Por não tiveram a ideia de tombar o Eucaliptos, muito mais antigo?

Impressionante a ideia do Vereador Pedro Ruas, de tombar o Estádio Olímpico !

Não tem sentido algum. O estádio possui 58 anos.

Mas o grande problema não é esse e, sim, a quebra do contrato do Grêmio (proprietário do Estádio) e da OAS, em pagamento (parcial) pela construção da Arena.

Uma quebra de contratos destas nos colocam fora da rota de investimentos por 50 anos. Talvez seja exatamente isto que ele quer.

Um grande exemplo de modernização e praticamente destruição do passado, é o Estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra.  Será que Wembley não tinha um interesse histórico, afetivo, cultural, muito maior que o Olímpico? E que bom que foi demolido, cidades devem preservar o que é realmente significativo, mas não podem ficar engessadas. Ninguém pensa em demolir a Catedral de Westminster, mas Wembley, claro que pode! E ficou fantástico o novo Wembley!

Por que ele não deu a ideia de tombar o Eucaliptos? O Eucaliptos foi inaugurado em 1931 e foi utilizado na Copa de 1950. Isso sim é ter alguma importância histórica.

Estádio Eucaliptos, construído em 1931, e já demolido para dar lugar a um condomínio.

Estádio Eucaliptos, construído em 1931, e já demolido para dar lugar a um condomínio.

Estádio de Wembley atual

Estádio de Wembley atual

Colaboração:  leitor Pedro.



Categorias:Outros assuntos

15 respostas

  1. O Fluminense está engessado, fisicamente, porque tombaram as Laranjeiras. Constitui um problema para o clube.

    Curtir

  2. E se fizessem uma espécie de “tombamento parcial”? Tipo, preservar os arcos e uma “fatia” do estádio (imaginem uma fatia de pizza…), fazendo ali um centro cultural, um auditório de um centro de eventos, aproveitando a arquibancada, por exemplo…?

    Como gremista, sentirei mais dor ao ver aquele espaço transformado eu um paliteiro típico da McDonaldização arquitetônica, descompromissada da história, do que propriamente pela demolição do estádio.

    Curtir

  3. Porque é o Pedro Ruas!
    Alguém me diz uma única coisa de útil que ele fez para POA?

    Curtir

  4. O que eu me pergunto é como que ainda tem gente que vota em Pedro Ruas, Luciana Genro, Tarso e afins! PQP!!! povo burro esse! Como dizia o mestre Chico Anisio “eu tenho pavor de pobre, só serve pra pedir e pra roubar!” No meu caso eu tenho pavor do povo!

    Curtir

  5. O Eucalíptus tinha história, foi presente do Governador Ildo Meneguetti, e deixaram ele ficar no estado que ficou, culpa do S.C. Internacional, que quis vende-lo e o fez.

    Escrevi num comentário recente, que queriam fazer isto e fui mal interpretado.

    À aqueles que cairam em cima de mim, sem saber o que estava se passando aí, e um detalhe, resido à quase 500 km de Porto, os que moram aí parece que não ouviam os programs de rádio.

    Não concordo com o tombamento, é golpe contra a construtora!

    Se realmente quizessem preservar o Olímpico, não deveriam aceitar o negócio, deveriam reforma-lo como estão fazndo com o Beira-Rio.

    Agora senão querem vê-lo cair abaixo, que desapropriem-no e indenizem a OAS, talvez diponibilizando uma área proporcionalmente de igual valor à area do Olímpico, ou com a parceria da iniciativa privada para ajudar a pagar à OAS, não poderia ser com dinheiro público, como todos a maioria do clubes do país fizeram no passado e ainda o estão, a história do Grêmio é limpa.

    Se não há dinheiro para a saúde, segurança, educação etc., terá para mante-lo? Não!

    Dizem que já fizeram uma pesquisa sobre os reflexos que terão na região, na construção de condomínios de prédios, o aumento do número população, mas será que a infra-estrutura atual do bairro dará conta realmente como estão dizendo por aí?

    Admitamos,que chegassem num acôrdo, transformar o Olímpico numa espécie de Estádio Municipal, para ser utilizado pelas escolas, colégios públicos, para jogos como Olimpíadas e campeonatos escolares e amadores, shows, etc., teria que servir para gerar renda ao município, alugar para empresas e colégios privados, teria que se sustentar e criar renda para o município, para o povo porto-alegrense, mas como estão dizendo, seria um gigante
    elefante branco!

    Com certeza comeria os recursos públicos, igual a Ponte Hercílio Luz, que está interditada faz trinta anos, por ano o município de Florianópolis paga uma fortuna para mante-la só por ser um cartão postal, quem ganha com isto? Como é dinheiro público mesmo, não é de ninguém, dane-se o povo, vamos encher os nossos bolsos e o resto que se exploda.

    Nunca gostei de retirarem a sede da Azenha, acho que poderiam fazer a Arena no mesmo espaço do Olímpico, mas agora que está feito, o Grêmio tem que entregar à OAS, e que nunhum político oportunista de plantão venha com projetos para tentar não deixarem que seja demolido, deveriam ter pensado nisto antes, agora já era!

    Curtir

  6. Existem várias formas de realizar um tombamento. Seguramente no caso do Olímpico, um valor teria de ser arbritado judicialmente. Prejuizos haveriam se a estimação arbritada com base de levantamentos técnicos ficase abaixo do real negociado, antes pelas partes (caso de um super faturamento). Outra parte é de que o Município deveria, a partir do tombamento, ter a responsabilidade pela gestão do espaço, sua utilização e manuntenção. Não vejo situação de quebra de contrato, pois o tombamento não é decisão e responsabilidade de nenhuma das partes envolvidas. Se há recursos e interesse do Município para isso, que seja então tombado. Não vejo maldade em Pedro Ruas por sua simples proposição no plenário, acho que está desempenhado bem seu papel.

    Curtir

    • Até onde sei (posso estar enganado), não é bem assim. O bem é tombado mas cabe ao proprietário dar toda manutenção. O município é responsável por ele quando há desapropriação. Por isso que muitos bens tombados acabam desmoronando com o passar dos anos.

      O Pedro ruas está sendo visto por muitos como oportunista por que criou essa polêmica agora mas estava inclusive envolvido no conselho do Grêmio durante as negociações, e isso já faz bastante tempo.

      Seria quebra de contrato por que a construção da Arena foi paga, ao menos em parte, com a cessão do terreno para OAS, onde ela pretende construir um condomínio. Manter todo aquele estádio de pé inviabilizaria o projeto deles.

      Curtir

      • Perfeito comentário Felipe. É exatamente isso.
        O tombamento em si não transfere a responsabilidade do imóvel. Continua sendo do proprietário. É por isso que muitos prédios antigos acabam incendiando na madrugada também…

        Curtir

  7. Tombamento não resulta necessariamente em abandono. No caso específico do Eucaliptos, faltou um tino, uma visão ao empreendedor. Uma vontade de sair da mesmice. Uma opção seria ter construído algo com um centrinho comercial dentro da “casca” do Eucaliptos, mantendo as torres residenciais na área onde era o gramado. Todo mundo sairia ganhando.

    Já no caso do Olímpico, acho muito difícil de manter a casca do estádio e ainda assim garantir um uso suficientemente rentável. Não sem um bocado de “licença artística” sobre o que se manteria do prédio original do estádio. Para dar um exemplo do que falo, olhem o o estádio do Arsenal[1]. Mantiveram um pouco a casca, mas adaptaram bastante para alcançar um uso residencial rentável; nada insano como propor o uso como “escolinha de futebol” ou coisas do gênero.

    [1] http://www.highburysquare.com/

    Curtir

    • Ia ter fila de Gremistas se dispondo a pagar caro por algo similar a esse do arsenal 🙂

      Curtir

    • Voltando ao Eucaliptos, a área onde ficava a arquibancada não vai virar praça? Acho que para implementar esta ideia teria que reduzir a área condominial sim.

      Curtir

    • Cara, a grande diferença desse estádio do Arsenal, que eu adorava aliás, é que a fachada dele em nada lembra um estádio estilo blocão de concreto com os degraus aparecendo, como os estádios brasileiros. A fachada dos estádios europeus é tão ou mais espetacular que seu interior. Eu, como colorado, sinceramente acho triste terem derrubado o Eucaliptos, mas era um estádio feio, meio inacabado, não acho que mantê-lo fosse levar a algum lugar. O mesmo eu acho do Olímpico. Se tivessem reformado, acho que poderia sim ficar bom, mas já que foi descartado pelo Grêmio, não faz mais sentido que ele exista.

      Curtir

  8. Também acho, o Eucaliptos teria mais interesse cultural, mas de qualquer forma já demonstrou que o destino de um estádio tombado é abandono.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: