Monumentos escondidos – atualizada

Passei dias atrás através da Praça da Alfâdega, tentando admirar os prédios mais lindos da cidade (e talvez do Estado) em volta. Mas não dá. Estão todos cobertos pelo mato pelas árvores. OK, sou todo a favor de árvores em todos os lugares, porém aqui é uma bizarrice demoníaca. A “poda” que fizeram na praça ainda é insuficiente. Precisaria tirar todas as árvores mais baixas e elevar drasticamente a copa das maiores.  Sei que esta opinão será execrada pelos ecologistas e amantes de verde (eu sou amante de verde) mas aqui o peso arquitetônico dos pouquíssimos tesouros urbanísticos desta cidade prevalece sobre o número e importância de árvores. Há inúmeras inúmeras ruas e praças e recantos do centro sem nenhuma árvore. Mas ali, estão estragando uma paisagem urbanística única.

Tente admirar os prédios abaixo. (clique, as fotos são grandes)

1

2

3

Porém, pasmem, nos poucos vãos onde se pode contemplar os monumentos arquitetônicos, se PLANTOU mais árvores (abaixo) !!!!!! Como?? Além disso, se plantou árvore a poucos centímetros de outras árvores? Para fazer uma cortina ainda mais fechada?

Fotos-0016_3

Abaixo, um exemplo de todos os galhos que podiam ser podados (em laranja) sem matar nenhuma árvore .

5

Para finalizar, as fontes estavam secas. (Alguém conferiu se elas estavam desligadas assim a semana toda?)

Fotos-0008_3

Atualização

Em resposta ao comentário do nosso amigo Gilberto F que disse que só reclamamos (bom, eu reclamo muito, mas tem muita coisa errada pra reclamar mesmo, e quando tem coisa boa sou o primeiro a elogiar, como no caso dos bondes e do veto do prefeito ao tombamento lunático do Pedro Ruas do estádio do Grêmio), algumas considerações a mais.

A coordenadora do Projeto Monumenta, Briane Bicca, disse que “Levantamos toda a série de imagens antigas que estavam disponíveis, e também todos os elementos históricos, porque não havia uma história da Praça da Alfândega”. Bom, não sei porque,  visto que o aspecto geral da praça não foi restaurado (vide foto abaixo, que parece ter sido tirada em Berlin, Praga ou Budapeste – magnífica!). Briane contina dizendo que ” a Alfândega é uma praça clássica e eclética, bem ao estilo francês, com grandes passeios com eixos transversais, mas com jardins de influencia inglesa”. Não vejo nada disso no jeito como ficou.

Matérias da época da restauração da praça apregoavam: “As obras, que já se estendem por dois anos e nas quais serão investidos R$ 3 milhões, buscam dar à Praça a imagem que ela tinha nas primeiras décadas do século XX. No seu entorno, podem ser admirados belos edifícios, projetados pelo arquiteto alemão Theo Wiederspahn, como o Santander Cultural, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul e o Memorial do Rio Grande do Sul”.

Sinto muito, MONUMENTA, mas não dá, no seu entorno, para ser admirado,  infelizmente.



Categorias:Arquitetura | Urbanismo

Tags:

27 respostas

  1. Excelente post do Marcelo. As árvores precisam ser podadas com certeza. Isso é uma praça e não uma RESERVA FLORESTAL. É bem diferente. E ninguém aqui é contra árvores, pelo contrário. Urge uma readequação da praça.

    Curtir

  2. Alguns confundem arborizacao com paisagismo descente.

    Curtir

  3. Marcelo, concordo contigo, eu fotografo prédios históricos e acho a maior dificuldade achar um ângulo bom, quando não são árvores são postes e fios de luz atrapalhando. E essa de dizer que o ângulo que tu fotografou é tendencioso? é furada, em Poa realmente não se consegue um bom afastamento para uma boa fotografia, sempre tem algo atrapalhando um bom enquadramento.

    Curtir

  4. Desinteresse!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: