DMLU promove ação de limpeza do arroio Dilúvio

Um barco percorrerá o o arroio, coletando pneus, garrafas, copos e sofás descartados   Foto: Francielle Caetano/PMPA

Um barco percorrerá o o arroio, coletando pneus, garrafas, copos e sofás descartados Foto: Francielle Caetano/PMPA

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) organizou, com o apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, do Dmae e do DEP, uma ação em conjunto para limpar o arroio Dilúvio e melhorar seu aspecto visual. Todos os meses, a Cootravipa colocará uma equipe de 25 garis para recolher o lixo da superfície do Dilúvio, em uma extensão de quase 10 quilômetros na avenida Ipiranga, usando um pequeno barco a remo. Para evitar a contaminação, os garis usarão uniforme especial, com macacão de saneamento, luvas e máscaras.

O início da operação será na próxima quinta-feira, 2, às 10h. Com a presença do prefeito José Fortunati, do vice Sebastião Melo, demais autoridades e da comunidade, terá início a limpeza. Um barco irá percorrer o primeiro trecho do Dilúvio, entre as avenidas Borges de Medeiros e Vicente da Fontoura, realizando a coleta do material. Logo que a embarcação estiver lotada, os detritos serão transferidos para um caminhão. Os outros três trechos serão limpos nos dias 3, 6 e 7.

Para André Carús, diretor-geral do DMLU, o recolhimento do lixo da superfície, como pneus, garrafas, pet, copos, sofás e outros objetos, já era uma ação planejada desde que foi convidado para assumir o cargo. A Smam, DEP e Dmae, farão ações educativas durante o trabalho.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Meio Ambiente

Tags:

24 respostas

  1. Duvido, no momento que os sociopatas C-T-C-T souberem disso, havera abracos ao diluvio, e gritos contra o capitalismo e “o petroleo e’ nosso” . Prq afinal de contas nao se pode “HIGIENIZAR” nada, de acordo com estes malucos.

    Curtir

  2. Po, que bacana que começaram uma limpeza, mas, mesmo assim, fica aquela sensação de que é muito pouco.

    Curtir

  3. Há algo de nostálgico nesta notícia, há quase oitenta anos que não navegam oficialmente barcos no dilúvio. Se olharem nas pontes mais antigas há até embarcadouros.

    Curtir

  4. Tinha postado um comentário aqui, mas aparentemente ele sumiu.

    Queria que o Gilberto desse uma notícia de como foi a movimentação do protesto a favor da duplicação da Avenida Beira-Rio. Teve a “enorme aglomeração”?

    Curtir

    • O protesto não tinha nada a ver com o Blog. Eu transcrevi aquela notícia do Blog do Jornalista Prévidi. Não obtive mais informações.
      Me reservo o direto de moderar o blog da maneira que achar melhor e sem qualquer aviso prévio.
      O comentário foi deletado pois estava no post errado, tanto que tu reescreveu ele no local certo.

      Curtir

      • Não tinha nada a ver mas, aparentemente, apoiou a iniciativa. É fácil criticar os que se organizam e protestam contra o que acham justo. Agora, pra se organizar e protestar por suas causas, o buraco é bem mais embaixo.

        Curtir

    • Procurei na Internet alguma coisa sobre esse proteste em favor da duplicação da Beira-Rio e não achei nada… Quer dizer, dois Twitter e dois blogs.

      Curtir

      • Prq quem e’ a favor da duplicacao tem emprego, familia, coisas para fazer e nao sao fanaticos militantes, sao pessoas comuns que nao tem como se organizar da mesma forma que os lumpens.

        Curtir

  5. É um começo.

    Mas falta educar o povo e resolver o problema das favelas no inicio do arroio.

    Curtir

  6. Ótimo iniciativa! Tanto o dilúvio quanto suas margens devem ser limpas continuamente. O pessoal da prefeitura costuma se esquivar colocar toda a culpa na população afirmando que “são mal educados”. Mas não importa, por exemplo calotas de carros tem aos montes e ninguém joga lá. Acaba caindo, mesmo de carros novos ao passar seguidamente por buracos em PoA. Em dias de temporal o próprio mobiliário urbano acaba quebrando e caindo, fora restos de publicidade e coisas assim.

    Curtir

  7. Limpeza, lixo …. :

    Da lista acima, Luiz Fernando Záchia (PMDB), Berfran Rosado (PPS), Marcos Aurélio Chedid (PSD) todos atuam fortemente na área de resíduos sólidos (LIXO) e mantém relações com as empresas privadas VEGA Engenharia Ambiental S/A e REVITA Engenharia Ambiental S/A, essas operando nos serviços de coleta de lixo (Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo, S. Leopoldo, Rio Grande, entre outras cidades) e a última sócia em aterros sanitários no Rio Grande do Sul (Minas do Leão, S. Leopoldo e Giruá), cujos empreendimentos obtiveram licenciamento ambiental junto a FEPAM-RS.

    O ex-deputado estadual Berfran Rosado (PPS) é velho conhecido da VEGA Engenharia Ambiental S/A.

    O consultor ambiental Rosado teve a sua campanha eleitoral a deputado (Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul ) financiada pela empresa VEGA Engenharia Ambiental S/A, que pertence ao grupo SOLVÍ Participações S/A, dono também da REVITA Engenharia Ambiental S/A, essa última operando a coleta de lixo de Porto Alegre há quase 18 meses, por meio de contratos sem licitação pública, ditos por emergência.

    Atualmente o ex-deputado estadual Berfran Rosado (PPS) é dono do Instituto Biosenso de Sustentabilidade Ambiental, que atua com resíduos sólidos e saneamento entre outras áreas.

    Em 12 de julho de 2011, em um dos últimos eventos do Instituto Biosenso de Sustentabilidade Ambiental, Berfran Rosado formou parceria com a Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) que tinha por titular Fernando Zachia, tendo por meta a realização do Fórum Concertação Ambiental – Soluções Sustentáveis para Porto Alegre. Além de Berfran Rosado (PPS) e Fernando Zachia (PMDB), esteve presente o chefe do Executivo Municipal de Porto Alegre, o prefeito José Fortunati (PDT), que também atuou como palestrante nesse evento do Instituto Biosenso de Sustentabilidade Ambiental.

    Em relação ainda a Berfran Rosado, há suspeitas de que ao prestar consultorias por meio do Instituto Biosenso Sustentabilidade Ambiental, agiria fazendo tráfico de influência por manter uma rede de relações em órgãos ambientais. Ao ser preso em Porto Alegre, Berfran mantinha em sua posse o montante de R$ 25 mil e de US$ 25 mil dentro de uma pasta.

    Já o ex-secretário municipal de Preservação Ambiental da Prefeitura de Canoas, Marcos Aurélio Chedid (PSD), atual vice-presidente do PSD (partido do ex-prefeito Gilberto Kassab),
    foi indicado pelo ex-prefeito Marcos Ronchetti (PSDB) para ser o titular da pasta do Meio Ambiente canoense.

    Marcos Ronchetti (PSDB) teve a sua campanha eleitoral, quando concorreu ao cargo de prefeito de Canoas, o financiamento pela empresa VEGA Engenharia Ambiental S/A, do grupo SOLVÍ.

    Chedid (PSD) atuou nos bastidores da campanha eleitoral para o cargo de prefeito no município de Porto Alegre em 2012. Chegou a encaminhar uma reunião entre um candidato a vice-prefeito de Porto Alegre e a empresa REVITA Ambiental. O objetivo era o financiamento de campanha.
    Em 09 de janeiro de 2013, o PSD municipal de Porto Alegre, com a liderança do vice-presidente do diretório estadual, Marcos Aurélio Chedid, acenou positivamente para ingresso do partido no governo do prefeito José Fortunati (PDT), o que acabou não acontecendo.

    Luiz Fernando Záchia (PMDB), então secretário da pasta de Meio Ambiente da Prefeitura de Porto Alegre, esteve no primeiro governo do prefeito José Fortunati em visita a LIMA no PERU.

    Lá em LIMA no PERU. Zachia foi recepcionado pela alta cúpula das empresas REVITA Engenharia Ambiental S/A e RELIMA Ambiental S/A, que junto com a VEGA Engenharia Ambiental S/A pertencem ao portfólio do grupo SOLVÍ Participações S/A.

    A justificativa da viagem a LIMA no PERU era para conhecer os serviços de limpeza urbana operados pela RELIMA. Ora, é inacreditável que isso tenha ocorrido, até porque existem centenas de outras cidades no Brasil que servem de parâmetro para a gestão do lixo de Porto Alegre. Como S. Paulo como afirmou o próprio prefeito Fortunati.

    Com relação a viagem internacional do secretario municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, Fernando Zachia, a LIMA no PERU, a Secretaria de Segurança Pública do Governo do Rio Grande do Sul, via a Delegacia Fazendária do DEIC, abriu um processo de investigação sigiloso, conforme correspondência desse órgão enviado ao vereador Comosseto (PT).

    Mas não é somente Zachia investigado pela Secretaria de Segurança Pública do Governo do rio Grande do Sul. Empresas de lixo, ex-diretores de departamento de limpeza pública fazem parte da lista.

    Por sua vez a empresa RELIMA está envolvida no famoso Caso COMUNICORE, em LIMA no PERU, que o leitor pode conhecer na íntegra acessando o site Máfia do Lixo.

    Consta no despacho da prisão temporária de Fernando Zachia, que foi percebida na investigação “estreita relação dele com despachantes ambientais (…), inclusive com encaminhamento de vantagens ao secretário por ter encampado interesses privados no seio da administração municipal”.

    Então o lixo faz parte do dia a dia desses três presos e investigados pela Polícia Federal. E com absoluta certeza a PF vai analisar profundamente o tema em questão.

    Mais em http://www.mafiadolixo.com/2013/04/lixo-gaucho-na-mira-da-policia-federal/

    Curtir

  8. OFF in http://www.sul21.com.br/jornal/2013/04/fortunati-investiga-fortunati/

    Fortunati investiga Fortunati

    Demorou mas era inevitável que acabaria acontecendo. Uma pena que tardiamente, só ocorrer no final do oitavo ano do governo Fo-Fo (Fogaça-Fortunati). Depois do registro de dezenas de episódios de denúncias de irregularidades e desvio de recursos públicos, de favorecimentos, de uso da máquina pública para fins eleitorais e de assédio moral, José Fortunati assina a Portaria 422/2012 criando uma comissão especial para apurar irregularidades nos processos de aprovação urbanística e ambiental da Prefeitura de Porto Alegre. Trocando em miúdos: o Prefeito determina inspeções para apurar supostos ilícitos ocorridos nas secretarias de obras (SMOV) e de planejamento urbano (SPM). Sabe-se que essas duas secretarias constituem apenas a primeira etapa de um longo périplo. Recente coluna publicada na página 10 de ZH antecipou: …”depois da SMOV e do Planejamento, a Procempa será o próximo alvo de uma inspeção que revolverá suas entranhas para identificar e eliminar focos de irregularidades.”
    O cidadão e contribuinte que acompanha atentamente o dia a dia deste governo desde 1º de janeiro de 2005 poderá completar o “furo” da página 10 de ZH. Se as auditorias e inspeções forem mesmo para valer, deverão se prolongar por muitos e muitos meses não se restringindo a estas duas secretarias e à Procempa. Muito certamente os próximos órgãos que deverão ter “revolvidas sujas entranhas” serão o DEP, o DMAE, o DMLU, a Carris, a Saúde (SMS), a SMJ (Juventude) e a Fazenda (SMF).
    No DEP e DMAE, envolvendo a Fazenda (SMF) tivemos sérios problemas na execução do projeto Sócioambiental. Conversas suspeitas de empresário com o secretário da Fazenda sobre grandes licitações em andamento, gravadas pelo Polícia Federal e o rompimento do conduto forçado Álvaro Chaves, fatos sob investigação da Polícia Federal e do Ministério Público. Na Fazenda tivemos o escandaloso contrato do SIAT também sob exame e análise do TCE e do Ministério Público por indícios de favorecimento e de superfaturamento.
    No DMLU tivemos uma série de irregularidades também sob investigação, relacionadas, com mega licitações e contratos firmados sem licitação para execução de serviços de coleta de lixo.
    Na Saúde (SMS) fatos com pagamento de propina a assessor jurídico em pleno gabinete do secretário Eliseu Santos, flagrado e transmitido na tevê; irregularidades na contratação da empresa Reação que culminou com a morte do próprio secretário Eliseu. Depois tivemos ilegalidades na elaboração do projeto Instituto da Saúde da Família (o IMESF) até hoje em análise pelo Ministério Público.
    Na Carris várias trocas de presidentes foram motivadas por sucessivas denúncias de contratações irregulares, superfaturamento em compras que tiveram como “chave de ouro” o escandaloso episódio da pintura dos ônibus da Copa. A empresa registrou recorde no número de perseguições a trabalhadores, de episódios de assédio moral.
    E por fim, na Juventude (SMJ) dois ex-secretários viraram réus em ação criminal por desvios de recursos do programa ProJovem.
    A decisão – tardia é verdade – de passar um “pente fino” no seu próprio governo, de “cortar na própria carne” ao tornar público e prometer medidas contra os “mal feitos” da sua gestão – para isso, contando com o inestimável apoio de ZH, página 10 – poderá, para muitos, ser vista como algo positivo, uma atitude louvável e republicana do Prefeito Fortunati.
    Os mais céticos, nos quais me incluo, vão além. Acham que o Prefeito, percebendo que o resultado de inúmeras investigações virá a público, se antecipa, tentando desarmar e reduzir os efeitos negativos de uma série de “bombas de efeito retardado” que em breve serão detonadas pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário.
    Ah, mas faltava citar um órgão, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMAM), aquela mesmo que nunca executa os projetos que constam no programa de governo da lei orçamentária anual. Pois nesta segunda feira, dia 29, a Polícia Federal prendeu várias autoridades da área ambiental, dentre eles Luiz Fernando Záchia, acusado de exigir e receber propinas para concessão de licenças ambientais.

    Curtir

    • Honestamente não concordo com este artigo específico, mas esse blog anda muito “reaça” para publicar esse tipo de coisa 🙂

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: