Movimento de passageiros em 2012 nos aeroportos do Brasil

De Janeiro a Dezembro de 2012, o Aeroporto Internacional Salgado Filho recebeu 8.261.355 de passageiros, ficando na 9ª colocação nacional.

Abaixo o top 10 dos aeroportos mais movimentados no ano passado:

1. São Paulo (Guarulhos) – 32.177.594
2. Rio de Janeiro (Galeão)- 17.491.744
3. São Paulo (Congonhas)- 16.775.785
4. Brasília – 15.665.045
5. Belo Horizonte (Confins)- 10.200.348
6. Rio de Janeiro (Santos Dumont)- 8.960.345
7. Campinas – 8.824.074
8. Salvador – 8.528.837
9. Porto Alegre – 8.261.355 – 5,5% a mais em relação a 2011
10. Curitiba – 6.825.666

Porto Alegre - Lisboa direto pela TAP é um dos grandes sucessos do Salgado Filho. Foto: José Arthur Eidt

Porto Alegre – Lisboa direto pela TAP é um dos grandes sucessos do Salgado Filho. Foto: José Arthur Eidt

Alguns números para Porto Alegre

  • Movimento de aeronaves (tráfego doméstico): 10ª colocação nacional, com 86.755 aeronaves, -2,0% a menos em relação a 2011.
  • Movimento de aeronaves (tráfego internacional): 3ª colocação nacional, com 9.941 aeronaves, -10,1% a menos em relação a 2011.
  • Movimento total de aeronaves: 10ª colocação nacional, com 96.696 aeronaves, -2,9% a menos em relação a 2011.
  • Movimento de passageiros somente na área doméstica: 7.606.507 passageiros, 4,7% a mais em relação a 2011.
  • Movimento de passageiros somente na área internacional: 654.848 passageiros, 15,3% a mais em relação a 2011.
  • Movimento de cargas (doméstico): 16.648.883 t – -27,5% a menos em relação a 2011.
  • Movimento de cargas (internacional): 5.745.444 t – 14,0% a mais em relação a 2011.
  • Movimento de cargas (total): 22.394.327 t – -20,1% a menos em relação a 2011.
  • Mala postal total: 8.053.220 – -10,1% a menos em relação a 2011.

Fonte: Infraero / Blog PoaaoVivo

Anúncios


Categorias:Aeroporto Internacional Salgado Filho, Aviação

Tags:

65 respostas

  1. Para registro, acho meio inviável a ideia de unir os dois sítios aeroportuários (BACO e SF), pois além de envolver muitas desapropriações, a construção de uma taxiway com essa extensão toda não é algo barato.

    Agora, deixando essa ideia (que, noto, seria interessante se não fosse tão cara) de lado, como o Paulo Roberto explicou, a evidência de que é perfeitamente viável e seguro operar as duas pistas comercialmente abunda nos exemplos dos grandes aeroportos mundo afora dotados de pistas cruzadas. O conjunto BACO + SF seria funcionalmente equivalente a um aeroporto desse tipo, diferindo apenas na existência de dois terminais.

    O Jececler insistiu tanto num exemplo e acabei me lembrando do Schiphol, em Amsterdam. Este aeroporto é dotado de 7 pistas, sendo 6 usadas para aviação comercial. Observem na imagem como as retas projetadas a partir das cabeceiras das pistas Kaagbaan e Polderbaan se interceptam.

    Resolvi botar os meus conhecimentos de geometria moderna em prática e me prestei a medir a distância entre as cabeceiras, e deu 4800 metros. Também me prestei a medir a distância das cabeceiras até intersecção das projeções, e deu 5700m e 2500m.

    Aí fui comparar com a situação daqui (considerando o SF com pista expandida), e obtive 5300 metros entre-cabeceiras, e projeções com 15700m e 13800m. Where’s your argument now?

    ps.: já preparando para a argumentação (até razoável) de que o Schiphol pode estar operando decolagens em uma pista e pousos em outra, já vou colocar o seguinte: o plano do futuro para o Schiphol inclui a construção de um segundo terminal, usando a área entre a Zwanenburgbaan e a Polderbaan; ora, com terminais dedicados a essas pistas, é evidente e ululante que elas operariam pousos e decolagens “conflitando” com as pistas mais próximas ao terminal atual. Ou seja, dá pra fazer.

    Curtir

    • Fmobus, só vi a tua resposta agora! As taxyways são bem mais baratas do que uma pista de decolagem/aterrissagem, pois não requerem as mesmas exigências técnicas extremas que uma pista exige, embora, é claro, sejam vias cuja construção é bem mais onerosa e técnica do que uma via urbana convencional. A extensão dela seria praticamente equivalente à extensão de uma grande pista de um grande aeroporto, ao qual muitas vezes se percorre distância semelhante em uma taxyway paralela até atingir à sua extremidade para decolar ou voltando por ela após aterrissar. Quanto às desapropriações, lembre-se que o terreno de Portão não é de graça e que terá um alto custo também. A diferença é que em vez de desapropriar áreas que talvez pertençam a duas ou três pessoas em POA/Canoas, em Portão pertence a um só dono talvez. Todavia tais áreas de POA e de Canoas talvez até pertençam ao Estado ou às respectivas prefeituras. Ainda que talvez saia um pouco mais caro (acredito que nem deve sair mais caro), acho que ainda assim valeria à pena, pois a pista do Salgado Filho já tem projeto para a sua extensão de pista pronto para a execução e a pista da base aérea já está pronta, o que nos deixa no mínimo uma década à frente do que se fôssemos começar um aeroporto totalmente do zero lá em Portão. Sim, e tem a vantagem do que se economizará depois no deslocamento. Considerando que o uso majoritário dele é de/para POA mesmo, imagine quanto de tempo e gasolina/diesel serão poupados à longo prazo com um aeroporto 30 km mais perto.

      Curtir

  2. Liberem BACO para GOL ou TAM, e fazer o povo chegar lá. Mande os milicos para Santa Maria. Pousos e decolagem… é só coordenar e sem operação-padrão….

    Curtir

  3. Vejam como o complexo aeroportuário do galeão é gigante nesta foto! E ele abriga simultaneamente a base aérea do galeão. Nosso SF + BACO tb pode ser!

    Curtir

    • Nós gaúchos complicamos muito as coisas! Incrível! Não canso de olhar essa foto do Galeão! Ele é um complexo aeroportuário. É ao mesmo tempo, civil, cargueiro e militar e suas pistas são cruzadas e utilizadas simultaneamente uma para decolar e outra para pousar. Vejam como ele é imenso (é o maior terreno à disposição de um aeroporto no país, ocupa boa parte da Ilha do Governador). Vejam como os seus gigantes terminais ficam minúsculos dentro do sítio aeroportuário. Vejam a distância da extremidade mais longe de uma das suas pistas até chegar nos terminais. A BACO permanecendo ou não onde está, pode a mesma independentemente disso ser unificada ao salgado filho e virar o complexo aeroportuário salgado filho. E podemos fazer pátios e terminais entre a BACO e o SF, junto às margens da Freeway. Podemos inclusive fazer os aviões circularem por terra passando acima da freeway. Ninguém discute a existência de pistas cruzadas em aeroportos mundiais. Então (BACO + SF) = um aeroporto com duas pistas cruzadas (só faltando interligá-las por terra). Mais um possível aeroporto com pistas cruzadas. O que não falta nesse mundo são pistas cruzadas dentro de um mesmo aeroporto, quase tão comuns como as que são paralelas. SF + BACO = NOVO POA. Um aeroporto único, com duas pistas cruzadas. Mais um, como tantos outros.

      Curtir

  4. Só esqueceram de um detalhe: na direção leste, as aerovias da BACO e do SF se cruzam, mais ou menos ali em Viamão (Radio Farol do Passo das Figueiras). Então as duas pistas operando simultaneamente, NO WAY! (como já acontece hoje)

    Curtir

    • Muitos aeroportos têm até pistas cruzadas operantes. Muitos mesmo. E, além disso, uma pista também poderia operar só para decolagens e outra apenas para aterrissagens e elas serem interligadas por uma taxiway passando acima da freeway, como em Phoenix.

      Só pra exemplificar:

      San Francisco:

      Galeão (RJ):

      E no Rio uma das pistas do Galeão ainda vai no mesmo sentido do Santos Dumont.

      Já no Santos Dumont logo que decolam ou quando estão prestes a pousar os aviões fazem uma brusca e grande curva para desviar do pão-de-açúcar. Ou seja, os aviões da BACO e do SF não precisam voar em linha reta até se cruzarem caso as pistas operem simultaneamente no mesmo sentido.

      Santos Dumont:

      http://farm8.staticflickr.com/7121/7487974378_5b5a6662be_z.jpg (pousando)

      e

      http://farm7.static.flickr.com/6173/6172176331_66d3ebd64e.jpg (decolando)

      Galeão + Santos Dumont:

      Curtir

      • Outra interessante do Galeão e Santos Dumont juntos:

        SBGL é o Galeão e SBRJ é o Santos Dumont:

        Curtir

        • Por fim, o cruzamento do SDU com a outra pista do GIG:

          Curtir

        • Exato, Gilberto! Falta apenas vontade política, vontade esta que já tem um direcionamento que não é o do interesse do povo e sim o do dono da área de Portão e o das construtoras interessadas em construir mais alto em POA e até mesmo construir na área do SF. Pena a grande mídia não levantar esses questionamentos aos políticos. E com o fechamento do SF POA ainda deixará de receber os poucos turistas que recebe, pois aquele povo que vem conhecer Gramado e dorme uma noite em POA nem chegará a passar por POA qd vier para Gramado. Nossa POA, que já é pouco conhecida pelo resto do país, ficará menos conhecida (ou mais desconhecida) ainda. Uma lástima.

          Curtir

      • Paulo,

        Galeão está há 8 milhas do SDU.
        Aerovia é diferente de uma planta baixa terrestre. Como o Alex disse, sem chances.

        Essa idéia SF+BACO não tem lógica completa, pois, para utilizarem o mesmo terminal (SF), haveria a necessidade de muitas desapropriações.

        Curtir

        • Jeclecler, respeito a tua opinião. Mas o Paulo tem apresentado diversas imagens, e está argumentando muito bem. Tu só falas que não dá. Não dá. Não dá por que ? Pode argumentar mais para enriquecer a discussão? Só o “não dá” não vejo muito futuro nesta discussão. Se puder trazer dados mais técnicos, ou provar que não dá de forma técnica…

          Curtir

        • Gilberto, se for construir o mega aeroporto em Canoas, o SF será desativado. Não há como dois terminais separados atuando simultaneamente com aerovias se cruzando.
          Ele apresentou o SDU e o GIG, mas estão bem mais distantes que as 3 milhas (na verdade o triplo disto).
          E se for POA-BACO atuando com um terminal somente (POA), seria o problema das desapropriações (que já foi uma batalha infinita na Vila Dique, imagina com aqueles prédios comerciais e indústrias que estão a crescer na região)

          Não sou o dono da verdade. Só pedi um exemplo (já que ele falou que existem vários no mundo). Não conheço nenhum. E, esse argumento do Google maps não tem nada de técnico, não me convenceu. Só pedi um exemplo, respeito a opinião também.

          Curtir

          • Para pessoas que não entendem de aviação fica difícil compreender por que não daria. Eu entendi o que vc falou mas ainda não existe uma explicação por que com 3 milhas não daria e com 8 milhas dá… Em contrapartida há aeroportos com 2, 3, 4 pistas, algumas se entrecruzando. Valeu!

            Curtir

        • (e quanto as negativações, pode poupar Joules – quem for – que não me importo) 🙂

          Curtir

        • Cruzando não é problema quando operadas pelo mesmo terminal.

          http://www.mecanicodeaeronaves.com/images/aerovias.jpg tem esse mapa das aerovias sobre POA. Existem aviões que não param em POA, que apenas bloqueiam o espaço daqui.

          Curtir

        • Jeclecler, não exigiria grandes desapropriações, pois com a retirada da vila dique o caminho fica livre entre o futuro final da pista do salgado filho ampliada e a base aérea de canoas, sendo apenas cortada pela freeway. Trata-se de uma grande área livre e alagadiça, passível de drenagem, que se não for das respectivas prefeituras de Canoas e POA ou do Estado do RS, ainda assim valeria à pena. Afinal, a área de Portão também teria que ser adquirida, pois tem proprietário.

          O Galeão e o SDU estão na mesma rota, um pouco mais distante apenas. Todavia a rota seria a mesma, se não houvesse um desvio operacional na aerovia justamente para não haver choque entre as operações. Observe que as pistas do galeão se cruzam e operam simultaneamente uma com pousos e outra com decolagens. E veja também que o Santos Dumont está MUITO próximo do Pão-de-Açúcar e ainda assim os voos decolam e desviam dele. Ou seja, os aviões da BACO e SF só se cruzam se “quiserem”, pois há a possibilidade de desvio, bem como de decolagens numa e aterrissagens na outra. O terrenão está ali todo livre. Basta construir uma taxyway ligando a pista do SF ampliada à BACO passando acima da freeway. A pista do SF ampliada e a da BACO teriam juntas o mesmo que querem nos oferecer em Portão, com a diferença que a pista do SF ampliada já é um projeto em vias de execução e a da BACO já está pronta, assim como o SF já tem em andamento o seu novo TECA e o projeto executivo de seu novo terminal de passageiros, ou seja, muito mais rápido do que 20 anos por um novo aeroporto inteiramente novo e muito mais perto. E a BACO nem precisaria deixar Canoas se não quisesse, convivendo com o SF como a base do galeão o faz com o aeroporto do galeão no mesmo local.

          Curtir

        • Cruzado não é problema nem no mesmo terminal nem em outro se a altitude ou o sentido forem diversos. Vivo esta realidade constantemente e sei do que estou falando. Se a INFRAERO consultasse os técnicos ao invés de consultar os políticos, nossa realidade seria outra. Enfim, já disse o que tinha para dizer, quem quiser encaminhar ao Bureau da PMPA e ao Sindicato Hoteleiro de POA e as demais entidades que apoiam a permanencia do SF estará fazendo com que esse despejo pelo ralo do que se investiu no SF não ocorra.

          Curtir

  5. Gilberto, veja um exemplo que nossos políticos poderiam se inspirar.

    Phoenix, Arizona (USA). Possui o mesmo porte de POA. Lá é um hub regional de conexões, o que o nosso SF + BACO também poderia ser na região sul e mercosul.

    Veja as fotos:

    Mapa do aeroporto:

    “Foto” aérea (satélite – Google):

    Visão dos terminais e pistas:

    http://www.airport-data.com/airport/photo/004466L.html

    Viaduto:

    Monorail:

    Monorail passando sobre os aviôes:

    Avião passando em rampa em cima de grande avenida:

    Ou seja, poderíamos unir as operações da BACO e do SF. Muito melhor do que desativar o SF. E se descentralizarmos a aviação gaúcha como fizeram no PR aliviará mais ainda o nosso SF.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: