Determinada suspensão do corte de árvores na área da Usina do Gasômetro

Região da Usina do Gasômetro. Imagem: www.downloadswallpapers.com

Região da Usina do Gasômetro. Imagem: http://www.downloadswallpapers.com

Ao acatar pedido liminar em ação civil pública ajuizada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre, a 10ª Vara da Fazenda Pública do Foro Regional da Tristeza determinou a suspensão temporária do corte de árvores na região da Usina do Gasômetro, em Porto Alegre.

A Juíza Nadja Mara Zanella determinou, ainda, prazo de dez dias para que a Prefeitura da Capital preste informações preliminares sobre as licenças ambientais para as obras de duplicação do trecho IV da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, entre a Rótula das Cuias e a Praça Júlio Mesquita. Também, foi designada audiência de conciliação para o dia 10 de abril às 10h. A ação civil pública é ajuizada pelas Promotoras de Justiça Ana Maria Moreira Marchesan e Annelise Monteiro Steigleder.

Na ação, as Promotoras de Justiça pedem que o Município implante, mediante uma Lei específica, o Parque Corredor do Gasômetro, conforme previsto no art. 154, inc. XXI, e § 3º, da Lei Complementar n. 646/2010, que deverá ser compatibilizado com as obras viárias de mobilidade previstas para a cidade de Porto Alegre.

Fonte: Ministério Público do RS, 27/03/2013



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:,

46 respostas

  1. Se a cidade não vai pra frente não é porque tem cidadãos que defendem a arborização contra os desvarios da Copa da Corrupção. É porque o PLANEJADOR URBANO DE BOSTA optou por soluções de tráfego enjambradas que exigem destruir o patrimônio público para dar passagem a veículo particular, ao invés de investir em vias inteligentes e integradas às áreas verdes e em transporte público de qualidade. Assustador ver esse discursinho do LuLLarápio nas bocas de quem se preocupa com a cidade, desse maniqueísmo de que quem defende as áreas verdes públicas é contra esse “pogreço” míope do asfalto passar por cima de tudo. Falta leitura, visão de mundo – e também noção.

    Curtir

  2. To meio mal informado dessa questão aí. Não da pra plantar essas árvores em outro lugar?
    Essa Edvaldo aí precisa ser duplicada, na boa mesmo.
    O transporte de massa não vai acontecer da noite pro dia, é necessário duplicar algumas vias de POA!!!

    Curtir

    • Rafael, dá para plantar sim. Mas querem plantar em outro bairro, o impacto é local e a compensação tam´bem deve ser. Fora isso, provavelmente seria possível fazer a obra sem derrubar tantas árvores, simplesmente patrolaram tudo. Depois, há outras questões, como o Parque do Gasômetro que está no plano diretor e não está sendo respeitado: http://vadebici.wordpress.com/2013/02/15/o-parque-do-gasometro/.

      Realmente o transporte público não vai nascer da noite pro dia. Para termos ele, devemos parar de botar dinheiro fora em duplicação de avenidas e começar a fazê-lo.

      Curtir

  3. bla bla bla, wiskas sashe.

    Sempre vai existir carros, limitar nossas vias como estão não vai adiantar nada, qualquer cidade de primeiro mundo, mesmo que com bons sistemas de transporte publico tem ruas e avenidas largas, claro que não todas.

    As ruas de Porto Alegre não seguem um padrão e muitas são estreitas, claro que boa parte do problema seria evitado proibindo de estacionar, ao menos em um dos lados das vias.

    Mas quando o negocio se torna religião, obvio que não vào aceitar o alargamento de uma via, mesmo que os onibus precisem usar essa vida, né?

    O transporte em geral precisa de investimentos em todas as areas, carros vão sempre existir.

    Curtir

    • É religião querer que o executivo siga o plano diretor? Que faça um projeto que minimize estes cortes? Ali há espaço.

      Curtir

      • Qualquer cidade de primeiro mundo está reduzindo espaço para os automóveis no centro da cidade, desfazendo o que nós ainda estamos fazendo aqui.

        Curtir

  4. Enquanto discutem 4 ou 5 árvores, 700 ha do Taim ardem em chamas.

    Curtir

    • Apresenta a denúncia pro procurador então.

      Curtir

    • Nossa, tu tá mal informado mesmo hein. São mais de 100, e o que uma coisa tem a ver com a outra? Que a juiíza deveria pegar um balde da água para ajudar a apagar o fogo?

      Curtir

      • Não, mas Judiciário/MP, ao terem dobrado a participação percentual no orçamento do estado nos últimos 20 anos (sem ter melhorado proporcionalmente em eficiência e produtividade), estão ajudando a restringir a atuação do Poder executivo, consequentemente temos menos saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e a propria manutenção de Parques e APPs.

        Curtir

        • Com restringir tu quer dizer não deixar o executivo sair fazendo tudo que quer do jeito que quer? Que bom então.

          Curtir

    • Agora já são 1400 ha de cinzas no Taim e o dano ambiental (um verdadeiro) não para de crescer.

      Curtir

      • E tua idéia é que as pessoas devem sair pra rua protestar contra o incêndia no Taim (um acidente) e a juíza deve ir lá ajudar a apagar o fogo em vez de fazer o trabalho dela?

        Curtir

  5. Que ridículo, o Judiciário não tem mais nada o que fazer?

    Curtir

    • Ao invés de partir para ataques ‘a pessoas ou instituições, dá para trazer argumentos ao debate ?

      Curtir

      • Está debatendo o que, o quanto é ridículo movimentar o Judicário por causa de uma poucas árvores, enquantos assassinatos e outros crimes gravíssimos esperam.

        Curtir

        • Tu entende que são dois tipos de justiça completamente diferentes, certo? Que um é criminal, outro é fazenda pública (ou é ambiental?)? E que um juiz de uma coisa dificilmente julga coisa de outra? E que os ritos, prazos e procedimentos são completamente diferentes?

          É quase como dizer que é desperdício formar tanto veterinário quando tem gente morrendo em hospital (sério, eu já ouvi essa bobagem).

          Curtir

        • Julião, não é só as árvores. Lê de novo o artigo. E o Mobus tem razão.

          Curtir

  6. A unica coisa a dizer sobre essa liminar é; Que a Prefa na audiência de conciliação vai se obrigar a assinar o TAC sobre o Parque do Gasômetro, com a solução da trincheira no local e o resto?!?! …É factoide!
    Parabéns ao povo do #RSdoNão por mais essa vitória.

    PS; Score desde os anos 90 proj: #RsDoNão 35 x 7 #RsComoEstadoEnãoPartido.
    PS 2; Próxima parada é a não qualificação da Rodoviária vs Deixa como está (“o prédio é patrimõnio histórico”). #RSdoNão 7 conta 1 nas bolsas de londres.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: