Casos de desmatamento em Porto Alegre. Onde estão os manifestantes ?

desmatamentoAbaixo, sete casos de grandes áreas desmatadas em Porto Alegre para a construção de empreendimentos residenciais horizontais. Sim, horizontais. Casas. Muitas casas.  Todos em Porto Alegre, a maioria na zona sul.

Numa terra onde o vilão é sempre o “espigão”, existem outras inúmeras formas de se atingir o ambiente. Mas desses ninguém fala. Por que será? Pois nem sempre os prédios são os vilões. A quantas pessoas estes condomínios vão servir?

Não seria melhor a construção de prédios que são muito mais racionais em termos de espaço a fim de não prejudicar tanto o ambiente nativo da zona sul de Porto Alegre?

Vejam estas áreas abaixo. São algumas poucas dezenas de casas que são/serão construídas em vasta área desmatada. É clara a grande invasão ao ambiente local.  Estas áreas fazem com que a cidade se espraie demasiadamente e os serviços públicos como água, luz, esgoto, urbanização, tenham que ser levados a grande distância, aumentando os gastos da prefeitura e aumentando as distâncias a serem percorridas pelos seus moradores, tanto de carro como com o transporte coletivo. Todos sabem que as cidades brasileiras acabam se desenvolvendo como as cidades norte-americanas, se expandindo enormemente, ao contrário das cidades europeias que são mais concentradas. Colhe-se o alto ônus da descentralização demasiada da cidade desenvolvida desta maneira.

E mais uma coisa: existe uma omissão das pessoas ditas ecologistas e aquelas que sobem em árvores a estas áreas desmatadas. O que existe é uma exacerbada preocupação com as árvores urbanas, cujo efeito no clima é muito menor do que estas áreas na zona sul.

Pergunto: se o prefeito fosse de outro partido, estas pessoas estariam subindo nas árvores também?

As imagens, do Google Maps, a maioria de 2013, mostrando empreendimentos residenciais e outros em Porto Alegre:

desmatamento6

desmatamento5

desmatamento4

desmatamento3

desmatamento2

desmatamento1

desmatamento7



Categorias:Meio Ambiente

Tags:, , , ,

85 respostas

  1. A matéria constante neste blog certamente está sendo esclarecida pela Operação da Polícia Federal, em que o próprio Secretário está preso, será que as fotos apresentadas não fazem parte do esquema criminoso, este comandado pelo Sec. da SMAM.

    Faltou fiscalização da SMAM, omissão, corrupção, lavagem de dinheiro dentro da SMAM, como ninguém na Pref. Mun. de POA,. esta comandada pelo Pref. Fortunati não viu o que ocorre há muito tempo nesta cidade.

    Certamente, os crimes ambientais cometidos na cidade de Porto Alegre são de dimensões imagináveis, é só ter uma visão da cidade, como cresceu o ramo imobiliário, este em proporções que chama a atenção, inclusive pela Receita Federal.

    Fico a imaginar o resultado da perícia que será realizada pela Polícia Federal referente aos documentos apreendidos.

    Do resultado, poderemos concluir, que os movimentos populares nem imaginavam que a própria Pref. Mun. POA proporcionou de certa forma os atos praticados, começando pela própria omissão.

    Curtir

    • Sobradinho, não misture as coisas. Uma coisa é bandidagem, outra é a demanda por residências e qualidade de vida. Mesmo que fossem todos os administradores santos, ainda assim as pessoas buscariam um local para viver com suas famílias.

      Curtir

  2. O alphaville foi o pior de todos, uma area gigantesca desmatada! Aquilo lá foi fora do normal

    Curtir

  3. Alguem lembra, ja deve fazer uns dois anos que comentei que a SMAM cobrava para podar arvores?

    Que eles falavam que havia uma fila de espera de varios meses, mas que se pagasse fariam em poucas horas ou dias?

    Curtir

  4. Gilberto, agora as pessoas que se importam com uma situação se tornam responsáveis por todos os problemas do mundo??Significa que se eu ajudar uma pessoa que passa fome na rua eu me torno responsável por não ter ajudado milhões de pessoas passando fome na África??

    Quer dizer a única maneira se não ser hipócrita é não fazer nada?É se abster?

    Curtir

    • Gostei muito do teu exemplo, é isso aí.

      Curtir

    • Se você não separar o lixo da sua casa, voce é responsável por mais lixo no aterro superlotado que solta chorume no lençol freático (não deveria ser assim porque você paga impostos, mas não é o caso). Mas se você compostar o lixo orgânico você deixa de ser responsável por isso. E se você coletar o lixo seco e der para um catador você vai ajudá-lo, mais renda, mais dignidadade, menos tempo perdido fuçando no lixo para achar materiais. Todos são responsáveis por todos. Assim funciona a natureza e nós fazemos parte dela. É só ligar os pontos e ver as reações que você provoca no mundo com o seu modo de vida.

      Curtir

  5. Bom argumento contra os manifestantes. Somente contra suas pessoas, não contra a ideias deles. Não é por isso que a causa do asfalto é mais justa que a das árvores.

    Também é justo lembrar que, assim como os manifestantes merecem ser cobrados por incompetências, o “cidadão comum” que teve acesso a essas informações e cruzou os braços está igualmente sujeito a críticas, por sua passividade.

    Mas parabéns ao blog pela denúncia! É esse tipo de ação que dignifica o espaço.

    Curtir

    • É que as ideias não machucam ninguém e nem depredam o patrimônio publico e privado. Os manifestantes, sim!

      Curtir

  6. ah pois é,,, daí não é “cool” protestar!!!

    Curtir

  7. Parece que o dono do blog não conseguiu fazer a comparação entre esse post e aquele logo abaixo, onde há a denúncia de irregularidades na emissão de licenças em Porto Alegre, principalmente na questão da construção civil.
    Os condomínios horizontais em Porto Alegre estão em área que era puro mato, em sua maioria. Tais fatos que vem sido divulgados pelas ONGs ambientalistas de Porto Alegre há tempos, mas pasmem: a mídia tradicional nunca cobriu essa pauta.
    Sobre os protestos: ninguém é obrigado a protestar sobre tudo o que sabe, muito menos sobre o que não sabe. Se ninguém nunca soube disso, como haveria de se manifestar? Outra: é mais fácil de protestar sobre uma obra à porta de casa, do que diversas a quilômetros de distância. Muito mais fácil encontrar adeptos, da mesma maneira. Sim, as pessoas são acomodadas a ponto de não ir em um protesto só porque seu amigo não vai, por mais que concorde com a causa. Em suma: desqualificar alguém que protesta por um assunto não protestar por outros é um argumento totalmente aleatório.
    Por último: a expansão (desordenada) de Porto Alegre para o sul, em conjunto com a extinção da zona rural, será o maior desastre ambiental já visto por essas bandas.

    Curtir

    • Não é verdade. Os condomínios da zona sul são em áreas de campo e alagadiços. Apenas nos morros tem mato fechado. As ONGs ambientalistas não sabem de nada, mesmo.

      Curtir

  8. Pra mim o desmatamento da Zona Sul e a duplicação da Avenida Beira-rio são dois sintomas da mesma doença: a suburbanização da cidade causada pela cultura do automóvel.

    É simples, quanto mais avenidas largas e rápidas existem para acessar os subúrbios, mais longe as pessoas vão morar, levando mais adiante as fronteiras da cidade, adentrando no meio ambiente e mais deslocamentos de carro, causando mais trânsito e mais congestionamentos, tornando os alargamentos obsoletos.

    Isso tudo já foi estudado e comprovado em outras cidades.

    http://vadebici.wordpress.com/2013/02/16/por-que-a-construcao-de-mais-ruas-nao-alivia-os-congestionamentos/

    Curtir

    • Sim, e isso é fácil constatar isso no nosso dia-a-dia: conheço gente que comprou terrenos no Alphville e outras regiões na Zona Sul já levando em conta que “com a Av. Tronco e a Beira Rio vai ficar bem mais tranquilo de ir e voltar”. Ou seja, a simples expectativa de aumento de capacidade da via já gera tráfego futuro. E casos como esse são bem comuns.

      Curtir

  9. Deixa eu ver, são os mesmos manifestantes que têm que protestar contra tudo que está errado na cidade, mesmo que seja a 20km de onde moram enquanto a maioria da população fica de braços sentados, simplesmente criticando quem toma ação contra alguma coisa?

    Mais uma vez o autor deste blog critica e tenta descreditar os manifestantes ao invés de criticar os argumentos dos manifestantes (falácia ad hominem). Mas a verdade é que os críticos dos manifestantes, os defensores do chamado “progre$$o” não tem argumento algum, basta ver o post “Avenida Beira-Rio já” ( https://portoimagem.wordpress.com/2013/04/26/avenida-beira-rio-ja/ ), onde tanto os posts quanto os comentários que defendem a duplicação da avenida são incapazes de mostrar qualquer argumento racional.

    Curtir

  10. O Adriano foi perfeito. Mas eu atacarei por outro viés. Sou morador desta região há muitos anos. Nem existia o Google Earth. O extremo sul era uma região desabitada, com banhados e pastagens. De 15 anos pra cá, os proprietários de terra que criavam gado ou plantavam hortifruti lotearam e fizeram condomínios. Condomínios e loteamentos com praças, parques e ruas arborizadas. Altíssima qualidade de vida a 30 min do centro. Provavelmente alguns não entendem que as pessoas precisam morar e não cabe todo mundo no Moinhos. Quanto a não ter prédios há uma falácia. Se algum dos senhores tiverem o despudor de sair do centro-moinhos da cidade e forem em direção à Sociedade Hípica, perceberão um condomínio de prédios de 4 e 3 andares prontos para a entrega. Há mais árvores agora do havia a 20 anos.

    Curtir

    • Felipe,

      Concordo integralmente, pois sou morador do bairro Hipica e até pouco tempo atrás vivíamos isolados e quaisquer recursos, e tais empreendimentos trouxeram comércio e uma grande qualificação para a região.

      Infelizmente, 95% dos leitores deste blog (aliás, 95% dos moradores da capital mesmo), sequer conhecem a nossa situação de vida, talvez só de passagem, nada mais.

      Onde estão construindo esses condominínios havia banhado, mosquitos e mato, não florestas. Quem não conhece a realidade do subúrdio de Porto Alegre (vivemos muito melhor que a imensa maioria dos habitantes da nossa região central e caótica), não sabe o que está falando ao criticar o desenvolvimento aqui.

      É aquilo..”mais realidade”, “menos Moinhos de Vento”…é isso que falta.

      Conheçam Porto Alegre de fato antes de criticar as coisas…

      90% dos portoalegrenses não conhecem a sua cidade.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: