Lixo em Porto Alegre: como lidar?

Texto de Bruno Bottega

lixo01O descaso com o tratamento de lixo na nossa capital é problema alarmante para todos os cidadãos, deixando desagradáveis as ruas e calçadas e causando tragédias em dias de chuvas fortes. A responsabilidade destes acontecimento é dividida entre cidadãos e poder público.

Nesta causa, no site do Porto Alegre.cc, criada pela Solange Ozorio, em janeiro deste ano, podemos ver um relato de uma cidadã indignada com a postura de parte da sociedade que age de forma descompromissada com o bem-estar de sua cidade. É citado o caos que houve na avenida Andaraí há poucos meses por conta de lixo jogado em lugares inapropriados que fora carregado pelas ruas até tampar bueiros, causando grandes alagamentos.

Para outros cidadãos, como Gil Hidalgo, criador desta causa no site, a culpa desta situação é do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), setor responsável pela coleta dos lixos nas ruas de Porto Alegre. O problema é que, ao realizar a coleta, os funcionários sujam a rua. O que indigna o cidadão é o fato de os trabalhadores do DMLU realizarem seu serviço sem se preocupar com o resultado, ou seja, fazer a coleta nas ruas exigidas, mas não ter o mínimo compromisso com o estado e limpeza destes locais.

Outro problema neste campo que incomoda os habitantes da capital é o lixo despejado em terrenos baldios. Existem diversos locais desocupados na cidade que servem como depósitos irregulares de lixo, como um terreno no bairro Jardim Botânico apontado por Marco Antonio nesta causa e outro no bairro Camaquã, como visto nesta causa criada por Lu Maines.

Não alheio a isso tudo, outra ramificação deste problema é a falta de preocupação do cidadão em colocar seu lixo no contêiner correto, prejudicando o processo de reciclagem dos materiais.

Foto: Raynere Ferreira

Foto: Raynere Ferreira

Para Solange, a solução deste grande problema “é a educação, a consciência e boa vontade do cidadão”. Já para Gil, a solução é aumentar a fiscalização para educar os verdadeiros culpados – por vezes o pessoal do DMLU, por vezes os catadores.

Se a solução é a ampliação da fiscalização pela cidade, Porto Alegre deu, recentemente, um passo importante em direção à resolução de um problema grave que é o lixo espalhado pelas ruas. Das 650 câmeras do Centro Integrado de Comando (Ceic), 15 serão exclusivamente utilizadas para identificar este tipo de delito.

Esta fiscalização começou a cerca de um mês, mas as atitudes tomadas após a identificação dos cidadãos que realizam o delito ainda não está bem definida: atualmente, há uma multa de R$ 900 a R$ 950, sem muita proporção entre custo x gravidade do delito. “A prefeitura deve entregar em maio na Câmara dos Vereadores um projeto de lei aumentando a multa para quem cometer este tipo de infração.”

Foto: Fernando Neves

Foto: Fernando Neves

A pergunta que fica sobre este tema é: será que 15 câmeras exclusivas em uma cidade com mais de um milhão e meio de habitantes é a melhor maneira de lidar com esse problema? Ou é a educação e consciência do cidadão que deve ser trabalhada? E como esse princípios devem ser trabalhados? Se a saída está além da fiscalização, está lançado o desafio de melhorar a visão dos cidadãos pelos próprios cidadãos.

Deixei a sua sugestão nos comentários do post ou no blog www.codigodeconvivencia.com.br e ajude a elaborar o novo Código de Convivência de Porto Alegre.

Blog PortoAlegre.cc

 



Categorias:Meio Ambiente, Tratamento de Lixo

Tags:, , , , , ,

10 respostas

  1. Tarde: Um assunto bastante relevante! Descobri tal página por uma pessoa que tem a ver com aqui.. chamada SOLANGE O.; minha parenta – e até concordo com tal.
    No presente momento, se LIXOS FICAREM ACUMULADOS ou FOREM DEPOSITADOS DE MANEIRA ERRÔNEA_muita coisa ruim acontecerá/principalmente no CALOR e em CHUVAS. Nestas aí, pessoas colocam em ambientes proibidos e dá no que dá: mirem nas cidades de outros Estados. Sempre choveu forte algumas vezes e tais acidentes seriam mais recentes.
    E nestes últimos dias: tenho visto muitos CATADORES mexendo nos das ruas, e o pior é a SUJEIRA QUE ESTES CAUSAM.
    Antigamente os lixeiros passavam de madrugada (3:30 da manhã não seria hora para isso), onde causava confusões: ainda bem que isso melhorou.
    Ainda falta CONSCIENTIZAÇÃO de muitos.
    Valeu, Rodrigo

    Curtir

  2. O caminhão do lixo vem passando pelas ruas, os garis correndo atras e recolhendo os sacos de lixos, muitos já abertos pelos catadores, a fila de carros aumentado e os motorista sem civilidade buzinando não respeitando o trabalho pesado dos garis. Digam-me vocês dá para catar lixinho por lixinho? Não são os garis que sujam, eles limpam a porquidão dos mal educados e inimigos da cidade……

    Curtir

  3. com todo o respeito aos garis que começam a trabalhar de madrugada, e com todo desrespeito aos porcos que sujam a cidade, não há como negar que para os primeiros falta muito, mas muito treinamento e para os porcos falta educação e multa. multa alta, porque prá mudar a cabeça de gente imbecil só doendo no bolso…

    Curtir

  4. E acabem logo com os catadores, ta mais do que na hora de proibir.

    Antes que me chamem de higienista e bla bla bla e eu mande essa gente pra longe, vejo todo santo dia no centro eles catando lixo e deixando espalhado pelas ruas do centro.

    Curtir

    • Não é só no centro, região metropolitana também.

      Mas pra fazer isso é necessário algumas coisas:

      – Ampliar a coleta seletiva;
      – Aumentar o número de galpões de separação de lixo (da coleta seletiva), aumentando o número de empregados nesses galpões;
      – Fiscalização intensa em cima dos catadores. Passou com um carrinho ou carroça na rua? apreende!

      Curtir

  5. População mal educada e ainda tem opiniões que querem colocar a culpa nos pobres funcionários do DMLU que às 6 da manhã estão catando e limpando o lixo que os porcos espalham quando estão se divertindo na noite.

    Curtir

  6. Comecem ocultando esses containers peidolências, tipo o sistema feito em sao paulo.

    Curtir

  7. Falta de vontade política dos vereadores da Capital em propor uma lei punindo quem joga lixo nas ruas. Falta de espírito comunitário em defesa da cidade e projetos de longo prazo. Mas para que se desgastarem em propor projetos para a cidade sendo que o mandato deles dura só 4 anos?

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: