Adiada proibição da circulação de carroças em Porto Alegre

Em Porto Alegre 1,2 mil famílias dependem da atividade de reciclagem feita por carroceiros, carrinheiros e catadores. É um total de 5,4 mil pessoas afetadas com a Lei das Carroças. Foto: Divulgação Detran-RS.

Em Porto Alegre 1,2 mil famílias dependem da atividade de reciclagem feita por carroceiros, carrinheiros e catadores. É um total de 5,4 mil pessoas afetadas com a Lei das Carroças. Foto: Divulgação Detran-RS.

A meta inicial da Prefeitura de Porto Alegre para a aplicação da chamada Lei das Carroças até 2016 começaria a ser cumprida na última sexta-feira, 1º de março. Porém, a demora para a construção de uma central de triagem de lixo, para onde serão destinados os carroceiros da região das ilhas, impediu a proibição da circulação dos carroceiros e carrinheiros da cidade. A unidade consta como contrapartida da OAS para o projeto da Arena e a central deve ser erguida na rua Frederico Mentz, no bairro Humaitá.

O prazo final do cronograma também foi alterado. A retirada total dos carroceiros e carrinheiros deveria ocorrer até 1º março de 2016, mas foi adiantado para 1º junho de 2015. Além do projeto de contrapartida da OAS, a prefeitura conta com R$ 18 milhões, metade do BNDES e metade da prefeitura para investir na recuperação de galpões de reciclagem e criação de mecanismos de capacitação profissional para os carroceiros como alternativa para retirada da atividade das ruas de Porto Alegre.

A primeira área da cidade a não ter mais os carroceiros circulando será nas avenidas Edvaldo Pereira Paiva, Ipiranga, Antônio de Carvalho e Bento Gonçalves, até o limite com o município de Viamão. Autor da lei que prevê a retirada gradual dos veículos de tração humana e animal, o atual vice-prefeito Sebastião Melo diz que o governo vai trabalhar para cumprir o novo prazo.

SUL 21



Categorias:Carroças e Catadores

Tags:, , ,

15 respostas

  1. Carroças são a cara do Brasil subdesenvolvido.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: