Justiça autoriza continuidade das obras de duplicação da Edvaldo

avenida-beira-rio-2010-ivo-goncalvesA juíza Nadja Mara Zanella, da 10ª Vara da Fazenda Pública do Foro Regional da Tristeza, indeferiu parcialmente o pedido liminar encaminhado pelo Ministério Público estadual e autorizou a prefeitura a remover as árvores que se encontram sobre o traçado da avenida Edvaldo Pereira Paiva e a dar continuidade às obras de duplicação da via. A juíza decidiu que poderão ser removidas as árvores que se encontram no trecho compreendido entre a futura rótula da Edvaldo Pereira Paiva e a rótula das Cuias.

De acordo com a decisão, o trecho está fora dos limites sugeridos na ação civil pública movida pelo MP para a instalação do Corredor Parque do Gasômetro. “Como a área mínima do referido parque não alcança a avenida Loureiro da Silva e o parque Maurício Sirotsky Sobrinho na parte em que está previsto corte de vegetais, não se justifica a suspensão do corte e das intervenções planejadas para estas áreas específicas”, alegou a magistrada.

Ainda de acordo com a decisão judicial, fica suspenso – por cautela – até o recebimento de mais informações, apenas o corte das árvores localizadas na avenida Presidente João Goulart, entre a rua General Portinho (que delimita a Praça Brigadeiro Sampaio) e a futura rótula da avenida Edvaldo Pereira Paiva, num total de oito unidades.

Compensação

Para as obras de duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva está prevista ainda a retirada de 101 árvores em toda a extensão do trecho IV (da General Portinho até a rótula das Cuias), sendo 70% espécies exóticas ou invasoras e nenhuma rara ou ameaçada de extinção. Todos esses vegetais estão localizados fora das áreas de praça e parques municipais, integrando a arborização viária. Eles encontram-se sobre o recuo viário da avenida Edvaldo Pereira Paiva, previsto no Plano Diretor. Como compensação vegetal, está definido o plantio de 401 mudas de árvores nativas distribuídas em diversas áreas subjacentes, além de outras 2 mil que integram o projeto de arborização urbana.

Parque

Na ação civil pública, o MP pediu a instalação de um parque inviável juridicamente, já que inclui área de propriedade do Estado do Rio Grande do Sul (ponta do Cais Mauá) e áreas de praça e parque já criadas por lei. A prefeitura defende o projeto de revitalização da Orla, também conhecido como Projeto Orla, que contempla não apenas todo o entorno do Gasômetro, mas estende-se até a rótula das Cuias.

O Parque Urbano Orla do Guaíba, projetado pelo arquiteto e urbanista Jaime Lerner, teve Estudo de Viabilidade Urbanística aprovado pela Comissão de Análise Urbanística e Gerenciamento (Cauge), pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural e pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e deve ser licitado ainda no primeiro semestre.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:,

18 respostas

  1. Comercial: Não percam! Os próximos capítulos da nova novela das nove, que os Gaúchos não cansam de ver e resto do Brasil não consegue entender! De um lado a Cidade de POA e sua população versus as forças ocultas do #RSDONÃO e seus aliados eu seria alienados.

    PS: Fechei com o Ricardo M (7 coisas que a prefeitura poderia providenciar que iriam melhorar muito o transito).

    Curtir

  2. 1) Regular, fiscalizar e licitar o transporte de ônibus em Porto Alegre.
    2) Resolver o problema da máfia dos taxis.
    3) Implementar (finalmente) o metrô.
    4) Investir em transportes alternativos (catamarã, VLT, aeromóvel, etc).
    5) Realizar a implementação e expansão dos BRTs com qualidade e planejamento.
    6) Retirar vagas de estacionamento das vias principais.
    7) Ampliar e conectar a rede cicloviária (não adianta ter várias que ligam o nada a lugar nenhum).

    Tá aí 7 coisas que a prefeitura poderia providenciar que iriam melhorar muito o transito. Mas tem cabeças por lá (e por incrível que pareça na população em geral) que preferem só sair jogando asfalto por tudo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: