Mais de 60% dos moradores de Porto Alegre se sentem inseguros

Apesar dos 241 anos, segurança é um dos desafios da Capital dos gaúchos

 Apesar dos 241 anos, segurança é um dos desafios da Capital dos gaúchos  Crédito: Mauro Schaefer / CP Memória


Apesar dos 241 anos, segurança é um dos desafios da Capital dos gaúchos Crédito: Mauro Schaefer / CP Memória

A capital dos gaúchos completa nesta terça-feira 241 anos. Apesar de Porto Alegre possuir mais de 200 anos de existência, alguns problemas persistem e são desafios aos gestores, como é o caso da segurança. Mais da metade dos porto-alegrenses sente-se insegura segundo pesquisa realizada pelo Instituto Methodus e encomendada pelo Correio do Povo.

O estudo, divulgado em julho de 2012, apontou que 64,9% dos 1,6 mil entrevistados têm a sensação de que não estão protegidos. A segurança é o segundo item na ordem de prioridade destacado na pesquisa da mesma instituição, publicada em março do ano passado. A média dada pelos pesquisados para essa área foi de 3.22, sendo que 21,4% responderam que o serviço municipal é péssimo, e 26,9%, ruim. Entre ruim e regular, foram 12%; regular, 24,7%; entre regular e bom, 7,2%; bom, 7,7%; e ótimo, 0,2%.

Leia a matéria completa no Correio do Povo, clicando aqui

Anúncios


Categorias:Outros assuntos

Tags:,

19 respostas

  1. É tão simples reduzir a criminalidade….

    Ainda tem gente que acredita que os governos querem acabar com ela…..

    Tráfico de drogas, coisa que não seria difícil de sufocar, não é sufocado simplesmente por interesses….

    Afinal o dinheiro dita as regras…..

    Curtir

  2. Na época dos militares poa era tao insegura assim ??

    Curtir

  3. Prsamos urgente de mais segurança!!!1

    Curtir

  4. Em que POA estas pessoas que votaram de regular a ótimo vivem?

    Só para lembrar, a ONU considera violência epidêmica mais de 10 assassinatos / 100.000 habitantes. POA está com 20-30!

    Curtir

    • Olha, ótimo jamais, mas regular talvez eu daria de nota. Honestamente não me sinto extremamente inseguro não, acho inclusive que já tivemos épocas piores.

      A questão dos homicídios é complicado mesmo, mas sinto a necessidade de segmentar. Aposto que a maioria está ligado a tráfico.

      Curtir

      • Os pais daquela moça de 22 anos que foi assassinada na frente de casa na rua São Luiz, dariam qual nota ?
        Eu me sinto muito inseguro. tenho filhos, tenho que levá-los ao colégio. A todo momento os bandidos metem uma arma na cara das pessoas para roubar, o carro, a bolsa, o celular, o tênis, seja lá que for.
        Miséria/ pobreza + falta de educação + família desestruturada + drogas + polícia inexistente + sistema corrupto + impunidade + sociedade calada (“não vai aocntecer comigo”)= violência desenfreada.
        A maioria dos homicídios é sim ligada ao tráfico de drogas.
        Mas existem muitos outros crimes que passam batido pelos noticiários e fazem parte do cotidiano. Roubo de carros, assaltos á mão armada, agressões (brigas, violência doméstica/ colégios), furtos, sequestros relâmpago. E uma outra gama de crimes considerados de “menor potencial ofensivo”, que é outra grande mentira que se criou no Brasil nos últimos anos.

        Curtir

    • “Em que POA estas pessoas que votaram de regular a ótimo vivem? ”

      Ou moram no extremo sul da cidade ou vivem dentro de shopping centers.

      Curtir

  5. Eu nunca entendi essa relação que as pessoas fazem entre iluminação e segurança.

    Curtir

  6. No jornal O Metro de mais ou menos um mês atrás aparece uns gráficos mostrando a evolução da violência na capital e no estado… É desesperador!

    Curtir

  7. Nenhuma novidade…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: