Passagens gratuitas serão revisadas em Porto Alegre

As passagens gratuitas nos ônibus de Porto Alegre já atingem 35% do total e seu peso no custo das tarifas ultrapassou o limite razoável, segundo o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari. Por isso, a Prefeitura está reavaliando os que têm direito a elas.

Outro item que pesa muito é a folha salarial, porque o salário dos rodoviários em geral é o segundo maior do País e o dos cobradores em particular o primeiro.

Em terceiro lugar vem a frota de ônibus, que representa 25% do valor final da tarifa.

Diante disso, é plano da EPTC buscar reduzir este ano os impactos das contas na tarifa para reduzir seu valor, onde está inserida a questão levantada pelo TCE de incluir no cálculo da tarifa só a frota operante e não a total.

Affonso Ritter



Categorias:Outros assuntos

Tags:,

23 respostas

  1. ha que legal! quem sabe se tira o emprego de vcs tb colocando uns robos pra trabalhar??? patetico!!!!! é 8 ou 80 mesmo!

    Curtir

  2. Não precisa necessariamente acabar com as isenções. É só disciplinar o uso e acabar com os cartões de isenção sem limite. Simples, o cara precisa de passagens pra tratamento de saúde? Então da X passagens pra ele ir e voltar as X/2 vezes que ele precisa ir fazer o tratamento. Esses cartões com passe isento sem limite só servem pra emprestar por tio, pra tia, pro vizinho, pro filho…enfim. É um total desvio de finalidade.
    O mesmo vale pros rodoviários, deveriam receber VT como os demais trabalhadores. E claro, aumentar a fiscalização pois tem muito cobrador passando cartão de idoso que não passa a roleta e embolsando o valor da passagem do próximo usuário.

    Curtir

  3. Acho que a prioridade maior é LICITAÇÃO PARA O TRANSPORTE PÚBLICO.
    Como o pessoal andou falando aí em cima, o Capellari tá enrolando tudo só pra não fazer licitação. Ficam colocando culpa até no salário dos rodoviários, no preço da gasolina e tudo o mais.
    Se colocassem a passagem de volta para 1,70 tirando isenções, dou 4 anos para ela voltar para 2,50. Isso aí é máfia e das brabas.

    Sinceramente, desconfio de todos os cálculos que a EPTC faz, desde que foi revelado que eles contabilizam os ônibus reserva no cálculo da tarifa, só para diminuir a eficiência do sistema.

    Curtir

  4. Em Londres não tem cobrador. Você entra e mostra o passe pro motorista, que da uma olhadela. Raramente aparece um fiscal e solicita o passe. Na hora de comprar o passe o preço varia de acordo com a distância que você anda (a cidade é dividida em zonas) e com o prazo do passe. O custo unitário da passagem cai se você comprar um passe mensal, o que é totalmente lógico. É só pegar as boas práticas e aplicar aqui. E licitação já, fim da máfia do transporte público. Quanto à redução do preço da passagem, cabe a nós pressionar o poder público. Povo passivo realmente nunca terá redução em tarifa alguma!

    Curtir

  5. E fim do passe livre também! Não existe nada “gratuito”. Tudo é passado ao pagante.

    Curtir

    • Sempre gosto deste racionício (por sinal usado pelo atp-lari): se o segundo passe é livre ele é um custo e deve ser computado. Se eu pego um ônibus e ando 1km e desco do carro azar é meu e o lucro da empresa.

      Honestamente acho que devia é mudar a forma que as empresas são pagas. Deviam receber por dispor um serviço, não por transporte um nro “x” de pessoas.

      Curtir

    • Uns anos atrás fiz uma estimativa do que aconteceria com o preço da passagem se não houvesse isenções, meia passagem e cobrador. Concluí que o preço da passagem poderia reduzir em quase 40%. Ou seja, de R$2,85 iria para R$1,70, o que é perfeitamente razoável para todos.

      Curtir

      • Vamos supor que isso ocorra, tipo, amanhã! Bom, de cara, o que iria ocorrer é que diriam que a passagem está defasada, e iam inventar um monte de coisa para que ela não baixasse, mas sim, manter o valor atual por mais uns 2 anos, reduzir passagem? Duvido, nem mesmo nesse calculo para o novo aumento, pois tbem falam que ela é para reduzir e todos sabemos que ela vai é aumentar e mais uma vez vão dizer que influencia no preço é o aumento do combustivel, pneu, salarios, e por aí vai. Mas que seria uma boa que a passagem reduzisse, seria!

        Curtir

      • No papel é bonito, mas enquanto houver oligopólio não existe esse tipo de racionalização de preços.

        Curtir

      • Ao menos seria uma categoria e sindicato a menos enchendo o saco: a dos cobradores.

        Curtir

    • Passe livre só em dia de vacinação e olhe lá.

      Curtir

  6. E sobre os salários, não haverá redução do número de cobradores com a implantação do BRT? Acho que implantar estações BRT pela cidade sim é a maneira correta de reduzir custos. Na boa, ter alguém dentro de cada ônibus para cobrar passagem é coisa de país de 5o mundo.

    Curtir

  7. Honestamente não entendo como as passagens gratuitas somam uma porcentagem tão alta. Isso inclui a segunda passagem gratuita do cartão tri?

    Curtir

  8. Cappellari está propondo uma revisão na planilha para não fazer a licitação. Pode escrever!

    Curtir

  9. Deem uma geral nos “consorcios”, e olhem os salarios dos diretores deles e dos altos funcionarios, e vão ver uma discrepancia bem interessante, sempre recai sobre os trabalhadores. Querem é aumentar os lucros isso sim, ainda mais agora que inventaram a segunda passagem gratis, com certeza estão vendo que não foi uma coisa legal de ter sido feita pro bolso deles.

    Curtir

  10. Cobrador e roleta dentro do ônibus = símbolo da desorganização.
    São desorganizados demais pra fazer um sistema de pré-cobrança e a população desorganizada demais pra usar um.
    Isso vai ter que começar uma hora ou outra, cobrador no ônibus é patético.

    Curtir

    • Bem, quando resolveram fazer um sistema de smartcard todo complexo já ferraram com os custos né? Em vez de usar esse cartão chipado deviam usar cartões estilo os que se usa em orelhão, e vendê-los em farmácias, lotéricas, etc. Não há justificativa para ter cobrador!

      Curtir

  11. Beleza, retira o cobrador de dentro do ônibus. Vai prejudicar talvez uns 500 cobradores, mas vai beneficiar uns 500 000 usuários com mais espaço dentro do ônibus, mas agilidade, menos peso gastando combustível e redução do preço da passagem.

    Curtir

  12. Mas ……., que jornalista chapa-branca. Nenhum questionamento sobre os pontos levantados pelo TCE.
    Jornalismo no paralelo 30 = profissão mais antiga do mundo .

    Curtir

    • Pior que é verdade!
      – Custo de ônibus parado = ônibus andando?
      – Percurso médio é bom para o usuário? Percurso médio grande é ziguezague!

      Curtir

    • Tem que acabar com esta palhaçada de passagem gratuita. Todo mundo deveria pagar, sem exceções, exceto se o dono da empresa de ônibus tivesse de acordo em isentar/subsidiar. E aqui incluo idosos, carteiros, estudantes e polícia. Na verdade, acho que seria do interesse da empresa liberar a passagem para policiais, nem precisa de lei para isto.

      Uns anos atrás fiz uma estimativa do que aconteceria com o preço da passagem se não houvesse isenções, meia passagem e cobrador. Concluí que o preço da passagem poderia reduzir em quase 40%. Ou seja, de R$2,85 iria para R$1,70, o que é perfeitamente razoável para todos.

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: