Av. Beira-Rio: duplicação no limite

Foto: Belfoto

Foto: Belfoto

Veja o editorial da Zero Hora de hoje:

Esgotado o prazo, diante da proximidade da Copa do Mundo, o futuro das obras de duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, em Porto Alegre, tem uma definição prevista para amanhã, quando o Tribunal de Justiça do Estado deve se pronunciar sobre a liminar que impede o corte de árvores necessário para o reinício dos trabalhos. Este é um momento importante para definir até que ponto a sociedade, por meio de seus representantes, tem condições de preservar o diálogo e buscar saídas negociadas em questões complexas como essa, fazendo prevalecer sempre o bom senso. Independentemente da decisão judicial sobre a Beira-Rio, que os defensores de diferentes pontos de vista precisarão acatar, essa é uma questão para a qual já deveria ter sido tentada uma saída negociada há mais tempo.

Para ler o editorial completo, clique aqui.

 



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:, ,

26 respostas

  1. Porto Alegre não cresce por causa do povo que nela habita, se faz ciclovia chora se não faz chora, se faz prédio chora se não faz falta atitude, se faz ponte estaiada é da moda se não faz falta ousadia. Menos choro e mais razão. Por isso Curitiba nos passou há tempos e floripa já já está na nossa frente, que regresso que a cidade deus nestes 20 anos. Ai os contra-tudo destroem toda a prefeitura e picham tudo, quanda incoerencia e quanta tristeza dessa gente.

    Curtir

    • Floripa na nossa frente? hehehehe

      Curtir

      • Só falta introduzirem o Catamarã Marítimo, e com a reativação da Ponte Hercílio Luz, vai melhorar um pouco, mas em comparação com minha querida Porto Alegre, infelizmente com o tempo vai deixa-la para trás de mesmo de vez!

        Curtir

        • Corrigindo

          Só falta introduzirem o Catamarã Marítimo, e com a reativação da Ponte Hercílio Luz, vai melhorar um pouco, mas em comparação com minha querida Porto Alegre, infelizmente com o tempo vai deixa-la para trás de de vez mesmo!

          Curtir

        • Só isso? Floripa está muuuuito atrás na cena cultural, não tem metrô metropolitano (trensurb), não tem tanta noite… falta e muito ainda.

          Curtir

  2. Olhem só a monstruosa avenida de água não utilizada nem em 1% de sua capacidade!

    Os governantes do Brasil assassinaram o transporte de passageiros aquáticos.

    Quando eu era criança tinham balsas que ligavam Guaíba à Capital, tanto de veículos como pessoas.

    Hoje com tanta água para ser utilizada como via, o quê vemos?

    Engarrafamentos diários, que, com este meio de deslocar-se com certeza não existiriam.

    O transporte via catamarã é só um vislumbre de como este transporte pode ser a solução para o transporte, não somente em Porto Alegre, mas em todas grandes cidades que tem
    mananciais à disposição.

    Pela vontade popular, as cidades teriam este e outros transportes alternativos muito mais baratos, onde não tem água como via, lembro também do trem, bondes e os trólebus, extintos sem misericórdia!

    Mas ainda há tempo, depende do povo, é só constituir pessoas comprometidas com este sonho, que não é tão fora do alcance, falta iniciativa e interesse político e econômico!

    Curtir

  3. Olhem só a monstruosa avenida de água não utilizada nem em 1% de sua capacidade!

    Os governantes do Brasil assassinaram o transporte de passageiros aquáticos.

    Quando eu era criança tinham balsas que ligavam Guaíba à Capital, tanto de veículos como pessoas.

    Hoje com tanta água para ser utilizada como via, o quê vemos?

    Engarrafamentos diários, que, com este meio de deslocar-se com certeza não existiriam.

    O transporte via catamarã é só um vislumbre de como este transporte pode ser a solução para o transporte, não somente em Porto Alegre, mas em todas grandes cidades que tem
    mananciais à disposição.

    Pela vontade popular, as cidades teriam este e outros transportes alternativos muito mais baratos, onde não tem água como via, lembro também do trem, bondes e os trólebus, extintos sem misericórdia!

    Mas ainda há tempo, depende do povo, é só constituir pessoas comprometidas com este sonho, que não tão fora do alcance, falta iniciativa e interesse político e econômico!

    Curtir

    • Muito bom Ricardo! Garanto que com 10% do dinheiro dessa obra dá para fazer excelentes trapiches no Guaíba, um junto ao Gasômetro, outro no Mercado e mais um na zona sul.

      Curtir

    • Exatamente. Na Austrália por exemplo eles utilizam direto o “Ferry”, que leva de um ponto a outro de Sydney, por exemplo.

      Curtir

      • Alex, e a Austrália não está na “desenvolvida Europa.”

        Lá com certeza tem muito que aqui tínhamos.

        Aqui, quando as boas idéias vão à público, as mesmas as idéias vão para onde não sabemos, talvez às gavetas empoeiradas de um departamento qualquer da prefeitura, o exemplo está no “Bonde Histórico”, tanto tempo, parece que desde o ano de 2000, não sei, perdi a conta!

        O certo é que as prefeituras de nosso país estão tomadas e dominadas por
        politiqueiros paus mandados de empresas de ônibus!

        Estes dominam o mercado, e não admitem o bom senso prevalecer pelo bem da comunidade por causa de seus egoístas interesses econômicos!

        Aqui não necessitamos destas opções de transportes alternativos, o VLT por exemplo é arcaico, o BRT é sinônimo de “progresso”, mesmo que não seja viável, que polua o ar, faça mais barulho que o citados etc.

        Falar em transporte coletivo que não seja ônibus e avião neste país, está pregando heresia, deve ser excomungado, neste caso, acho que nunca verei bonde rodando ou uma balsa transportando veículos na Capital Gaúcha.

        Não importam, afinal somos o país “mais desenvolvido” das Américas, para quê balsas, trens, VLTs ou bondes modernos?

        Isto é coisa de europeus e americanos, do norte é claro!

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: