Passagens: não se enganem, a maioria e a razão estão com os manifestantes, por Milton Ribeiro

Hoje pela manhã, fiz uma pequena enquete na parada de ônibus. Além de mim, havia cinco pessoas esperando o Jardim das Palmeiras. Perguntei o que eles acharam da “baderna” — utilizei o termo preferido dos milicos e do PIG — de ontem. Duas senhoras que não pagam passagem e três trabalhadores e/ou estudantes foram unânimes: tinham que ter quebrado tudo. Mas e a confusão no trânsito? Dona J., podóloga sexagenária que não paga passagem pela idade e por ter comprovado sua baixa renda, respondeu que chegou em casa com duas horas de atraso, mas que deu seu apoio “pra gurizada” da janela do ônibus onde se encontrava. Ela dava risada: “Ontem foi um sufoco sair do centro”. Aqui, com excelentes fotos, a melhor reportagem sobre a noite de ontem.

Em hipótese alguma incito à violência (até porque meus dois filhos participam das manifestações), mas acho naturalíssimas a agressividade verbal das pessoas — “tinham que ter quebrado tudo” – e ainda mais a busca nas ruas daquilo que lhes foi negado nos gabinetes. A democracia é assim, Sr. Cézar Busatto. O secretário chamou os manifestantes de antidemocráticos quando é exatamente o contrário. Mesmo depois do TCE ter sugerido revisão do cálculo; mesmo depois que o Dieese deixou claro que a tarifa de ônibus em Porto Alegre subiu 670% entre 1994 e 2012 quando a inflação foi de 310%; a prefeitura e seus pares, os transportadores, decidiram manter a sacrossanta e crescente margem de lucro e seus cálculos muito particulares. Queriam o quê?

Após informar o novo e espetacular valor de R$ 3,05 (de forma pusilânime, o prefeito deixou a ingrata tarefa a cargo de seu vice), a prefeitura tratou de ficar o mais quieta possível. O valor, difícil de engolir e de dar troco, é desavergonhado. Aqueles complicados R$ 0,05 no final revelam a segurança e despreocupação com que age o grupo formado por prefeitura e transportadores, essa porcaria público-privada que manda nos preços. Apenas alguns secretários largaram muxoxos contra as manifestações contrárias. Só que agora os manifestantes — um grupo heterogêneo, em boa parte inexperiente nas ruas e que poderá sim cometer ações tresloucadas — acabaram encontrando uma causa comum e vão pressionar.

E, por favor, não é só o preço. Ando diariamente de ônibus e o serviço é péssimo. Horários desencontrados, ônibus explodindo para maximizar os lucros e um calor insuportável dentro deles nos dias quentes é a regra. Ou seja, temos um leque de reclamações. O transporte público de Porto Alegre é um convite ao carro, induz ao retrocesso. Como disse o ex-prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa no Fronteiras do Pensamento, Uma boa cidade não é aquela em que até os pobres andam de carro, mas aquela em que até os ricos usam transporte público. A qualidade de nosso transporte público faz com que muitas vezes eu — um assalariado apologista do transporte público — sonhe em estar lá fora, dentro de um carrinho com ar condicionado.

A correlação de forças no Conselho Municipal de Transporte Urbano (COMTU) favorece inteiramente os empresários e eles fazem o que querem há anos. Chegou a hora de ouvirem a resposta da população. Espero que a revolta cresça de forma não violenta. Há sim que parar o trânsito e se tornar notório. E há que rir daqueles que só falam nos pobrezinhos que ficam presos no trânsito. E desculpem, meus caros Fortunati, Busatto e Nagelstálin, antidemocrático é o sistema que decide o preço deste mau serviço que vocês defendem.

¡Hasta la victoria!

Publicado em 28 de março de 2013

Milton Ribeiro é jornalista do SUL 21



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

95 respostas

  1. Existem formas muito melhores de se derrubar isso.
    Que tal esses mesmos que protestaram, abrissem denuncia no MP?
    Imagina 1000 denuncias no MP?
    1000 acóes civis publicas?
    Agora imaginem 10mil? Imaginem o leque de opções para deixar esses burocratas de cabelo em pé? Usar a burocracia contra o burocrata?

    Curtir

  2. Eu queria ver se a onda de botar fogo em onibus, e criar terrorismo existisse aqui em POA o que essas pessoas ” decentes e de paz” fariam, sera que mudariam de estado. Incrivel que nas confusões pelo mundo e ondas de protesto ninguem se preocupa, até ficar preso dentro de um onibus na sua cidade. Reclamar e pagar aumentos é facil, mas tem muita gente cansada de abuso de autoridades e politicos sim. O dia que isso explodir vai sobrar pra todos. Um dia as pessoas cansam de só falar, todos na vida ja passaram por isso, e não adianta virar a cara, pois se não pressionar não muda. E porque a EPTC não dialogou com a população para o aumento? Porque não era de interesse.

    Curtir

    • As pessoas não ajudam nas manifestações e não querem sofrer nenhuma consequencia delas, mas são as primeiras a reclamar e compartilhar bobagens no Facebook do estilo “Acorda Brasil”, “Isso é Brasil”, “Brasileiro é Acomodado” ou “Imagina na Copa”. Hipocrisia pura.

      Curtir

  3. Acho que protesto e reivindicação é uma coisa, outra completamente diferente e inaceitável é o vandalismo. Porto Alegre precisa combater o espírito de vandalismo que se manifesta por esta urbe caótica.

    Curtir

  4. Eu sou contra estas manifestações porque no meio dos que tem boa intenção existe uma camarilha quer mesmo é criar tumulto e quebrar tudo. Gente raivosa e com problema em casa.
    Esta conversa de dizer que os riquinhos podem estar querendo lutar pelos pobres não cola aqui nem na conchinchina.
    Li todos os comentários e não vou conseguir citar os nomes mas a quem interessar possa não foi só os carros que ficaram presos na Ipiranga na 2º feira foram principalmente os ônibus que ficaram parados e seus usuários é que tiveram sua vida complicada….
    Eu esperei mais de uma hora na Assis Brasil pelo T1 e ele estava lá na Ipiranga parado por uma turma que não tem o que fazer.
    As paradas na frente da PUC nos dois sentidos estavam superlotadas de estudantes que queriam ir para casa, (isto eu vi quando passei por ali no T1 cujo motorista mudou o itinerário antes de ficar preso na Ipiranga) estes com certeza estavam cansados de trabalhar o dia inteiro e estudar à noite. Enquanto isso àqueles faziam barulho, eu gostaria de ver as notas e a frequência destes estudantes.
    Eu espero que quem quebrou tenha que pagar…..porque quebraram o que é meu e o que é de vocês também….
    Fmobus respondendo a tua manisfestação de que logo os adoradores do cassetete se manifestariam, eu me manifesto não sou adoradora porque sou completamente contra a violência e mesmo parecendo me contradizer eu digo. Bem feito que a Brigada desce o cassetete, tem mais é que bater nesta gente arruaçeira…tem gente que entra nestas coisas só para descarregar seu ódio então merecem…
    Tem mais todo o ano a passagem sobe, sempre foi assim e vai subir no ano que vem e depois e depois, TALVEZ se esta gente que hoje se manifesta contra este aumento resolva fazer política, concorrer a um cargo, chegar a Brasília e lá congelarem o preço das passagens de ônibus….será que farão isso, claro que não é só enquanto são estudantes é que pensam assim depois se tornam iguais aos que já estão lá….

    Curtir

    • Juliana, vi você esses dias numa propaganda da Prefeitura na televisão. Acho que era elogiando umas obras, algo assim…

      Estava muito bem!

      Curtir

    • Juliana,

      Teu longo arrazoado demonstra que tua cavidade anal é o centro de teu universo.

      Curtir

    • Os ônibus demoram todos os dias, por isso o protesto. Quem sabe tu te sacrifica um ou outro dia e colhe os frutos depois? Não vou nem comentar mais porque já é o óbvio ululante que teu pensamento é pequeno e egoísta.

      Curtir

  5. Eu não ia comentar, mas ontem pela manhã, eu peguei o TV na Erico Verissimo e quando o onibus entrou na Borges o transito estava lento. Dai o motorista falou bem alto pro cobrar que deveria ter mais um “protestinho de gente sem ter o que fazer” dai o cobrador falou que todos achavam que o valor da passagem iria mudar dia primeiro. O Motorista disse: “Deixa eles berrarem, o meu ta garantido no fim do mes, e ninguem vai fazer isso voltar atrás” e dava risada. Sinceramente, o deboche desse senhor mostra que muitos não estão nem ai e muito menos quem trabalha e teve aumento sendo eu que e vc que esta lendo é que esta pagando, mas eu pergunto, vcs pagam meu aumento?

    Curtir

  6. Eu nem lembrava que o Sr. Busatto era secretário. Então temos hoje na prefeitura secretários do porte de Busatto, Zachia, Nagelstein, etc. – a culpa deve ser do PT…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: