Presidente da FIEP vê espaço para dois grandes aeroportos no Sul

Presidente da Fiep diz que o projeto de um grande aeroporto de cargas no Paraná não compete com empreendimento semelhante defendido pela PwC na região metropolitana de Porto Alegre

Por Marcos Graciani

campagnolo-2-350O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo (foto), é um entusiasta da ideia de que tanto Curitiba quanto Porto Alegre devem contar com aeroportos novos, de grande capacidade de movimentação de cargas. A polêmica a respeito da sobreposição dos dois projetos veio à tona quando a consultoria PwC apresentou ao governo gaúcho um estudo dando conta de que o Estado deveria investir em um novo aeroporto na região metropolitana de Porto Alegre e inclusive promover a desativação completa do Salgado Filho, de modo a gerar mais fluxo para o empreendimento e, com isso, oferecer condições mais tentadoras para investidores interessados em financiar a construção. Na ocasião, o sócio da PwC na região sul, Carlos Biedermann, alertou para o fato de que, caso o projeto não começasse a tomar forma imediatamente, o Paraná poderia sair na frente, pois o projeto estaria mais adiantado (veja matéria aqui: http://www.amanha.com.br/home-internas/4148-o-duelo-de-aeroportos-entre-porto-alegre-e-curitiba).

Campagnolo entende que o empreendimento que primeiro decolar pode até mesmo ajudar o outro economicamente. “O aeroporto que for construído depois poderá ter um investimento menor. Não vejo problema algum no fato de que o sul possua dois hubs, pois temos de conceber uma visão sistêmica para a região em todos os aspectos, inclusive os de infraestrutura também”, assegura.

O otimismo de Campagnolo se deve ao fato de que o Grupo JMalucelli, a maior construtora do Paraná, tem uma sugestão de projeto de um aeroporto focado no transporte de cargas que poderia se situar em Tibagi, cidade próxima de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais. Em entrevista ao portal AMANHÃ, Joel Malucelli, hoje presidente do Conselho do Grupo JMalucelli, afirmou que tem planos de colocar a obra em construção. “Temos um projeto muito grande de centro logístico numa área importante do Paraná, temos um outro projeto de um condomínio fechado de alto luxo… Estou desenvolvendo aquele projeto do aeroporto, estou pensando em um projeto de outlet Center de um shopping Center. Eu vou inventar minhas coisinhas, mas mais tranquilamente”, disse às vésperas de deixar a cadeira da presidência do Grupo ao filho Alexandre Malucelli (clique aqui para ver a entrevista completa de Joel Malucelli). Procurado pelo Portal AMANHÃ, Joel se limitou a dizer que prefere não falar no momento a respeito do projeto de aeroporto.

Enquanto no Rio Grande do Sul o projeto do novo aeroporto divide opiniões, os empresários do Paraná se unem em prol da aceleração do empreendimento. “Tenho recebido várias manifestações de apoio à iniciativa de muitos colegas da indústria. Existe até mesmo certa pressão. Por ser do Paraná, é claro que vou lutar pelo novo aeroporto, mas sabendo que um empreendimento não anula a existência do outro. Temos de sonhar com um horizonte de 20 anos. E nesse cenário o que nos impede de ter dois hubs no sul? Ao meu ver, nada”, argumenta Campagnolo.

Revista Amanhã



Categorias:aeroportos brasileiros

Tags:, ,

9 respostas

  1. Concordo 100% com o JULIAO.

    Curtir

  2. “Mas como vencer a morosidade?
    A questão está em fazer com que os órgãos estaduais tomem a decisão que precisa ser tomada.” Os governantes e empresários do RS só tem interesse no próprio umbigo. É vergonhoso comparar o que o RS já foi e no que nos tornamos. A possibilidade de perdermos mais esta oportunidade é muito grande.

    Curtir

  3. “Enquanto no Rio Grande do Sul o projeto do novo aeroporto divide opiniões, os empresários do Paraná se unem em prol da aceleração do empreendimento.”

    Nesse caso, a maioria dos comentaristas do blog, aqueles que adoram acusar todo mundo, especialmente o PT, de ser “do contra”, resolveram que é errada a ideia de um grande aeroporto encravado numa região com uns 70% da população do estado a poucas dezenas de quilômetros, como se ampliar o Salgado Filho fosse suficiente pras necessidades de carga e transporte da RM e da Serra.

    Curtir

    • Cara, o problema não é o novo aeroporto. A iniciativa privada pode fazer por mim 100 aeroportos se quiser, tanto melhor!
      O que muita gente foi contra aqui era o argumento da consultoria que seria necessário fechar o Salgado filho e o aeroporto de Caxias para viabilizar o novo aeroporto. Aí não dá! Que faá um projeto de aeroporto prevendo que o SF continuará operando. A premissa deles é, no mínimo, prepotente!

      Curtir

  4. É impressão minha ou a conclusão da consultoria está mudou?

    Curtir

  5. Nosso estado se divide entre pessoas sensatas, que sabem que o Salgado Filho pode ser ampliado e dar conta do recado muito bem, e os que estão interessados em ganhar uma grana construindo um aeroporto novo no meio do nada.

    Curtir

    • Sob nenhum parâmetro a ampliação do Salgado Filho pode dar conta, a não ser na cabeça de um porto-alegrense que quer ter meia dúzia de vôos pra Europa-EUA, pra isso tá bom ampliar o SF mesmo.

      Pros outros 60% da população gaúcha que não moram em Porto Alegre e morariam a poucas dezenas de quilômetros do novo aeroporto, e pra nossa indústria, ampliar o Salgado Filho é atestado de falta de ambição.

      Enquanto isso os paranaenses falam num aeroporto novo focado em transporte de cargas. Depois não sabem porque a indústria deles cresce e a nossa não.

      Curtir

      • onde tá “ampliar o Salgado Filho, leia-se “APENAS ampliar o Salgado Filho”.

        Curtir

      • Ninguém é contra a construção de um novo aeroporto para cargas no RS, ainda mais se for feito pela iniciativa privada, desde que o Salgado filho continuem sendo nosso principal aeroporto de passageiros e recebendo os investimentos que precisa.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: