Em Porto Alegre, Avenida Ipiranga tem novo trecho de obras da ciclovia

Nova pista situada entre Azenha e a Silva Só muda de lado

EPTC inaugura novo trecho de obras  créditos: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

EPTC inaugura novo trecho de obras créditos: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Na manhã deste sábado (6), as máquinas começaram a trabalhar para medir e aplainar o terreno da Avenida Ipiranga e dar início à construção de mais uma etapa das obras da ciclovia.

O novo trecho, que vai da Avenida Azenha até a Silva Só, em frente ao Ginásio da Brigada Militar, é uma parceria público-privada com a Companhia Zaffari, em contrapartida à construção do Bourbon Shopping no bairro Santa Cecília. A novidade desta vez é que as obras seguem no outro lado da Avenida Ipiranga.

Entre os motivos que levaram à alteração do lado da ciclovia estão os dutos subterrâneos de gás existentes no terreno contínuo à atual ciclovia e a presença de uma escadaria tombada pelo patrimônio histórico, cuja remoção é proibida. A informação é do diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) Vanderlei Cappellari. A previsão é de que a obra fique pronta em 90 dias.

Cappellari explica que a tinta a ser utilizada na pista será a mesma utilizada nas demais partes concluídas da ciclovia.

Gerente de projetos especiais da EPTC, Antônio Vigna explica a obra contribui para a mobilidade urbana e faz parte de um projeto que prevê o crescimento gradativo da utilização de bicicletas em Porto Alegre. Segundo ele, a cidade registra, desde 2011, um aumento do número de ciclistas nas ruas e a redução nos acidentes de trânsito envolvendo bicicletas.

— Com o término da ciclovia e as demais obras que a prefeitura está fazendo, a cidade vai ganhar um novo circuito de mobilidade — afirma Vigna.

Ao todo, a ciclovia da Ipiranga terá 9,4 quilômetros, interligando as avenidas Edvaldo Pereira Paiva e Antônio de Carvalho. Atualmente, Porto Alegre conta com 13 quilômetros de ciclovias, todas baseadas no Plano Diretor Cicloviário.

mobilize.org.br



Categorias:Bicicleta, Ciclofaixas, ciclovias

Tags:,

11 respostas

  1. Começou o zigue-zague. O projeto prevê que a ciclovia troque de lado pelo menos cinco vezes. Essa ciclovia é tudo, menos prática.

    Curtir

  2. Pelo jeito a prefeitura não se importa que ela não sabe a aderência da tinta e pessoas tem dito que é escorregadia (e quebrado o braço):

    http://bit.ly/Z9oiYs

    http://bit.ly/10W2gbr

    Curtir

  3. Beei, já estão fazendo as medidas compensatórias do Bourbon do Força e Luz, quer dizer que sairá mesmo! A Protásio ficará um chaos.

    Curtir

  4. Mais um exemplo da falta de planejamento.
    A ciclovia SEMPRE deveria ter sido feita do outro lado (o centro-bairro) pois a escadaria tombada sempre esteve ali.

    Vai ficar no mínimo “engraçado” as pessoas mudando de um lado ao outro do Dilúvio na altura da Azenha.

    Curtir

  5. Bourbon no bairro Santa Cecília?

    Curtir

  6. oiutra coisa…aquela cerca esteticamente é horrivel…o que voces acham se a prefeitura tentasse melhorar o aspecto estetico daquela cerca plantando por exemplo a flor amarela ou roxa da trepadeira allamanda como nos links abaixo:

    http://dorasantoro.blogspot.com.br/2012/07/alamandas.html

    Curtir

  7. Por que não usam aqueles asfaltos vermelhos?

    Não sei como funciona, mas não é uma tinta, é um produto direto nas maquinas na hora de fazer o asfalto.

    Curtir

  8. Mudaram o projeto então? Putz. Quero ver como vai ser a troca de lado.

    Curtir

  9. A tinta escorregadia é a mesma então

    Curtir

  10. Que demora.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: