Carro-voador está decolando nas cidades

carro-450x312Fácil de pilotar e, comparado a um avião, com um preço acessível ( cerca de R$ 300 mil) – menos que muito carro de luxo. Não demoraria mais de um dia para aprender a pilotá-lo.

Esse é o carro-voador batizado de TF-X, anunciado pelo seu fabricante para ser lançado na próxima década que, se sair mesmo do papel, vai mudar a paisagem das cidades.

 

 

 

Fonte:  Catraca Livre



Categorias:Ciência e Tecnologia, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:

26 respostas

  1. Está ai uma tecnologia irrelevante. A ideia de carro voador como algo normal, mesmo para o futuro, é a mesma de uma pessoa sempre realizar vídeo-chamada. A tecnologia existe, mas na prática as pessoas não curtem esse tipo de coisa não, elas preferem o velho e bom telefone.

    Curtir

    • Não tinha pensado nisso, faz sentido. Mesmo com a tecnologia de voz (telefone) muito se usa o texto (sms) que é a mesma coisa que um telégrafo usando código morse em uma fita, a diferença está na fita e na leitura, que não é morse e sim alfanumerico.

      Curtir

    • Exatamente, Tulio! Tecnologia para videochamada existe há décadas, mas é uma coisa que não emplacou. Mesmo hoje, com o custo muito próximo ao de uma chamada normal, a coisa não engrena.

      Aliás, todo mundo aqui deve ter acesso a algum comunicador instantâneo (Skype, MSN, Gtalk, Facebook Messenger…) e eu pergunto: com que frequência vocês usam o recurso de video-chamada? Mesmo sabendo que não há custo adicional nenhum, quase ninguém usa (salvo, claro, exceções como a avó que vai ver o neto recém nascido, parentes que moram longe…)

      Curtir

  2. Faltar combustivel no alto, queda de destroços nas cidades em caso de acidentes, assaltos a predios, segurança.. Tudo temq ue ser revisto antes de ser cocado em pratica

    Curtir

  3. Nas próximas décadas não vai existir “carro voador” por preço razoável. Isso aí é hype da empresa que é listada na bolsa para angariar fundos.

    Nos últimos anos vi diversos projetos de “carro voador”. Os poucos que foram realizados terminaram como um único protótipo que não teve viabilidade.

    Essa proposta consegue aliar a inviabilidade econômica à inviabilidade aérea. O único veículo com tiltrotor é o osprey, no qual os próprios pilotos não confiam devido a complexidade da conversão de vôo vertical para horizontal.

    Os 300 mil reais de preço deve ter sido informação criada e adicionada em alguma noticia intermediária, pois no site diz que não há perspectiva de preço ainda.

    Curtir

    • A tecnologia antigravitacional, vinculada ao eletromagnetismo, já existe há muitos anos, baseada nos estudos e experimentos de um grande cientista chamado Nikola Tesla. A força aérea americana utiliza esta tevcnologia, por exemplo, para auxiliar na decolagem dos bombardeiros B-2 que, pela sua configuração e peso, não conseguiriam decolar sem o auxílio da mesma, Isto já está mais do que comprovado, e quem estuda a respeito do assunto sabe. São segredos militares que não serão compartilhados para uso civil tão cedo, e mesmo que isto ocorresse, o custo seria altíssimo e inviável para a fabricação de aeronaves de pequeno porte e de uso pessoal.

      Curtir

      • Gostei que o teu comentário se mantém no nível científico da notícia.

        Curtir

      • Carlos.
        .
        Se os USA tivessem tanta tecnologia secreta como muitos dizem, não estariam perdendo soldados e saindo quase que fugidos do Afeganistão, onde a distância dos mesmos para a idade da pedra está mais próxima do que para o século XXI.
        .
        Há muita mistificação promovida pelo próprio USA, não esqueça que os armamentos são feitos por empresas privadas e SEM CONCORRÊNCIA, só se sabendo se eles funcionam ou não uns vinte anos depois.
        .
        Na primeira guerra do Iraque, para proteger Israel dos fantásticos mísseis Scuds iraquianos (cópia dos V2 alemães da 2ª guerra, modificados pelos russos em 1950 e fabricado pelos iraquianos), os USA mandaram os fantásticos e modernos sistemas Patriot de mísseis. O Bush pai declarou que a eficiência era de 100%, mas em estudos posteriores mostrou-se que a eficiência podia atingir somente 10%, não se notou muito porque os Scuds eram ainda piores erravam os alvos.

        Curtir

        • Rogério, quanto aos EUA não terem tanta tecnologia assim e por isso estarem embretados há tanto tempo no Afeganistão, minha leitura é um pouco diferente. Por mais que os EUA tenham muito mais tecnologia no cinema do que na vida real, a guerra é muito mais um fim em si para a economia americana do que um meio para se atingir algum objetivo (como a paz, por exemplo).

          Há, de fato, o desgaste político, vidas humanas perdidas e por aí afora. Mas é mais interessante para o establishment que a população seja mantida constantemente num estado de medo (de comunistas, de terroristas, de talibans…) do que seria se as “causas” desses medos todos fossem neutralizadas. É a velha história de criar um problema para vender a solução. A chamada “Indústria do Medo”. Os governos mais competentes usam muito bem essa tática. (“Competentes” no sentido de conseguirem cumprir seu objetivo de se manterem no poder.)

          E se levarmos em consideração o imenso poder econômico e político que as grandes indústrias e associações relacionadas à indústria armamentista (NRA, Honeywell, Lockheed Martin, Northrop, Boeing, Raytheon, Blackwater, Halliburton, Colt, Bushmaster e taaaaaaaantas outras…), fica fácil de compreender que os governos americanos não fazem guerras para atingir objetivos determinados, mas sim cultivam desculpas para justificar a contratação dessas empresas. Ininterruptamente.

          Curtir

  4. Isso não vai dar certo…

    Curtir

  5. imagina uma coisa destas voando por cima de POA e os contra tudo contra todos deseperados subindo nos morros ao redor da cidade tentando derrubar com pedras e arco e flechas!! hahahahahahaha Tem gente ai que nao conseguira nem dormir de tao assustados com estas coisas “muderna”! LOL!!! Mas isto nao sera para qualquer um, imagina faltando gasolina nas alturas??? Creio que sera para policia, ambulancia search and rescue e VIP’s etc…

    Curtir

  6. Tambem acho que vai chegar antes do Metro. Alias, eu ja disse aqui: vai ser menos ruim para Porto Alegre nao ter metro. Veja bem: o metro levaria pelo menos uns dez anos pra ficar pronto. Ou mais. O custo sera bilionario. E durante os 10 ou 15 anos das obras nao sera feito nada pra melhorar o serissimo transito da Assis Brasil, nada sera feito pra mudar aquele corredor de onibus mega saturado – ele ja esta em colapso, e nada sera feito pra melhorar o transito da zona norte.
    E se nao fizerem metro, podem utilizar somas tambem bilionarias e fazer MIL COISAS na zona norte. E fazer ja. Melhorar o transito, botar um brt de verdade, etc, etc, etc.

    Curtir

  7. Só espero que o dia que isso existir seja auto-guiado pois do jeito que já fazemos carnificinas no trânsito sem ter que pilotar considerando a altitude, imagina com isso junto.

    Curtir

  8. Eu não quero viver numa cidade onde isto seria o meio de transporte. É bom para ambulâncias e serviços de emergência, mas só.

    Curtir

  9. cheirinho de flop

    Curtir

  10. O que virá primeiro: o carro voador ou o metrô de PoA?

    Curtir

  11. Para subir e descer será elétrico, mas e a propulsão é a combustível?

    Curtir

    • Ah não. Se for a combustível então não pode. Imagina, mais poluição, mais fumaça, petróleo escasso, meu deus.

      Curtir

      • Interpretação tua… a minha pergunta foi relacionada ao peso. Muitos dizem que carro elétrico é inviável devido ao peso da bateria, imagina uma avião elétrico?

        Curtir

    • Não quero ser estraga-prazeres mas isto é uma baita empulhação. Pegaram um carro normal, deram um aspecto de avião e fizeram um monte de foto-montagens em cima disto.
      Primeiro, para um avião decolar na vertical não é assim moleza como está descrito, é preciso muita potência pois não contam com a sustentação das asas. Olhem só o tamanho das hélices de um helicóptero (eu já trabalhei em pesquisa de pás de helicóptero, quem não acredita olhe em http://labs.adsabs.harvard.edu/ui/abs/1991tsf…..1R..11M?).
      Depois com a potência anunciada na decolagem nem dá para nada.
      .
      Há uma relação entre a potência e a capacidade de um corpo se elevar verticalmente do chão, os helicópteros fazem isto por que tem uma enorme superfície de pás, e na elevação do solo é necessária muita potência. Após eles saírem do chão o movimento composto entre o deslocamento das pás e o movimento para frente, conseguem aumentar a sustentação (foi exatamente nisto que trabalhei!).
      .
      Nesta gracinha há vários problemas, inclusive o de aterrissagem que tem que colocar as quatro rodas no chão ao mesmo tempo, pois se não quebra o eixo. Depois para manter este avião voando por 500 milhas, como eles propõe, com a pequena superfície de asa precisaria muito combustível, pois a sustentação em relação ao peso do avião é mínima.
      .
      Isto é quase uma gozação, como hoje em dia ninguém sabe onde termina o real e começa o virtual, se acredita em qualquer coisa plausível. Parece aquelas representações dos desenhos animados, onde o coiote depois de correr atrás do Piu-Piu e cair num abismo ele caminha rapidamente para trás e volta no ar, é o que o Walt Disney denominou, plausível mas impossível!

      Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: