BRT’s reduzirão em mais de 30% circulação de ônibus no Centro

 Estações serão fechadas e seguras, com informação aos usuários e controle de tráfego  Foto: Divulgação/PMPA

Estações serão fechadas e seguras, com informação aos usuários e controle de tráfego Foto: Divulgação/PMPA

Porto Alegre ganhará quatro corredores em que circularão os ônibus rápidos, chamados de BRT’s – sigla em inglês para Bus Rapid Transit – em funcionamento em diversas cidades brasileiras, como Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte. As vias expressas estarão localizadas nas avenidas Bento Gonçalves, João Pessoa, Protásio Alves e Padre Cacique. Os BRT’s são veículos com capacidade para 170 pessoas cada. Já nos ônibus normais, a capacidade é de 85 pessoas e 120 nos articulados. Com o novo sistema, o número de ônibus que circulam diariamente pelo Centro (em média 33 mil) será reduzido entre 30% a 40%, eliminando os congestionamentos.

Esse projeto faz parte das melhorias da cidade para a Copa do Mundo de 2014. Os corredores em placa de concreto terão bilhetagem eletrônica, monitoramento, controle e informação ao usuário. Serão utilizados veículos modernos de grande capacidade e baixas emissões, estações fechadas e seguras, passagem pré-paga, informação aos usuários e controle de tráfego em tempo real, além de acessibilidade, passagem única e livre e transferência de passageiros entre linhas de ônibus.

O Bus Rapid Transit (BRT) da avenida Protásio Alves que ocupará o trecho entre rua Saturnino de Brito e a rua Sarmento Leite encontra-se em estágio avançado. Possui uma extensão de 6,8 mil metros, com duas faixas de 3,5 metros cada para o corredor de ônibus. No momento, está sendo realizada a troca do pavimento. O antigo, de asfalto, exige trocas periódicas e está sendo substituído pelo concreto, que tem uma durabilidade maior, de 20 a 30 anos, além de não trepidar, não chacoalhar e não formar sulcos no piso. A obra que teve início em março de 2012 com uma previsão de 18 meses para ficar pronta, tem um custo total de R$15,3 milhões, sendo realizada pelo Consórcio Contepa (Conpasul e Sultepa).

brts

BRT PROTÁSIO ALVES

TRECHO: Rua Saturnino de Brito – Rua Sarmento Leite
COMPRIMENTO: 6.850 metros
LARGURA: 2 faixas de 3,50 metros (Corredor de ônibus)
TRECHO ATUAL: São Simão e Teixeira Mendes, passando a São Simão e São Mateus, São
Mateus e Cristiano Fischer, Cel. Lucas de Oliveira e Amélia Telles, São Manoel e Ramiro
Barcelos, Ramiro Barcelos e João Telles.
COMPRIMENTO: 320, 120, 170, 440, 320 e 760 metros respectivamente.
CUSTO TOTAL: R$ 15.240.010,67
SERVIÇOS EM EXECUÇÃO: fresagem, compactação de subleito, sub-base de brita graduada,
sinalização viária, Concreto Rolado, pintura com RR-2C, placa de concreto, assentamento de meios fios, asfaltamento.
INICIO: 12 de Março de 2012.
PRAZO: 18 meses.
CONCLUSÃO: 10.08.2013

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:BRT, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

45 respostas

  1. uma pergunta fora de ordem mas que pode ter a haver com obras na protasio próximo a manoel elias. por que a av Mario menegheti é duplicada acaba misteriosamente atras da FAPA? todo dia a protasio neste trecho é saturada, enquanto uma avenida duplicada que seria paralela a mesma ta bem quieta? na ipiranga tem a bento, na assis brasil tem a sertório e agora a av. grecia , E A PROTASIO COM SEUS ENGARRAFAMENTOS GIGANTESCOS ATÉ O SESC NÃO POSSUI AVENIDA PARALELA.

    Curtir

  2. mas e a estação da manuel elias? o brt termina na saturnino e não vejo nenhuma obra

    Curtir

  3. Pessoal, vamos lembrar que o corredor mais ocupado da cidade, o da Assis Brasil, ainda vai continuar indo até o centro, enquanto não houver o metrô. Provavelmente é por isso que devem estar contando essa redução de apenas 30%, como o Alex disse acima. Talvez chegue a 70 ou 80% quando tivermos o metrô. Imagino que os ônibus irão fazer integração com o metrô e acabarão com o corredor da Farrapos e Assis Brasil. Pelo menos é o que eu espero.

    Curtir

    • Isso eu espero muito!! Ciclovia na Assis Brasil e na Farrapos : )

      Curtir

      • Bah, imagina que show. Podia ser uma ciclovia central mesmo, no lugar do corredor de ônibus hoje, no estilo da Faria Lima que fizeram em São Paulo, com árvores e grama. Melhoraria 1000% o aspecto dessas avenidas. Imagens abaixo:



        Curtir

        • O problema de ciclovias no canteiro mediano é que elas ficam com acesso mais difícil. Pensa num morador de um prédio no meio da quadra dessa primeira foto aí: legalmente, para acessar a ciclovia, ele teria que empurrar a bicicleta pela calçada até o cruzamento para então acessar a ciclovia ou, pior ainda, teria que tentar atravessar a avenida no meio da quadra. Isso é ruim, muito ruim. É bem melhor ter uma ciclovia ou ciclofaixa junto ao lado DIREITO da rua, para permitir o acesso e saída fácil para o ciclista.

          Curtir

      • Bahh que show essa ciclovia!

        Vamos torcer (e exigir) que façam algo assim na Assis Brasil e Farrapos!

        Curtir

      • Outro ponto, além do citado pelo Mobus, é que temos uma pista de concreto no centro da Assis Brasil (melhor e mais cara que asfalto). Assim – no sonho de a prefeitura colocar uma ciclovia lá, o que duvido muito que ocorra, infelizmente – , seria melhor posicionar a ciclovia nas pontas e deixar a faixa do centro para os carros e caminhões.

        Curtir

      • Mobus e AlexP, concordo em parte com vocês, mas imaginem o número de esquinas que uma ciclovia na lateral cruza. Agora tomem como exemplo o trecho da Assis Brasil e Benjamin entre o Obirici e a Cairú. Tem basicamente 3 cruzamentos (Industriários, Emílio Lúcio Esteves e Luzitana). Agora quantas esquinas tem? Acho que no meio seria mais fluido, mas teria que haver acessos. Lembrem-se que estamos falando de lugares onde o metrô passará por baixo. Poderiam usar o acesso às estações para acessar a ciclovia tbm. Olhem como exemplo a Av. 9 de julio em Buenos Aires. Se acessa o metrô tanto pelas calçadas como pelo canteiro central. 😉

        Curtir

  4. Se alguém aqui tiver uma informação mais precisa me corrija por favor … Mas a propaganda disseminada não era a de que o fluxo de ônibus no centro ia diminuir em torno de 70, 80%, eu lembro de algo dito nesse sentido qdo esse projeto foi divulgado! Estou errado, alguém me corrija! Pois diminuir em 30% o fluxo de ônibus do centro me parece que com o volume de trânsito que têm ali nao vai refrescar em nada quase … Haja vista que tb a cada mÊs é um não sei qtos carros que ingressa na frota portoalegrense! Como eu disse, se algu´me tiver números mais precisos me diga!

    Curtir

    • Talvez os números 70% e 80% foram divulgados na época que a Assis Brasil ia ter um, não?

      Pq se for, até seria plausível, tendo em vista a quantidade de ônibus que passam por essa avenida em direção ao centro….

      Curtir

    • Um adendo a resposta do Alex e do Mobus (mais acima): congestionamento não é um fenômeno linear. A partir de um determinado número de veículos ele cresce muito mais rapidamente. O mesmo vale, lógico, quando reduzimos o número de veículos.

      Curtir

  5. É pseudo BRT by Carrolari e ATP.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: