Ceitec é um sorvedouro insaciável de recursos públicos. Só privatização salva o fracassado projeto gaúcho

Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec S/A), em Porto Alegre

Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec S/A), em Porto Alegre

Não chegou a causar espanto a posição do presidente da Ceitec, Sylon Gonçalves da Silva, que é a de passar adiante o controle da estatal federal erguida no RS para produzir semi-condutores e que já vampirizou R$ 600 milhões do Tesouro Nacional.

 A estatal é um fracasso.  Ela não se paga e ainda exige muito dinheiro para continuar investindo.

 O ministro de Ciência e Tecnologia, o gaúcho Marco Antonio Raupp, não quer nem ouvir falar nisso.

Diante das resistências, a melhor opção poderá ser um acerto do tipo PPP, com alguma empresa estrangeira poderosa produzindo dentro da própria Ceitec, num primeiro momento, para depois assumir todo o negócio.

Políbio Braga



Categorias:Ciência e Tecnologia, Economia, Economia da cidade, Economia Estadual

Tags:, ,

54 respostas

  1. Seria muito melhor se a produção de componentes de alta tecnologia viesse de pesquisas universitárias e da iniciativa privada, e não tem um empreendimento estatal. Baixem impostos, diminuam o tamanho gigantesco do Estado e deixem para as pessoas o papel de inovação e empreendedorismo, como fazem países subdesenvolvidos como EUA, Japão e Alemanha.

    Curtir

  2. Enquanto essa esquerda hipócrita demonizar a privatização, continuaremos tendo esses lixos de empresa como Petrobras, eletrobras, rge sugando o dinheiro do contribuinte. Meu sonho é que o PSDB assuma o discurso da privatização, esclareça as diferenças em relação as estatais e encara de vez a esquerda que domoniza a privatização. Outro sonho que tenho é que acabem com o bndes e sua generosidade para com Cuba, Angola, ogx,llx,osx,mpx, marfrig e outros conglomerados comparsas do PT e seu estilo de governar…e a tua explicação a respeito do valor de mercado da vale Rogério, é de matar. Sou analista de valores nobiliários,e a vale só tem o preço que tem hoje, pois seus resultados operacionais sao infinitamente superiores aos que obtinha antes da privatização!!!

    Curtir

    • Luli.
      .
      Meu caro amigo, podes até ser analista de valores nobiliários e se avalias uma mineradora pelo lucro operacionais do passado, fico com pena das pessoas que estão recebendo as tuas avaliações, para ter uma ideia como se avalia uma empresa de mineração vou colocar dois links sobre o assunto, um primeiro mais restrito sobre um artigo escrito por um especialista internacional sobre mercado de minérios.
      .
      http://www.australianminingcompanies.com/113627.php
      .
      verás que a avaliação de qualquer tipo de mineradora passa exatamente pela expectativa de lucros futuros em termos de reservas.
      .
      Agora se ficares insatisfeito pelas colocações do mesmo há um pequeno trabalho ne rede mesmo sobre avaliação de metais e mineradoras, e nele verás que a ênfase principal esta nas reservas, pois elas que determinam o fluxo de caixa no futuro:
      .

      Clique para acessar o Valuation_of_Metals_and_Mining_Companies.pdf

      .
      Principalmente no página 41 lerás um texto que desdobra bem como avaliar o preço de uma mineradora
      .
      “The fundamental asset which underpins the value of any mining project is its ore reserve,
      and a thorough understanding of the reserve is the first requirement of any discounted
      cash flow valuation.
      The tonnage (size) and grade of any reserve is estimated from a limited number of
      samples which constitute a very small proportion of the total deposit. Sampling, by its
      nature, is a statistical procedure and so is the estimation of reserves. All reserve estimates,
      therefore, are subject to a greater or lesser degree of uncertainty.
      It is fundamental to the economics of mining that costs are determined by the
      number of pounds or ounces mined and processed, while revenues are determined by the
      number of pounds or ounces of metal sold times price of the metal. These two factors,
      cost and revenue, are related by the grade of the ore. Dilution by waste rock increases the
      tonnage of material mined and reduces the grade. It increases cost and reduces revenue. It
      reduces value. Therefore, the importance of the concentration factor88 in determining the
      value of mining company should not be undervalued. A company with a lower grade of
      ore will have to process more rock, possibly at greater cost in order to obtain a given
      amount of economically valuable material.
      Inaccurate analysis leads to an overestimation of reserves grade and an inadequate
      allowance for dilution leading further over-estimation in mined grade. This in turn, leads
      to over-estimation of revenue.”
      .
      Se quiseres alguma interpretação sobre termos técnicos do texto, é só perguntar.
      .
      Agora, por favor, não me venha dizer que para uma mineradora as reservas não são importantes, ainda bem que colocaste somente um nick name, Luli, nas tuas observações, pois se não fosse assim poderias te comprometer profissionalmente.

      Curtir

  3. Quando escutei pela primeira vez vozes sobre a privatização da telefonia elas diziam que com a privatização teríamos duas coisas, empresas com alta tecnologia em comunicações e investimentos maciços.
    .
    Achei que viriam grande conglomerados norte americanos, japoneses, inglesas ou alemães para dar um salto de qualidade na telefonia no Brasil, novas tecnologias, grandes investimentos bla, bla bla….
    .
    Feito o processo da privatização o que apareceu. A Telefonica da Espanha, a Tim da Itália e Claro do México!
    .
    Em 1990 estava em Valência na Espanha a terceira maior cidade da Espanha, e para minha surpresa para ligar para o Brasil, na época tive que fazer uma ligação via telefonista, pois não havia DDI nesta cidade. Assim como a Telefônica a Tim possuía um dos piores atendimentos na Europa, e o nosso amigo dono na Claro, como ainda não havia ganho de presente as companhias telefonicas do Brasil, Argentina e outros países da América do Sul, ainda era um milionário para padrões latinos.
    .
    O que acontece hoje em dia, temos uma das piores telefonias celulares dos países mais desenvolvidos, a nossa banda larga é uma verdadeira piada, se olharmos nos dados estatísticos da International Telecommunication Union veremos que o Brasil está disputando com o Cazaquistão o lugar de 75° em uso da Internet com sérias chances de perder a posição(isto numa lista de 228 países), pois a internet em 2007 no Cazaquistão tinha menor penetração que a internet no Brasil em 2001, ou seja, em dez anos crescemos menos em internet do que o Cazaquistão em 4 anos. (http://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Pages/definitions/default.aspx) Um pequeno detalhe, na Europa até Albânia tem mais internet que o Brasil.
    .
    Outro dado espantoso da eficiência das empresas de telefonias doadas a iniciativa privada é o número de antenas por celulares. Segundo a própria ANATEL, enquanto no Japão e Estados Unidos o número de celulares por antenas 10 e 4 vezes menor do que no Brasil (no Japão há em torno de 450 celulares por antena, no Brasil 4600).
    .
    Com tudo isto ainda temos umas das tarifas mais altas do mundo.
    .
    Em resumo, a privatização da Telefonia no Brasil, depois de 14 anos de uma venda que entregou de graça um patrimônio nacional para empresas com baixo nível tecnológico e incapacidade administrativa, estamos aumentando o número de telefones celulares por conta da piora do sinal (há dez anos tínhamos 2400 celulares por antenas agora temos 4600), pagando caro e recebendo um serviço porco.
    .
    Vamos privatizar logo a CEITEC, talvez firmas Angolanas, que estão investindo muito em Portugal, venham aportar a sua tecnologia para a fabricação de chips.

    Curtir

  4. Não acredito que a maioria do povo aqui tá defendendo a privatização. Só pode ser piada. O Eike Batista ganhou umas dez vezes esse valor a juros módicos do BNDES e não criou nada novo. Só deu a sorte de ser filho de um ministro de minas e energia influente que lhe deixou um legado bilionário (e que parece que está sendo mal administrado dados os últimos resultados).

    Caramba, o CEITEC consumiu só 600 milhões – para criar tecnologia onde o Brasil engatinha? Quanto será que a Intel gastou para chegar na tecnologia do Pentium? Umas vinte vezes esse valor?

    Temos muito o que correr atrás, e tecnologia de semicondutores, deve, sim, ser um setor estratégico, pois as nossas empresas privadas só criam pseudotecnologia de ponta, ou seja, importam componentes da China e montam algo que qualquer um consegue fazer em casa tendo primeiro grau incompleto. Nem o design da carcaça é original. Vide Positivo, Intelbras, CCE, Amazon PC e por aí vai, até Itautec.

    Por que não transformam o CEITEC em empresa de economia mista como a Petrobras? Ou vão dizer que a Petrobras não é lucrativa? Mesmo servindo de válvula de escape para a inflação, tendo seus preços tabelados, é a empresa que comanda Bovespa, sempre liderando em volume de negociações.

    Privatização o caramba, Políbio!

    Curtir

    • Privatizacao JA’. e se der, privatize o Banrisul Tambem, CEEE toda a reba estatal tem que ir para o lixo da historia ou tem que ser privatizada. Esta mais do que na hora de comecar a desconstruir estatais, secretarias cabides…etc…fim da mamata.

      Curtir

      • Sim, e aí vamos ter excelentes serviços privados, como no caso das operadoras de telefonia, certo? Por exemplo, o sinal 3G/HSDPA quase explode de tão forte no meu telefone, mas a internet se arrasta, e as operadoras me vem com a desculpa de que faltam antenas. Falta contratarem mais banda junto aos backbones também. Traffic shaping chega a ser um vilão igual ou pior do que a disponibilidade de sinal.

        Outro ponto: você realmente acha que os call-centers das telefônicas são melhores do que guichês do serviço público, onde ao menos você é atendido por um servidor com um poder mínimo de decisão? Esses atendentes de call-centers são pobres coitados que servem apenas para blindar a operadora em relação ao cliente e eximindo-a da responsabilidade de solucionar os problemas.

        E existem tetas no mundo privado também, gerentes políticos que entendem mais de lamber saco do que de administrar eficientemente uma empresa. E não adianta vir com aquele argumento de que “ao menos a empresa não é sustentada pelo dinheiro dos nossos impostos”. Ledo engano, o governo é um cliente parrudo de todas essas empresas, Claro, Vivo, Oi, Tim, então é assunto meu se essas instituições não forem eficientes. Também é assunto meu porque tratam-se de concessões públicas e é obrigação delas executar o serviço de acordo com o que lhes foi licitado.

        Uma estatal faria pior? Bem, sou cliente do Banco do Brasil e não troco por nada. De longe é o melhor home banking, atendimento de primeira em comparação com muitos privados. Para encerrar um serviço num banco privado quase te ameaçam de morte, te enrolam, o que acontece em menor intensidade no BB. Não ponho minha mão no fogo pela Caixa, mas assim como há coisas boas e ruins no mundo público, também há no privado.

        Se o CEITEC começou público, a sociedade pagará um alto custo pela privatização, é uma mudança drástica de abordagem. O compromisso com inovação cessa, pois o que importa é o lucro e o curto prazo. Como o Brasil engatinha em tecnologia, o CEITEC se tornaria mais um importador da China e Coréia, como faz a maioria das empresas de tecnologia brasileiras.

        A teta e a mamata tem que acabar, mas o caminho da privatização é apenas a privatização das tetas. Assim, estaria você se queixando da existência das tetas ou da falta de uma só para você?

        Curtir

    • Ahh sim, e o Eike batista, que enriqueceu as custas de uma estatal (BNDES, que recentemente ganhou até o apelido de BNDEX por causa do grupo X do Eike Batista) é o seu melhor exemplo para provar que estatais são melhores que empresas privadas?

      Por mim podiam privatizar ou fechar o BNDES junto.

      Curtir

      • Tenho inúmeros exemplos. O liberalismo puro não funciona assim como o comunismo puro. Sem sindicatos e sem a livre iniciativa, teríamos uma democracia capenga pendendo para um dos lados.

        Sou a favor de o Estado sustentar sociedades de economia mista para impor um ritmo mínimo ao privado. Do contrário, acontece o que vemos no caso da telefonia, onde há quase um cartel, um acordo de morosidade e mediocridade. A internet 3G ainda engatinha. É mais fácil encontrar um ponto de internet Wi-Fi num restaurante do que usar o plano de internet do celular. Surreal.

        Mas concordo que o BNDES poderia fechar… atualmente, tem prestado um desserviço ao empreendedorismo.

        Curtir

        • “Sou a favor de o Estado sustentar sociedades de economia mista”

          Igual ao que temos no Brasil desde… sempre? Lamento te dizer mas isto não funciona! 😉

          Além disto, telefonia é uma das áreas mais reguladas pelo governo. Não há competição pq o governo impede a entrada de novos players e o serviço é ruim pq além da pouca competição, o governo impede a instalação de antenas, não havendo capacidade para todos os usuários.

          Curtir

      • Adriel.
        .
        A origem da riqueza de Elke Batista não é o BNDES, foi a ação do seu progenitor, algo tão difícil de ser explicado em público para alguém que não tenha um bom setor jurídico para evitar os processos que sucederão.

        Curtir

  5. Olha, quando o cara começa um texto dizendo que a única saída é a privatização…eu já fico com um pé atrás. Quando esse cara é o Políbio “Viva a Pensant !” Braga…não dá nem para comentar.
    Mas aí é muito fácil. Assim eu também quero essa tetinha. Os governos investem 600 milhões e jogam na mão da inciativa “privada” ? E se não der certo, o governo paga o prejú de novo ?

    Curtir

    • Exato. Ninguém está levantando a hipótese bem mais razoável de tornar o CEITEC uma empresa de economia mista, como Banrisul ou Petrobras. A Vale está aí para nos mostrar o que jogamos fora por uns cinco bilhões que mal fazem cócegas no nosso PIB. Uma empresa do porte da Vale deveria ter custado uma dez vezes esse valor, mesmo considerando a realidade monetária da época.

      Tem gente que vai faturar nessa negociata. Espero que depois façam CPI e uma prisão midiática pela PF para que, pelo menos, os negociadores sintam vergonha de mostrar a cara na rua. Vergonha alheia dessa hipótese sequer estar sendo levantada.

      Curtir

  6. Eu sinceramente não entendo como ainda se discute uma estatal no meio de um ramo que precisa tanto de inovação constante e competitividade. Engenheiros do MIT estão vomitando neste momento. Só no Brasil. Melhor: só no Rio Grande do Sul. Se ainda tivesse a ver com segurança nacional, mas fazer semi-condutores para consumo em geral…

    Curtir

  7. Engraçado que a mesma turma que defende isenção fical para montadoras e dinheiro público com juro de pai pra filho pro seu Eike agora vem falar que o “Ceitec é um sorvedouro insaciável de recursos públicos”.

    Curtir

  8. O Brasil possui uma das melhores “areias” (base do silício) do mundo. Tem muita energia elétrica, que é uma das coisas que mais se consome no processo de produção do semicondutor. Além disso no Brasil há também terras raras, que também é usada em semicondutores.

    Acontece é uma mistura de vaidade e ignorância querer fazer semicondutores de cara e ainda semicondutores para satélites ou processadores multi-core.

    Mesmo que tivéssemos salas limpas para produzir isso, estaríamos vendendo areia e minerais para comprar silício metálico e outros materiais para produzir esses semicondutores.

    Se o Brasil quer entrar na era da micro-eletrônica, ele deve fazer como a Rússia ou a China, começar por baixo.

    Primeiro, dominar a extração do silício (isso já está bom);
    Segundo, dominar o processo de produção do silício metálico, ou vamos exportar areia para comprar silício metálico?
    Terceiro, dominar o processo de produção de lingotes monocristalinos de silício. Depois disso podemos até exportar esses lingotes para a China, que é a maior produtora mundial de semicondutores (passou os EUA faz tempo);
    Quarto, dominar o processo de produção de wafers. Essa é uma matéria prima cara, pesada e delicada para transportar. A produção deve ser beeem mais próxima daqui;

    Pronto, só depois disso poderíamos sonhar em produzir semicondutores.

    Curtir

    • Pablo.
      .
      Li a pouco, a UNICAMP está produzindo silício a um grau de pureza de 99,9993% falta 0,0006% para atingir o ideal em termos de placas de geração de energia, logo devíamos é ter uma operação combinada de diversos setores que trabalham nisto.
      .
      Agora com o um ministro que provém do INPE (Marco Antonio Raupp) só pode pensar em satélite mesmo. Se ficássemos com o filé da industria de chips, o chip para eletrodomésticos e automóveis, por exemplo, talvez não seria tão difícil. Agora procurar começar por aonde que os outros terminam é dose.
      .
      A indústria eletrônica japonesa começou fazendo radio de pilha transistorizado e inundando o mundo com seus rádios de baixo custo, agora a Sony, que começou em 1950 com isto é o que é.
      .

      Curtir

  9. cabide de empregos

    Curtir

  10. Que fim levou a parceria com a Motorola para a produção dos chips? Foi tudo de mentirinha?

    Curtir

  11. Isso que da o estado querer se meter aonde nao deve.

    Privatize já

    olhem o exemplo da vale do rio doce o que era antes quando estatal e hoje privatizada e olhem o exemplo da petrobras na mao do estado. A vale já aumentou em mais de 1000% o valor de mercado dela, enquanto a petrobras agoniza perdendo ano após ano valor de mercado pelo fato de seus gestores(estado) utilizarem a empresa como mecanismo de controle de inflação, cabide de empregos de politico ladrao e a estupida idéia populista na compra de equipamentos nacionais para a exploração do pré sal, mesmo sendo eles mais caros e de pior qualidade…

    Curtir

    • Péra aí luli, as coisas não são bem assim.
      .
      Todas as mineradoras valem não por produtividade ou por qualquer coisa do tipo, elas valem pelas reservas que possuem. Quem avaliou a Vale do Rio Doce foi a Marril Lynch, e avaliou em 10 bilhões de dólares, para a surpresa de todos esta corretora era sócia de uma das empresas que entrou no leilão da Vale. Como num passe de mágica ela passou a valer 100 bilhões de dólares. Ela foi vendida no fim por 3,3 bilhões de dólares e só no ano em que foi vendida ela teve um lucro líquido de 12,5 bilhões de dólares, ou seja foi uma das maiores negociatas da Terra.
      .
      As reservas da Vale no Carajás tinha sido avaliadas em 3,2 bilhões de toneladas e para surpresa de todos depois da privatização reavaliaram e chegaram a 12,9 bilhões de toneladas.
      .
      Quanto a Petrobrás ser um cabide de empregos é algo que não se sustenta, podes pegar os índices de empregados por produção da Petrobrás e não notarás diferença desta para as grandes do mundo.
      .
      Eu pesquiso para a Petrobrás e a Shell, e falando com os dois se vê que a única diferença entre as duas é que a Shell tem salários bem melhores do que a Petrobrás.
      .
      A Petrobrás não agoniza coisa nenhuma, ela vai bem obrigado, o problema é que para explorar o pré-sal ela está tirando água de pedra do seu orçamento e reinvestindo o máximo possível. Se não houver interferência política nenhuma daqui a cinco ou seis anos ela começa a recuperar e os lucros irão as estrelas.

      Curtir

  12. Recordar e’ viver…… 08/02/2010

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta segunda-feira (8), que a inauguração da primeira fábrica brasileira de chips em Porto Alegre (RS), na semana passada, é um divisor na história da inovação tecnológica do País. A produção de chips ocorre no Centro Nacional em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec), único fabricante na América Latina.

    Segundo Lula, o Ministério de Ciência e Tecnologia investiu R$ 400 milhões no local que, por enquanto, produz chips para o rastreamento de rebanhos bovinos. O presidente destacou ainda que, por meio da fábrica, o Brasil mostra ao mundo sua capacidade de competir internacionalmente no setor.

    “A coisa mais extraordinária é que, em 60 dias, nós conseguimos trazer de volta para o Brasil praticamente 100 engenheiros para trabalhar nessa fábrica pessoas que são altamente qualificadas e que estavam, por falta de oportunidades, trabalhando no exterior”, disse. É isso que vai dar ao Brasil a dimensão de uma grande nação. “O Ceitec é apenas o começo de uma caminhada do Brasil para um futuro muito promissor”, completou.

    http://jornaldocomercio.provisorio.ws/site/noticia.php?codn=19527

    Curtir

  13. Poderia ter elencado os motivos para o fracasso.

    Curtir

  14. Quando a CEITEC direcionava a solicitação de estagiários somente para universidades/faculdades escolhidas a dedo, como se fossem as “únicas” e melhores, ela era ainda uma empresa que (des)acreditava em seu potencial. O BRDE também fazia (ou faz) isso. Mandava o pedido somente para os “the be$t” universitários. Tá aí o resultado. Nem isso ajudou. Margin Call é um filme interessante.

    Curtir

  15. Acho que a Ceitec tem que parar de mimimi e começar a produzir o que consegue produzir. Por exemplo células solares em larga escala.

    Curtir

    • Queria entender por que vocês usam tanto este termo “mimimi”… O que significa isso ?

      Curtir

      • mimimi quer dizer choradeira, mas não sei quando o ceitec fez isso

        Curtir

        • A Ceitec não quer produzir componentes mais simples, quer produzir semicondutores especiais, mixed-signals, RF-ID… Tem toda a infra para sair produzindo células solares, LEDs e outros componentes mais simples e insistem em querer mudar o mundo com máquinas velhas doadas pela Motorola há mais de 10 anos.

          Curtir

        • Hahaha! É mesmo! Está certo!

          Curtir

        • Parece que o Pablo definiu o óbvio. Quando se começa qualquer coisa tem que se começar com o básico.
          .
          Montamos um laboratório aqui na UFRGS que hoje em dia está no mesmo nível dos melhores internacionais (quem diz isto não sou eu), mas começamos lá na origem de tudo, repetindo (sem os erros) coisas que já vinham sendo feitas há quinze anos, em doze anos estamos fazendo coisas que os outros não fazem!
          .
          Tem que se ter humildade e persistência, e colocar para o curto prazo coisas factíveis, mesmo que venha alguém e diga:
          .
          – O O do borogodó já fez isto a dez anos.
          .
          Aí o que respondes.
          .
          – Exato, estamos verificando se ele fez certo (e na maior parte dos caso se acha furos)!
          .
          Agora ter a petulância de acompanhar de cara a indústria de componentes eletrônicos é de quem não tem cabeça.

          Curtir

        • Rogério, resposta abaixo.

          Curtir

        • Mas me parece que pelo menos o chip para rastreamento do gado e rastreamento veicular eles já tem pronto.
          .
          Tem algo nestas firmas de alta tecnologia que muitos não entendem. Se eles fizerem poucos produtos, simples mas com alto valor agregado ela se paga em dois toques.

          Curtir

        • Esses rastreadores a Philips já faz a anos e funciona muito bem. Como é que vai concorrer com eles? Se ainda fosse um produto realmente novo.

          Curtir

      • Mimimi é o que o Políbio vai fazer quando incriminado na Operação Rodin .

        Curtir

    • Já era de se esperar… alta tecnologia e burocracia estatal não combinam. Até para tirar cópia de uma chave precisa fazer licitação que pode demorar 3-6 meses.

      Apesar de ser minha área de formação: “microeletrônica”, nunca mantive grandes espectativas quanto ao CEITEC. Só para ter uma noção, no projeto original ele era para começar a produzir chips antes de 2006. Estamos em 2013 e mal saiu a primeira fornada.

      Curtir

      • Ah, e nem falei o outro problema das licitações: produtos de baixa qualidade!

        Sou funcionário público e convivo diariamente com isto. Só para citar alguns exemplos: tomadas de eletricidade que não encaixam os plugs, roteadores wireless que não conectam, switchers que levam 2 minutos para efetuar a conexão a internet por cabo, ar condicionados classe D (em 3 meses de uso o gasto extra com eletricidade paga a diferença para um classe A), cadeados inox (made in china) que enferrujam,…

        Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: