O Parque do Gasômetro

Durante o debate sobre o corte das árvores da Praça Júlio Mesquita foi mencionado que a área constava no Plano Diretor como área para rebaixamento da pista de rolamento existente e criação de um parque.

Realizando uma rápida pesquisa o que se descobre é que em 2007 o recém criado “Movimento do Gasômetro” incluiu entre suas sugestões a criação do Parque do Gasômetro. Na revisão do Plano Diretor de 2009 a criação do Parque do foi apresentada e aprovada.

O seguinte texto foi extraído da “Lei Complementar nº 646, de 22 de Julho de 2010″[1], que trata de alterações do Plano Diretor. Estes trechos são relacionados ao parque. Notem que todos prazos mencionados abaixo já venceram:

Art 154

XXI – 18 (dezoito) meses, contados da data de vigência desta Lei Complementar, para a instituição do Corredor Parque do Gasômetro, mediante lei específica;

XIII – 12 (doze) meses, contados da data de vigência desta Lei Complementar, para a instituição de Largo Cultural, nos termos dos §§ 1º e 2º deste artigo, mediante lei específica;

§1º O Largo referido no inc. XIII deste artigo será constituído, no mínimo, pela Rua General Salustiano, no trecho entre a Rua dos Andradas e a Rua Washington Luiz, incluindo seus prédios históricos tombados ou listados.

§ 2º O projeto que instituir o Largo referido no inc. XIII deste artigo priorizará o espaço para pedestres e espaço cultural e artístico.

§ 3º: O Corredor referido no inc. XXI deste artigo deverá, no mínimo, incluir a orla do lago Guaíba até a ponta do Cais Mauá, o Museu do Trabalho e seu entorno e as Praças Brigadeiro Sampaio e Júlio Mesquita.

O que nos leva a pensar que o parque seria algo similar a esta imagem, cedida pelo blog do Porto Imagem[2]:

trincheira

Como a prefeitura não divulgou adequadamente a obra, só nos resta tentar montar o quebra-cabeças. Aparentemente, o projeto é este (também do Porto Imagem, baseado no Transparência na Copa [5]):

rotula

Ou seja, a obra de duplicação da Evaldo Pereira Paiva não leva em consideração o Plano Diretor aprovado na câmara. Aliás, contradiz ele, considerando que o tráfego de pedestres deveria ser valorizado na região. Notem também que o Parque foi incluído nas obras do Cais Mauá[3] depois de muito esforço por parte de movimentos da sociedade civil[4].

Uma possibilidade levantada seria que a mudança seria a preparação da pista para Fórmula Indy que a própria prefeitura divulgou[6] há mais tempo. É apenas especulação, mas segue o traçado divulgado:

Porto Alegre, RS, 27/04/2011<br /><br /><br />
Mapas da Fórmula Indy.<br /><br /><br />
Foto: Divulgação/PMPA

Cada leitor pode tomar suas próprias conclusões. Este editor particularmente pensa que esta obra da prefeitura é apenas mais uma de tantas outras, sempre valorizando o transporte automotivo e deixando em segundo plano os pedestres ou o transporte de massa. Seria razoável alguma redução da área de lazer para a construção de um trem leve ou similar, mas continuar criando infraestrutura para carros só vai aumentar a poluição da cidade, ao contrário do que pensa nosso prefeito.

Va de bici

Publicado em 15 de fevereiro de 2013 por Felipe X

Fontes usadas pelo Vá de bici

  1. http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/spm/usu_doc/lc_646_para_site-_22_de_julho.pdf
  2. https://portoimagem.wordpress.com/2010/08/20/viva-gasometro-propoe-parque-com-tunel-no-gasometro/
  3. http://www2.camarapoa.rs.gov.br/default.php?reg=16275&p_secao=56&di=2011-12-22
  4. http://www2.camarapoa.rs.gov.br/default.php?reg=15389&p_secao=56&di=2011-09-22
  5. https://portoimagem.wordpress.com/2013/02/07/a-nova-rotula-do-gasometro/
  6. http://www2.portoalegre.rs.gov.br/portal_pmpa_novo/default.php?p_noticia=140711&PREFEITURA+E+ESTADO+FORMALIZAM+PARCERIA+COM+FORMULA+INDY


Categorias:Outros assuntos

Tags:

51 respostas

  1. OFF

    Vanessa da Rocha ‏@Vanessa_daRocha
    Informação de @andrelmachado 14,87% é o índice do pedido de reajuste de tarifa da passagem de POA – Se aprovado sobe para R$ 3,30 @RdGaucha
    Retweetado por Trânsito Zero Hora

    Se for verdade…esse preço é um escândalo.

    Curtir

  2. Esse parque, se for concretizado como os xiitas querem, só vai afastar mais ainda Porto Alegre de seu rio.

    Curtir

  3. Mas uma coisa eu concordo, se vão mudar com as obras do Cais, pra que fazer uma obra agora?

    Ou então apenas duplica e manda acelerarem com as obras do cais, ao menos nessa area.

    Curtir

    • Pois é… E que não fique com remendos entre as obras, tipo um é asfalto o outro é concreto, um tem ciclovia o outro não, um tem calçada de um tipo de calçamento o outro tem de outro tipo.

      Curtir

    • Meu ponto é: estava planejado e aprovado pela câmara, através de lei específica, uma solução subterrânea. Se quiserem fazer 10 pistas façam, mas conforme o que foi planejado, que é uma solução melhor! Melhor por que valoriza o pedestre e melhor pois com o aterro possivelmente reduziria ao menos o tempo de sinal vermelho na sinaleira.

      Agora é ficar na torcida (e protestando) que saia o projeto original.

      Curtir

      • Se sair o tunel, melhor ainda, só quero ver da onde vão tirar essa grana.

        Perfeito vai ser quando o motorista aceitar o ciclista, o ciclista aceitar o motorista, e ambos aceitarem o pedestre, se não vamos ficar nesse lenga lenga pra sempre, e no final, nada vai ser feito.
        Lembrando que é Porto Alegre, as coisas são assim.

        Curtir

      • Construir vias de alta velocidade atravessando parques com certeza não vai contribuir com esse objetivo de respeito de que falas.

        A solução é traffic calming, que é exatamente o oposto do que a prefeitura vem fazendo ultimamente.

        Curtir

  4. Desculpem a indignaçao mas isso e que da raiva em relaçao a esta M de governo que temos em Porto Alegre. Lembro da divulgaçao sobre o parque, estava tudo definido e certo, dai simplesmente ignoram e colocam mais pistas, cortam arvores, etc. Aqui é sempre a mesma historia, divulgam uma projeto lindo, etc, aprovam, todos ficam entusiamados, passa um tempo e quando vc ve fazem uma porcaria, improvisada, cheia de cortes. Muitos exemplos.. Sempre a mesma historia.

    Curtir

    • improvisada?
      Mas quem garante que a duplicação não iria fazer parte?

      Curtir

    • Perfeito Nelson. É exatamente o velho joguinho do “autocad aceita tudo”.

      Que conste: sim, eu quero que a região mude. Sim, ela tem problemas hoje. O que eu questiono é que uma obra que só alarga as ruas e que-se-foda-o-pedestre não é a solução. O projeto com o túnel é bom, mas não existem evidências de que vai sair.

      Curtir

      • Quem disse que o pedestre que se fod*?

        Não vai ter calçamento e uma reforma na praça?

        Curtir

      • Pôxa, lê meu outro comentário mais pra cima. Um projeto que só alarga ruas e bota uma ou duas sinaleiras com 5 minutos de espera (o que conhecendo a prefeitura. é o que vai sair) dividindo um parque ao meio é sim “que-se-foda-o-pedestre”.

        Curtir

  5. Argumentum ad hominem correndo solto por aqui! Que mania de discutir as pessoas e amar as idéias.

    Curtir

  6. Sera’ que esse pessoal nao pensa em outra coisa a nao ser bicicleta? Esse xiitismo fanatico nao ajuda em nada.

    Curtir

    • Onde tá escrito bicicleta no artigo?

      Curtir

    • Blog Va de Bici nada tem a ver com o mesmo grupinho irritante dos cicloativistas, que estao por tras dos ultimos protestos eleitoreiros pro-PT que foram vistos pela cidade. Tudo mentira.

      Curtir

      • É, me parece que vc não leu o texto, apenas julgou o vinho pela garrafa.

        Curtir

      • ah sim, os cicloativistas chatos hackearam o site da prefeitura e o do porto imagem para modificar os textos das fontes citadas. meu deus, é muito ressentimento com os ciclistas… quem só pensa em bicicleta é você, pelo jeito… parece até inveja de um grupo que consegue se organizar pelo que acredita, aí se ataca as pessoas e não as ideias. falácia, como disse o Pablo ali embaixo.

        eu tenho inúmeras divergências com esse blog aqui, mas enquanto trouxerem opiniões e análises com argumentos, não falácias ou ataques pessoais, rotulação (até tem as vezes), eu continuo lendo de boa.

        Curtir

  7. Vá de bici não tem credibilidade para analisar essa obra, considerando a total imparcialidade e ódio contra carrros.

    Curtir

    • Realmente, quem apresenta um texto bem embasado, citando documentos oficiais e matérias jornalísticas e blogísticas não tem nenhuma credibilidade.

      Curtir

      • Sabe o que significa “imparcialidade”?Tá fraco de interpretação amigo.

        Curtir

      • Eu sei o que significa imparcialidade. Mas isso não é suficiente pra tirar o crédito de alguém em sua capacidade e qualidade de escrita.

        Veja bem, digamos que o Fulano (colorado) e o Joãozinho (gremista) discutindo futebol. Com certeza a discussão se dará com imparcialidade dos dois lados, mas a QUALIDADE dos argumentos pode variar desde o “teu time é uma merda e tua torcida é um bando de viado” até “meu time ganhou os troféus X, Y e Z e portanto é melhor que o teu”.

        Pois então, o primeiro argumento é imparcial e imaturo, pois não é falsificável, enquanto que a segunda linha de argumentos, ainda que seja imparcial, está se construindo em cima de fatos que são facilmente demonstráveis.

        No caso ora em tela, por mais que o Vá de Bici seja notoriamente favorável aos interesses dos ciclistas, é notável que o texto apresenta um embasamento argumentativo. No momento que você responde dizendo que o texto é lixo simplesmente porque você é contrário às ideologias dos autores, você está usando um argumento Ad Hominen, e está contribuindo para uma discussão imatura e pouco construtiva.

        Em outras palavras: quer discordar do texto? Beleza, discorda à vontade. Mas por favor, apresenta argumentos verificáveis da tua posição, aponta os erros factuais do argumento do oponente, enfim, pensa antes de escrever. Porque de outra forma tu estarás sendo reacionário pelo simples prazer de ser reacionário.

        E na real, acho que esse último parágrafo cai bem para MUITOS comentaristas desse blog. Daqui a pouco tá que nem os comentários do Terra.

        Curtir

      • Interessante, querer que a obra saia agora é ser reacionário. Intrigante o teu comentário.

        Caso tu não tenha percebido está cidade só saiu da inércia, motivando ideias, movimentos sociais e blogs, inclusive contrários, em vista das obras e iniciativas da prefeitura.

        Eu particularmente entendo que todas as obras são essenciais considerando o contexto atual da cidade. E entendo que novos modais devem ser agregados, e espero e cobro por isso. Mas alguma coisa tinha que ser feita e está.

        Agora, eu não posso concordar com esse time que apenas é contrário. Sabe porque? Hoje a desculpa é que o carro é mal, o carro isso, as árvores..,

        Amanha, a desculpa vai ser que a area do pontal era um terreiro ou sei lá o que.

        Depois de amanha a desculpa é que a orla é sagrada e maricás são especimes lindas.

        E assim segue. As desculpas e motivos contrários são inúmeros. E isso fez essa cidade parar.

        Eu, como cidadão de Porto Alegre, estou cansado de ver a minha cidade estagnada porque qualquer coisa que se cogite fazer vem uma orda apontando dedos e querendo “reuniuões e discussões” com motivos muitas vezes obscuros e quase sempre, no fim, conseguem impedir aquilo que lhes desagrada individualmente, mesmo que o fim específico da obra hipotética fosse somar para a coletividade.

        Curtir

        • Sim, querer que uma obra (que atende apenas a uma parcela privilegiada da população) saia é ser reacionário. De novo, reacionário é quem tem medo que a sociedade mude (e se torne mais justa), não quem tem medo que coisas (como uma obra questionável) aconteçam.

          Curtir

        • Adriano, este teu sentimento expresso neste comentário é um sentimento presente em dezenas de milhares talvez centenas de milhares de habitantes desta cidade e foi um dos motivos de criarmos este blog.

          Curtir

      • Adriano, já entendi que só é parcial quem concorda contigo. O artigo tem referências, inclusive aqui do blog e da prefeitura. Tu só fica esparramento opiniões sem qualquer embasamento. Se quiser apresentar um único argumento a gente conversa.

        E sobre só haver mobilização para reclamar, te convido para o evento em prol de uma calçada decente dia 28: https://www.facebook.com/events/549598221724828/

        Mobus, don’t feed the troll. Eles não querem debater.

        Curtir

        • Por favor, sugiro que não escreva em inglês. Nem todos que comentam tem conhecimento da língua inglesa e o fato de alguns usarem o inglês dificulta o entendimento por parte destes.

          Curtir

      • E sobre o vá de bici ser imparcial, que tal este artigo? http://vadebici.wordpress.com/2013/02/08/pobre-pedestre/

        Curtir

      • Adriano, qual teu conceito de imparcialidade? Tipo, se tiver um único artigo lá em que o autor diz ser contra a valorização do uso de automóvel ele é imparcial e deu? O segundo artigo tá inclusive recheado de referências e fontes. O primeiro é praticamente um obituário. O terceiro é uma charge. Charge imparcial é quase uma contradição!

        Curtir

      • Então peraí Adriano: tu tá querendo me dizer que carro realmente não faz mal a cidade?

        Que o ideal é cada cidadão ter um carro e usar ele para ir ao trabalho e demais deslocamentos?

        Ou entendi errado?

        Quando responder, traz argumentos tá?

        Curtir

  8. Ué, mesmo duplicando a pista, teria todo um espaço para os pedestres.
    É só a prefeitura meter um concreto e pronto, ta feita uma bela calçada.

    A idéia de um tunel seria ótima, mas é muita grana pra muita frescura.

    Se forem realmente revitalizar a area, da sim pra duplicar e fazer uma area para pedestres e ciclistas e ainda ter um bom espaço para curtir a região.

    O projeto ja teve, a prefeitura deveria ter divulgado junto, ao menos seria uma justificativa, não?

    A prefeitura como sempre, errando ao se comunicar com o povo, ou melhor, não se comunicou, e claro, o pessoal se aproveitou da situação.

    Pelo que eu vejo no meu facebook (não que o facebook tenha muito valor), isso ja virou uma guerrinha politica do pessoal anti Fortunati.

    Curtir

    • Guilherme, por mais que tenha todo espaço do mundo após uma duplicação, por mais que sobre área pra fazer um parque (não discuto isso), a simples existência de uma avenida de alta velocidade atravessando o dito parque prejudica em muito a qualidade dele.

      Prejudica porque divide o parque, impedindo uma integração “seamless” das duas partes resultantes, pois provavelmente ficaríamos com uma ou duas travessias seguras, que necessitariam de semáforos. Semáforos esses que, conhecendo a prefeitura, teriam aquela temporização ridícula que só as prefeituras carrófilas do Brasil sabem fazer.

      Se você acha que eu estou falando bobagem, vou dar um auxílio a visualização do problema que nem requer que você saia de Porto Alegre: o Parcão. Dois pedaços de parque, um sempre bombando (o lado Oeste), outro meio morto. Aí você vai olhar e tudo o que interliga eles é uma acanhada passarela. Bom, pelo menos ali tem uma passarela bem integrada (não precisa de escadas horríveis pois o relevo ajuda), mas é indiscutível que se ela fosse mais larga e mais “fluída” em relação aos dois lados do parque, a coisa seria completamente diferente.

      O que se sugere nesse projeto do túnel é simplesmente isso: um parque que não seja mutilado por uma via de alta velocidade.

      Curtir

      • Não vejo problema, ainda acho que é muito dinheiro para evitar que as pessoas atravessem a rua, lembrando que esse local onde cortaram as arvores, bom, não tem nada ali, apenas um aeromovel abandonado.

        E ainda assim, eu vejo uma boa diferença entre os dois lados do parcão.
        Seria perfeito se fosse um tunel, isso eu não nego, mas se as pessoas não se prestam a atravessar uma rua, ai complica.
        Sem contar que o outro lado do parcão não é tudo isso, mas quando rolam eventos e jogos no campo, ele sempre bomba.

        Curtir

    • Guilherme, muita grana em relação a o que? Algum dos links fala que o custo do rebaixamento tinha sido orçando em algo como 15 milhões. Considerando o que estão gastando em rodovias e viadutos não é tanto não. E fazer as coisas direito sai mais caro mesmo.

      Fora isso, a questão é que havia algo planejado e não foi executado. Depois se queixam que não há planejamento. É pior que isso, quando há não é executado.

      E o Mobus já explicou a questão urbanística.

      Curtir

      • Me parece que todo mundo está esquecendo que o Parque do Gasômetro, incluindo a obra de um tunel (rebaixando a João Goulart em uma parte) foi integrado ao projeto da revitalização do Cais Mauá. Portanto, é questão de 2 ou 3 anos (ao meu ver) para essa região mudar de novo de aspecto.

        Curtir

      • Se sair ótimo, Gilberto. Mas é um tremendo desperdício alargar a rua agora e daqui 3 anos demolir ela e fazer de novo, não?

        Ainda mais considerando que é uma quantia razoável. Eu honestamente suspeito que não vão fazer.

        Curtir

        • Sim Felipe, com certeza é um desperdício. Concordo contigo. Eu só citei este fato para, nos comentários, não esquecerem desta obra que, sim, vai sair. Não esqueça que o shopping do Gasômetro vai ficar bem por ali, integrado ao parque do Gasômetro.

          Curtir

      • Bah, duvido que seja apenas 15 milhões, ainda mais aqui no Brasil.

        Quem sabe alguma outra coisa?

        Fazer a pista mais funda, com uma boa altura, e uma passarela gigante, não digo um tunel, mas com varios espaços para as pessoas atravessarem.

        Mas nada de passarela normal, algo diferente, bonito…

        Curtir

    • Grana pra outras coisas tem, um tunel nao e tanta grana assim, a cidade ganharia com isso, mas isso nem esta sob discussao, o caso e que ja estava definido, entao, cumpra-se

      Curtir

    • Não é mencionado um túnel e sim uma “trincheira”, ou seja, afunda a avenida, coloca sobre ela uma passarela gramada e até com pequenas árvores. O povo pode caminhar sem ter que correr em sinaleiras com tempos cada vez mais curtos e o s carros podem trafegar sem ter que parar em sinaleiras. Estéticamante bonito, ecologicamante correto e o melhor, democratiza o espaço tanto para quem quer andar de carro, pois já não precisa mais parar na sinaleira e democratiza pra quem quer andar a pé ou de bicicleta, pois já não precisrá mais se preocupar com os carros. Isto não tem o mesmo custo de um túnel. Custa muito menos.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: