Porto Alegre recebe três novas estações de bicicletas públicas

Com as novas estações, o sistema passa a contar com 23 pontos e 230 bicicletas   Foto: Rodrigo Prado/Divulgação PMPA

Com as novas estações, o sistema passa a contar com 23 pontos e 230 bicicletas Foto: Rodrigo Prado/Divulgação PMPA

Desde o final dessa semana, Porto Alegre já conta com mais três estações do BikePoa, sistema de bicicletas públicas. Os novos pontos estão localizados no Museu Iberê Camargo, rua José de Alencar (próximo a Gonçalves Dias) e Ipiranga com João Guimarães. Atualmente, o sistema conta com 23 estações e 230 bicicletas. Criado em 22 de setembro do ano passado, o sistema BikePoa já registra mais de 130 mil viagens e 42 mil cadastros no site (www.movesamba.com/bikepoa).

Os usuários podem se cadastrar no site do BikePoa, em aplicativos para smartphone (IPhone e Android) ou por celular convencional, via portal de voz, ligando para o fone (51) 4063-7711. O valor do passe mensal é R$ 10 e o diário R$ 5, podendo utilizar o sistema durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. As viagens devem ser realizadas em até uma hora. Após esse tempo, há um intervalo de 15 minutos para possibilitar outras viagens, com a mesma ou outra bicicleta. O objetivo é dar rotatividade e manter as estações com bicicletas para todos os usuários.

Funcionamento

Habilitação – Para utilizar o sistema de bicicletas públicas de aluguel, o usuário deve informar o número do cartão de crédito. Há três maneiras de habilitar o passe do BikePoa: via celular convencional por portal de voz (fone 51 4063-7711), celular do tipo smartphone (via aplicativos do IpPhone e Android) ou pelo site www.movesamba.com/bikepoa.

Retirada das bicicletas – O usuário poderá retirar as bicicletas das estações de duas maneiras: via celular convencional (portal de voz) ou por smartphones (via aplicativo sistema IPhone e Android).

Locais das Estações do BikePoa

Mercado Público/ Praça da Alfândega/ Casa de Cultura/ Usina do Gasômetro/ Câmara Municipal/ Escola Técnica Parobé/ Casa do Estudante (av. André da Rocha)/ Largo Zumbi dos Palmares/ Redenção-UFRGS/ Região dos Tribunais (av. Aureliano Figueiredo Pinto)/ Shopping Praia de Belas/ Menino Deus (rua José de Alencar)/ Barra Shopping/ Ginásio Tesourinha/ Planetário (av. Ipiranga)/ Terminal Azenha/ Hospital de Clínicas/ Joaquim Nabuco com José do Patrocínio/ Redenção (nas imediações do posto policial)/, Diário de Notícias com Wenceslau Escobar/ Museu Iberê Camargo/ Rua José de Alencar (próximo a Gonçalves Dias)/ Ipiranga com João Guimarães.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Aluguel de biciletas, Bicicleta

Tags:, ,

18 respostas

  1. E o ponto na Rua Dr. Barros Cassal??? Os moradores aguardam ansiosamente!!!

    Curtir

  2. Independentemente do atraso no cronograma, é uma notícia a festejar o gosto que a população está tomando por bicicletas em Porto Alegre !

    Isso é ótimo !

    Curtir

    • Com certeza!

      Agora o ideal seria após entregar todas as estações expandir a quantidade de bicicletas de algumas!

      Curtir

  3. Uma coisa eu posso falar.
    Queimei a lingua quando falava que o povo não pedalava.

    Mas tambem torci para dar certo o aluguel das bikes.

    Alguem sabe de alguma bike depredada ou algo do tipo?

    Até agora não fiquei sabendo, parece que o pessoal ta cuidando bem.

    Curtir

    • É, no geral tão cuidando.

      Mas volta e meia pego umas com as molas do banco estragadas e as marchas desreguladas. Mas daí é “desgaste natural”.

      Curtir

    • Tem a depredação dos espelhinhos retrovisores, bancos rasgados (cortados, parecem até mordidos), adesivos retirados… e as marchas desreguladas, como também uma vez que peguei uma com pedal quebrado, mas acho que aí é falta de cuidado, não exatamente vandalismo.

      Curtir

  4. Pode parecer bobagem, mas pq “bicicletas públicas”? Não seriam bicicletas de alguel?

    Curtir

  5. 42.000 cadastros x R$10,00 = R$ 420.000 de faturamento mensal. Fora o pessoal que paga R$ 5,00 por um passeio. É muita grana, tem que colocar muito mais bikes e estações na cidade. E ainda sobra pra fazer umas ciclovias.

    Curtir

    • Cadastro não quer dizer usuário ativo.

      E o investimento foi forte, então eles (a empresa Samba Transportes Sustentáveis) precisam pagar primeiro o investimento. Fora os custos com manutenção que não são poucos (aquele sistema de marchas não é nada barato).

      Curtir

      • Tem por 180 reais o sistema de marchas, sem a pedivela, pro consumidor individual. Talvez eles consigam mais barato por comprar em quantidade. Tá bem barato, considerando que é uma coisa que quase não dá manutenção.

        Curtir

      • Seria legal se eles divulgassem os usuários ativos. Sei que são muitos, pois saiu no ClicRBS que há congestionamento de ligações para retirar e devolver as bicicletas.

        Curtir

  6. E a do parcão??

    Curtir

  7. E as da PUC que é bom, nada ainda….

    Esses dias vi no “feice” pessoal reclamando (tinha até foto dos “infratores”) de um pessoal que ao término da hora, devolvia a bicicleta na estação mas ficava sentado em cima aguardando os 15 minutos, pra poder retirar de novo.

    Tem que dar uma bordoada nas orelhas e mandar descer! até nisso o povo é “corrupto”, impressionante!

    Curtir

    • Se fosse eu esperando tirava o folgado/a pelos cabelos…

      Eu li isso também mas de uns que chegavam antes de acabar o prazo do aluguel aí ficavam sentados até expirar os minutos pra ninguém usar do dindim deles…

      … pobreza de espírito é brabo.
      Que fique dando voltas na quadra então!

      Curtir

  8. Ué!? Não era para ter 40 estações funcionando até o final de Abril/13?

    Curtir

    • Prazo no Brazil já virou palhaçada. Planejamento zero.

      Curtir

    • Pois é! Até teve reportagem aqui no blog. E naquela reportagem as novas estações estariam em locais diferentes, era pra ter duas no Bom Fim. Eu, morador do bairro, ainda estou esperando.

      Curtir

%d blogueiros gostam disto: