Referência: São Paulo ganha novo modelo de ponto de ônibus em 37 lugares

VANESSA CORREA
DE SÃO PAULO

Quem circula pela zona oeste já pode conhecer os novos modelos de pontos de ônibus. Os 37 primeiros foram instalados em Moema, Pinheiros, Itaim Bibi, Alto de Pinheiros, Jardim Paulista e Perdizes. Até abril, serão 60 no total e, no fim do ano, 1.400.

Os novos abrigos vão expor publicidade em um painel de 2 m² e os primeiros anunciantes serão a rede Visa e uma cerveja da Ambev, diz o consórcio Pra SP, formado por Odebrecht, TV Bandeirantes, Kalitera Engenharia e o grupo Ruas, de empresas de ônibus.

É a primeira oportunidade de anúncios externos após a Lei Cidade Limpa, de 2007, e por isso há uma grande procura de empresas, segundo Violeta Noya, do Pra SP. Assim, em vez de receber da prefeitura pela troca dos 6.500 pontos com abrigo, o consórcio pagará R$ 167 milhões só pelo direito de explorar a propaganda. “São Paulo é um dos maiores contratos do mundo. Só a China tem essa escala”, diz ela.

Todos os abrigos, além dos 12.500 totens da cidade, serão substituídos até 2015. Depois, a empresa deve instalar mil novas coberturas e 2.200 novos totens. O prazo é o fim de 2017.

Os abrigos terão quatro modelos, criados pelo designer Guto Indio da Costa, todos cobertos por vidro ou plástico transparente sobre estrutura de aço ou concreto. O modelo “caos estruturado” e o “brutalista” estarão na maior parte da cidade. O modelo “high-tech”, com painel digital, será instalado em centros financeiros, como as avenidas Paulista e Berrini.

Já o “minimalista com ginga”, mais discreto, aparecerá em locais com arquitetura antiga. Em frente ao Theatro Municipal já existe um desde dezembro. Os outros 36 já instalados são do modelo “caos estruturado”.

A sãopaulo conversou com usuários dos pontos na última quarta. A maioria achou-os bonitos, mas está preocupada com a conservação. “Não dou uma semana para quebrarem esse ponto”, diz o aposentado Gentil Gomes, 80, na av. Brigadeiro Faria Lima.

Os entrevistados também reclamaram do calor. A reportagem testou o conforto e verificou que a temperatura é mais fresca embaixo da cobertura, que suaviza o sol com serigrafia. Se houver abrigo depredado, a substituição deve ser feita em até 24 horas, e o consórcio diz estar pronto para isso.

Veja as fotos:

Modelo "brutalista", que lembra a arquitetura da ponte Octavio Frias de Oliveira (ponte estaiada)

Modelo “brutalista”, que lembra a arquitetura da ponte Octavio Frias de Oliveira (ponte estaiada)

Novo modelo de estações de embarque em corredores de ônibus

Novo modelo de estações de embarque em corredores de ônibus

Abrigo modelo "minimalista com ginga", que interfere menos em locais com arquitetura histórica

Abrigo modelo “minimalista com ginga”, que interfere menos em locais com arquitetura histórica

Modelo "minimalista com ginga", em frente ao Theatro Municipal

Modelo “minimalista com ginga”, em frente ao Theatro Municipal

Modelo "caos estruturado", que já foi instalado em 36 pontos da cidade

Modelo “caos estruturado”, que já foi instalado em 36 pontos da cidade

FOLHA DE SÃO PAULO

_________________________

Nada como ser uma cidade que se preocupa com sua estética, hein ! 



Categorias:Arquitetura | Urbanismo, Meios de Transporte / Trânsito, Mobiliário Urbano

Tags:,

38 respostas

  1. Enquanto isso, em Porto Alegre…..

    Curtir

  2. Alguém se propõe de postar uma foto de qualquer parada da Av. Assis Brasil para fazer uma comparação?

    Curtir

  3. Gilberto,

    Posta umas fotos das nossas paradas aqui! Seria o ápice do post!

    Aquelas de amarelo retorcirdo ou com telhadinho de zinco que colocaram na Goethe mesmo!

    Curtir

  4. Muito bonitas! A parte mais legal são as informações!

    Curtir

  5. Show! Mas isso é coisa para São Paulo mesmo. Infelizmente parece quase impossível que se possa ver algo neste nível implantado em Porto Alegre, e não só pela pobreza de orçamento e/ou de bom gosto dos agentes públicos. O pior é que há a forte tendência de que tudo que se faça seja por fim alvo do vandalismo endêmico que somado à falta de conservação dos bens públicos, marcas talvez indeléveis desta cidade, permitem que os equipamentos públicos restem deteriorados e por fim totalmente destruídos em pouquíssimo tempo. Fiquei pasmo com o grau de desgaste das estações da terceira perimetral, não supunha que algo tão caro e relativamente novo pudesse estar tão depauperado. Algo realmente espantoso! Falta total de civilidade!

    Curtir

    • “Falta total de civilidade!”

      … de uma minoria que, entediada, faz por causa da certeza da impunidade.

      Curtir

    • A falta de manutenção das coisas em POA beira o absurdo, o descaso total. Olha o que está escrito na matéria: “Se houver abrigo depredado, a substituição deve ser feita em até 24 horas, e o consórcio diz estar pronto para isso.” – Aqui em POA, e isso é histórico, instala-se, deixa-se tudo ao sabor do vento (onde vento, leia-se vandalismo, roubo, danos por acidente e até mesmo deterioração natural) e quando está tudo podre (depois de ficar anos em estado lastimável), faz-se tudo de novo, e repete-se o ciclo… eternamente. Acontece com as paradas, calçadas, praças, lixeiras, monumentos, chafarizes, simplesmente, todo e qualquer equipamento público. Nem Cuba deve ser tão largada.

      Curtir

      • E tem aquela relação com a Teoria da Janela Quebrada. Se as coisas estão arrumadas e conservadas as próprias pessoas tomam mais cuidado. Até dentro da nossa casa é assim, depois da faxina até nós mesmos temos mais cuidado com tudo, mas se a casa está suja e mal cuidada já não nos importamos se fica louça suja ou se deixamos as coisas fora do lugar.

        Curtir

  6. Basta ver o que a maloquerada fez com as paradas da III Perimetral. Entenda-se por maloquerada, qualquer um, independente de condição econômica e social, que tenha por hábito depredar patrimônio público ou privado.
    Na boa, mas enquanto no Brasil não houver Educação (cultura e principalmente boas maneiras, respeito ao próximo) seremos sempre 5º mundo.

    Curtir

    • Tem um porem tambem, quando foi a ultima vez que fizeram uma verdadeira manutenção nas apradas da 3 perimetral?

      Primeiro acrilico quebrado, ja meteram um remendo, ai complica tambm.

      Curtir

      • Exatamente, tudo tem que ser rapidamente reparado e isso nunca aconteceu, eles nem têm materiais iguais aos originais pra repor. Patético.

        Curtir

  7. Teto de vidro… nem pensar!!! E o calor embaixo, quem aguenta?

    Curtir

    • Não tinha reparado no teto, realmente…

      Curtir

      • Antes que alguém me entenda errado, fica realmente muito bonito com o vidro no teto. Mas não é somente este o objetivo. Quem usa transporte público regularmente, principalmente no verão, sabe como se sente um ovo dentro do microondas.

        Curtir

  8. Nossa, parecem as de POA hein… reparem no “painel de informações” da penúltima foto. Esse tipo de cartaz que precisa ter, com as linhas que passam, etc. Não precisa painel eletrônico.

    Curtir

  9. Aqui na província não duraria um dia.

    Curtir

    • Em Canoas os totens instalados ano passado até que estão resistindo.

      Curtir

      • E as paradas de vidro (acrílico) também, infelizmente hoje de manhã vi uma toda estilhaçada na Av. Guilherme Shell, bem perto do colégio onde eu estudava.

        Curtir

    • Acho que dura sim… as primeiras até podem sofrer um pouco, mas em seguida as pessoas se acostumam e não estragam mais.
      Costumo pedalar pela perimetral aos domingos e fico prestando atenção nas paradas. A quantidade de ferrugem e tinta descascando (falta de manutenção) é muito maior que pichações ou coisas quebradas… Inclusive as lixeiras, que são as coisas mais frágeis, estão intactas.

      Curtir

  10. Absurdo, São Paulo vai ser sempre a pior cidade do mundo, Porto Alegre não pode se comparar com essa cidade de terceiro mundo, somos a Europa no Brasil, não precisamos nos igualar a eles.

    hahaha

    Belas paradas, vamos sonhar com algo proximo disso aqui.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: