arvores que foram derrubadas na construção de Porto Alegre.

    Cada um toma seu rumo e mude para outro lugar…. ops, ai vão querer derrubar as construções de la… e assim o sonho de viver nos tempos das cavernas se torna real..

    Só que não….

    Curtir

    • Bah cara, deixar de ser radical! Ninguém quer isso. Esse tipo de argumento não leva a nada.

      Curtir

      • O Guilherme acha que ou é um ou é outro. Ou tu vive numa cidade e derruba todas as árvores ou tu te muda pro campo e derruba todos os prédios. Meio termo não existe pra ele. Viver numa cidade arborizada e humanizada deve ser algo ininteligível pro rapaz.

        Curtir

  7. Mudando um pouco o tom, vocês viram como estão as faixas de segurança?

    Talvez o fmobus possa ajudar a entender. Tem faixa de segurança que termina em canteiro e para cruzar uma avenida o cara tem que fazer um zigue-zague terrível!

    Curtir

    • Eu vi que a prefeitura andou apagando várias faixas de segurança. Tinha uma que eu sempre usava na esquina da Dona Laura com a Miguel Tostes que foi sumariamente apagaga.

      Curtir

      • Bah! Sério isso? Olha, acho que dá para tirar umas fotos e pegar as fotos antigas do Google Maps e fazer um belo artigo de um blog.

        Curtir

    • Demência típica dos projetistas de Porto Alegre. Tem formas bem melhores de desenhar as travessias de pedestre dessa obra. Outra demência é a largura das alças de acesso. Não tem fundamento fazer aquilo ali com duas faixas.

      Curtir

      • Acho que é aquela coisa de querer agradar a dois patrões a mesmo tempo… Se fizesse as faixas de segurança corretamente, a trincheira deixaria de fazer sentido, então faz uma trincheira mal feita e faixas de segurança mal feitas.

        Curtir

  8. pinta o canto da calçada de vermelho alaranjado, pronto já ta feita a ciclovia, PREF. COMEÇA LOGO ESSA OBRA!!! não aguento mais esses morados da anita inventado coisas para não ter a obra

    Curtir

    • Não concordo com a sugestão, mas você me fez pensar que quanto mais tempo a prefeitura arrasta a resolução para esse problema, mas as pessoas estão aprendendo a se organizar, o que é bem positivo.

      Curtir

  9. Mais um post sobre a obra da Anita onde a área de comentários vê uma Blitzkrieg do Marcelo.

    Curtir

  10. Não sou particularmente contra a trincheira, mas se não vai atender ao plano cicloviário, que é lei, está errado.

    Curtir

    • Pra mim isso é furo. Faz a trincheira ali com ciclovia conectando nada a lugar nenhum? Alguns metros de ciclovia só pq está na lei? Não…

      Curtir

      • Não conheço a fundo o plano cicloviário, mas acho que não precisa ser no mesmo lugar. Uma ciclofaixa pela Nilo ficaria ótima, que é ali perto.

        Curtir

        • Pablo, tem que ser no mesmo lugar. Não é uma compensação. O PDCI prevê uma ciclovia na Anita Garibaldi, portanto qualquer alteração que seja feita nessa via, já deve incluir a implementação da ciclovia.

          Curtir

        • Se deixar assim vão ficar recortando e colando o plano cicloviário e vai virar um labirinto.

          Curtir

      • Renan, a ciclovia está prevista para toda Anita Garibaldi. E a lei que temos é um Plano Diretor Cicloviário INTEGRADO, ou seja, todas ciclovias serão interconectadas.

        A lei prevê que toda modificação em uma via que está listada no PDCI já inclua a implementação de ciclovia. É o que deve acontecer na duplicação da avenida Voluntários, por exemplo e é o que deveria acontecer nessas modificações que querem fazer na Anita Garibaldi.

        Curtir

    • Conhecendo a prefeitura que temos eu não duvido que eles pintem de vermelho a calçada que sobrar e digam que aquilo é uma ciclovia.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: