Caça a procuradores de táxi

Resolução da EPTC publicada nesta segunda (28) no Diário Oficial de Porto Alegre define que cada prefixo de táxi de Porto Alegre poderá ser representado por apenas um procurador constituído, pelo período máximo de um ano, e que a procuração só será aceita nos casos comprovados de impossibilidade de comparecimento do permissionário original à EPTC.

A EPTC identificou os 49 procuradores que mais utilizaram procurações para representar serviços, totalizando 280 veículos dentro da frota de 3.925 táxis da Capital. Estes permissionários e seus procuradores serão chamados pela empresa, a partir desta semana, para esclarecimentos e terão sua procuração, com firma reconhecida por autenticidade, retida pelo órgão gestor.

Affonso Ritter



Categorias:taxis

Tags:

11 respostas

  1. Vamos ver se eu entendi… falta taxis em POA e a solução da prefeitura foi reduzir o número de motoristas, mantendo o mesmo Nr de licenças?

    Ou seja, resolveu o problema das “máfias”, mas piorou o problema da falta de taxistas.

    Curtir

    • O problema tem de ser enfrentado, a começar pela parte ilícita Adriel. Paciência.

      Curtir

      • Se dessem permissão para todo mundo, não existiria este mercado ilegal de permissões pois não seria lucrativo.
        O problema do excesso de poder dos taxistas frente a ausência de concorrência continua (se é que não piorou).

        Pode ser um começo, mas começou atacando o menor dos problemas criando potencialmente outro maior.

        Curtir

      • Se derem permissão para todo mundo vira bagunça, acho que sempre dá para achar um meio termo, sem reserva de mercado mas com fiscalização e controle de quem está prestando o serviço.

        Curtir

    • Isso obriga o táxi a voltar para seu permissionario original ou, na incapacidade deste de operar o serviço, que ele devolva a permissão à prefeitura. Num primeiro momento não resolve, mas a médio prazo sim.

      Curtir

  2. Uma ótima notícia! Está aí uma atitude que eu concordo com a EPTC!

    Curtir

  3. isso vai surgir o numero de laranjas.

    Curtir

  4. deixa eu ver se eu entendi bem:
    Cada placa de taxi, valia há 6meses atra, não menos de R$ 300mil
    Daí, o MT diz que nao pode ter mais de uma placa por pessoa e os “barões do taxi” simplesmente perdem milhões?
    Fico imaginando os caras que tem 1 placas… PERDERAM 3milhões? pode isso?

    Curtir

    • Pode claro. É o mesmo que acontece com um traficante que tem seus bens adquiridos com receitas vindas de atos ilícitos apreendidos. A legislação já proibia o comércio de permissões de táxi, pois a mesma era doada sem custo. Comercializar uma permissão de táxi portanto seria o mesmo que vender uma praça, ou qualquer outro bem público.

      Digo mais, os barões deviam ser processados criminalmente. Tem ampla base para isso na lei.

      Curtir

    • Perdeu os 3 milhões, a prefeitura deveria apreender e depois leiloar junto com as permissões os veículos já que taxistas tem um bom desconto na hora comprar os carros e ainda pagar uma multa.
      No meu pais também levaria uma camaçada de pau pra não tentar ser malandro de novo, mas vamos deixar por assim mesmo.

      Curtir

  5. Caiu a casa…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: