Donald Trump anuncia construção do maior complexo de torres comerciais do país – na região portuária do Rio de Janeiro

Fabíola Ortiz,  do UOL, no Rio de Janeiro

O magnata dos negócios Donald Trump anunciou, nesta terça-feira (18), que vai investir na construção do maior complexo de torres comerciais do Brasil, Trump Towers Rio de Janeiro. Na imagem, projeção do projeto Divulgação

O magnata dos negócios Donald Trump anunciou, nesta terça-feira (18), que vai investir na construção do maior complexo de torres comerciais do Brasil, Trump Towers Rio de Janeiro. Na imagem, projeção do projeto Divulgação

O magnata dos negócios americanos Donald Trump anunciou, nesta terça-feira (18), que vai investir na construção do maior complexo de torres comerciais do Brasil, Trump Towers Rio de Janeiro. O valor total de vendas pode chegar a R$ 6 bilhões.

O complexo corporativo será erguido em frente a área portuária do Rio de Janeiro.

O projeto terá cinco torres de 150 metros de altura, 38 andares, construído em um terreno de 32 mil metros quadrados na zona portuária do Rio de Janeiro. A construção dos dois primeiros prédios terá início no segundo semestre de 2013, e todas as cinco torres estarão concluídas até 2016.

O projeto das Trump Towers Rio de Janeiro será desenvolvido numa parceria entre a MRP International, a Even Construtora, líder do mercado imobiliário em São Paulo, e a Organização Trump. As Trump Towers não serão de propriedade de Donald Trump. O MRP Group pretende licenciar o uso do nome Trump.

O projeto terá cinco torres de 150 metros de altura, 38 andares, e será construído em um terreno de 32 mil metros quadrados na zona portuária do Rio de Janeiro Divulgação

O projeto terá cinco torres de 150 metros de altura, 38 andares, e será construído em um terreno de 32 mil metros quadrados na zona portuária do Rio de Janeiro Divulgação

Bilionário

Donald Trump ficou mundialmente conhecido por seu reality show exibido na NBC, “The Apprentice”. Ele já faliu quatro vezes e conseguiu recuperar sua fortuna. Seu patrimônio é estimado pela revista “Forbes” em US$ 2,9 bilhões.

O megaempresário é dono da Organização Trump, que tem como principal fonte de lucro a rede hoteleira de luxo Trump Hotel Collection, com hotéis nos Estados Unidos, Canadá e Panamá.

O americano já estudava ingressar no mercado da América Latina e o anúncio do empreendimento no Brasil inaugura esta nova era de investimentos.

Segundo Donald Trump Jr., vice presidente executivo das Organizações Trump, que esteve com o prefeito Eduardo Paes, no Rio de Janeiro, o grupo pretende ainda buscar outras oportunidades no mercado hoteleiro.

“O Brasil é um país que está em surgimento no mercado, e queremos trazer o sabor Trump para o mercado de ultra-luxo. Vamos acertar os detalhes finais nas próximas semanas. Estamos muito interessados nesse mercado”, afirmou Trump Jr.

Imagem representativa do interior do complexo de torres comerciais Trump Towers Rio de Janeiro. O empresário está de olho nos grandes eventos que o Rio irá sediar nos próximo anos Divulgação

Imagem representativa do interior do complexo de torres comerciais Trump Towers Rio de Janeiro. O empresário está de olho nos grandes eventos que o Rio irá sediar nos próximo anos Divulgação

De olho nos grandes eventos

O empresário americano está de olho nos grandes eventos que o Rio de Janeiro irá sediar nos próximos anos, como a Copa do Mundo, em 2014 e, em especial, as Olimpíadas de 2016.

O projeto será costruído na região portuária.

O Rio se inspirou em Barcelona para a recuperação de sua zona portuária. O Porto Maravilha é a maior PPP (Parceira-Público-Privada) do país, envolvendo recursos da ordem de R$ 8 bilhões. A promessa é de recuperação de uma área urbana de 5 milhões de metros quadrados em pleno centro do Rio de Janeiro.

A meta, segundo a CDURP (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto), é construir 4 km de túneis, abrir uma via expressa de alta velocidade às margens da baía de Guanabara, próximo aos armazéns portuários, uma nova avenida chamada Binário, além de demolir, a partir de 2013, 4,5 km do viaduto da Perimetral, o ponto mais polêmico do projeto.

O potencial construtivo da região é de 6 milhões metros quadrados com prédios de até 50 andares.

Imagem representativa do complexo de torres comerciais Trump Towers Rio de Janeiro. O empresário está de olho nos grandes eventos que o Rio irá sediar nos próximo anos Divulgação

Imagem representativa do complexo de torres comerciais Trump Towers Rio de Janeiro. O empresário está de olho nos grandes eventos que o Rio irá sediar nos próximo anos Divulgação

UOL – ECONOMIA



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:, , , ,

30 respostas

  1. Sugadores…

    Curtir

  2. Além do mais, a notícia não corresponde aos fatos, Trump não vai investir NADA, e sim levar uma boa parte pelo uso da sua ‘grife’.

    Curtir

    • Pagar e financiar é bem diferente.

      Curtir

      • Eles usam o nosso dinheiro, Gilberto. e repassam o financiamento para os ‘adquirentes’ levando a sua gorda parte. Que ao menos trouxessem a sua própria grana, né? Precisam usar a do trabalhador – que não tem acesso à ela?

        Curtir

  3. Apenas uma observação. Hoje no Bom Dia Brasil, na Globo, falou que ele pretende fazer apenas 2 prédios e que os outros 3 sairão se houver aceitação e demanda, já que serão os escritórios mais caros do Rio de Janeiro.

    Curtir

  4. Apoio as matérias que tratam de grandes projetos de outras cidades. Não podemos ficar fechados ao nosso pequeno mundo. No que vamos nos espelhar apenas discutindo o que acontece no território gaúcho? Na cultura do atraso que predomina aqui? Nas peripécias do nosso governo?
    Open your mind. 😉

    Curtir

  5. A grande questão é que esse Gilberto F. não entendeu a mensagem de o motivo de ter sido postada aqui essa notícia do Rio ( ! )

    Então eu digo, acho que ele ainda continua não entendendo. Essa notícia do Rio está para REFLEXÃO.

    Curtir

    • Exatamente Paulo! O tema de um blog não é tão rígido assim, de forma que é possível refletirmos sobre a nossa cidade, com base em outras cidades. Não comparar, mas refletir sobre os acontecimentos sim.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: