Projeto de estudante pretende mapear as reclamações sobre o transporte público em Porto Alegre

O estudante de Ciências Socias da Pucrs, Antônio Backes Tavares, criou com os amigos o coletivo ThinKing Out para realizar ações que melhorem a vida cotidiana na cidade. O primeiro projeto que eles estão desenvolvendo é o Bus em Poa, não é uma Boa, um ativismo que começa na web e será encaminhado para o governo com reclamções da populção quanto ao transporte público da Capital.

Batemos um papo com o Antônio que nos explica mais dessa ação e do projeto. Confere e, principalmente, participa.

Como você teve a ideia desse projeto?

Os problemas no transporte público sempre foram uma das coisas que mais me incomodou, sempre sofri com eles e ouvi muitos relatos de pessoas reclamando, mas essas reclamações nunca geravam nada.

Inspirados no Shoot the Shit, eu e mais alguns amigos criamos a ThinKing Out com o objetivo de fazer ações com impacto positivo em Porto Alegre e primeiro projeto foi Bus em Poa, Não é uma Boa que surgiu com o intuito de tentar mudar um pouco esse cenário de problemas.

Quais soluções vocês propõem? Ou apenas querem oficializar as reclamações gerais sobre o transporte público?

O nosso objetivo é registrar os problemas que ocorrem no transporte público e com isso gerar um relatório de dados como, quais linhas tem mais atraso, quais pontos da cidade ocorrem mais problemas, etc, e levar esse relatório para os responsáveis para que tomem alguma medida. A página também serve para ser um elo de comunicação entre passageiros e responsáveis pelo transporte.

buspoa

De que maneira o material coletado será entregue aos responsáveis?

Após termos um número significativo de relatos vamos analisá-los e gerar um relatório, a princípio semestral, com todos os dados sobre os problemas. Uma vez pronto pretendemos abrir os dados para o público para que possam visualizar os dados e dar maior suporte na hora de cobrar das autoridades responsáveis que tomem alguma atitude em relação aos problemas que ocorrem no transporte público. Esperamos que com o relatório em mãos as autoridades tomem consciência dos problemas que acontecem todos os dias na capital.

Você acha que para o transporte público melhorar depende apenas do governo ou população tem que fazer sua parte?

Depende de ambos. A responsabilidade pela qualidade é em primeiro lugar do governo que deve disponibilizar um sistema de boa qualidade, mas a população também deve ajudar a manter o serviço cobrando o governo quando o mesmo não for satisfatório.

Explica pra galera como eles podem participar dessa iniciativa?

Bom, é muito simples, só é preciso as pessoas acessarem a página no facebook, curtirem e deixarem o seu relato com o padrão: Dia, Local, Linha e Situação.

Planejam algumas ações fora da web?

Estamos estudando que outra ações podem ser tomadas, talvez fazer um vídeo coletando alguns depoimentos de usuários para mobilizar as pessoas e divulgar o projeto.

Fonte: http://www.facool.com.br/noticia/view/3851



Categorias:onibus

Tags:, ,

13 respostas

  1. Haja capacidade de sistema e pessoal para aguentar todas as reclamações sobre transporte público de PoA.

    Curtir

  2. Legal a iniciativa, vou usar direto (e sim, copiar os e-mails que o Adeli postou, apesar de saber que vão direto pro limbo).

    Mas sinceramente preferia um sistema tipo “crowdmap” (igual ao BikeCrimesPoa) onde tu pode ter acesso aos dados a qualquer momento, e perceber o crescimento instantâneo de reclamações em certas regiões.

    6 meses pra ter acesso aos dados é muito tempo!

    Curtir

  3. O ideal é que a propria EPTC fizesse um relatório semestral contendo estatísticas das reclamações, por empresa e por linha. Transparência, a gente não vê por aqui.

    Curtir

    • O trabalho que o cidadão tem de reclamar pro estudante é o mesmo trabalho de reclamar pra EPTC. Sinceramente, não vejo relevância nesse projeto.

      Curtir

    • Com a necessidade legal de os governos terem seus portais de transparência e acesso à informação, deveria constar um relato completo na página da Eptc.
      Peça a seu vereador esta fiscalização. E também o seu papel.

      Curtir

      • Mesmo assim o relato só conteria o que eles resolveram registrar. Confio mais em iniciativas como essa.

        Curtir

  4. E vai adiantar mandar algo direto pra eles?

    Ou foi ironico?
    hahaha

    O bom é se essa iniciativa chegar na midia com tudo, quem sabe não de em algo?

    Curtir

  5. Todas as formas como esta são válidas.
    Mas mandem reclamações diretamente ao diretor-presidente da EPTC
    eptc@eptc.prefpoa.com.br
    vanderleicappellari@eptc.prefpoa.com.br
    carris@carris.prefpoa.com.br

    Curtir

    • Verdade Adeli. Não é necessário intermediários …..

      Curtir

    • Confio mais no estudante…

      Curtir

    • Já passei anos ligando e reclamando e nunca vi melhoria nenhuma. Aprendi até como, de forma rasteira, a prefeitura e as empresas de ônibus deixam de registrar as reclamações.

      A técnica utilizada por esses grupos é o seguinte. Vamos supor que um ônibus passe muito lotado ou fora do horário, dai você liga para reclamar. Você reclama e e acha que fica registrado, mas o atendente vai te dar alguma desculpa do tipo “são as obras sei lá onde”, “é o concurso não sei do que” ou ainda “volta às aulas”… Se você não for bem claro e afirmar vigorosamente que “quero deixar uma reclamação registrada”, a sua reclamação é tida como “prontamente atendida” e não é registrada.

      Adeli, com todo respeito, você não sabe de nada do transporte público de Porto Alegre.

      Curtir

      • Olha, eu volto a insistir que “ficar calado, não reclamar”, não está com nada. Insisto em acessar a EPTC, teimar em falar, reclamar. Seja pelo 118 ou pelos e-mails que passei.
        Mandem suas demandas para o meu e-mail – adeli13601@gmail.com – que vou ver o problema de perto, respondo, pois eu sempre cobro tudo isto da Eptc.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: