Paço Municipal é pichado novamente

 Paço Municipal é atacado pela quarta vez neste ano   Foto: Cristine Rochol/PMPA

Paço Municipal é atacado pela quarta vez neste ano Foto: Cristine Rochol/PMPA

Na noite desta quarta-feira, 22, manifestantes picharam novamente o Paço Municipal de Porto Alegre. O grupo, com integrantes mascarados, escreveu palavras de ordem na frente e na lateral do prédio, patrimônio histórico e cultural de Porto Alegre.

Essa é a quarta vez que o Paço Municipal é depredado este ano. Em outras três manifestações, contra o aumento da passagem de ônibus, os prejuízos passaram de R$ 50 mil em danos materiais ao prédio. A pintura das paredes laterais pichadas durante os outros protestos havia sido concluída nesta tarde.

Recuperação da pintura das paredes laterais havia sido concluída nesta tarde   Foto: Cristine Rochol/PMPA

Recuperação da pintura das paredes laterais havia sido concluída nesta tarde Foto: Cristine Rochol/PMPA

Os atos de vandalismo desta quarta-feira ocorreram durante um protesto de pessoas ligadas ao Dia da Biodiversidade, evento realizado no Largo Glênio Peres. Representantes da Prefeitura de Porto Alegre estão fazendo o registro da ocorrência na Polícia Civil.

O Batalhão de Operações Especiais (BOE) e mais 20 PMs do 9º Batalhão de Polícia Militar estão fazendo a segurança no entorno do Paço Municipal. A Guarda Municipal reforçou o efetivo do Paço com dez agentes para evitar novos ataques.

PMPA



Categorias:Pichação

Tags:,

58 respostas

  1. Sinceramente?

    Com o dinheiro de dois guardas municipais, contratem um pintor permanente e repintem toda a manhã. Sem alarde e sem notícia, que é tudo que esses anarco-portoalegristas querem.

    Uma hora eles cansam e arrumam outro brinquedo.

    Curtir

  2. Lembram da revolta geral quando os carroceiros quebraram a Fonte Taveleira?
    Pois para o Marcelo, QUEBRAR A FONTE EH VALIDO.

    Por isso picharam no viaduto da Borges “fora yankees” e outras coisas.

    Lutar, sim. Destruir a nossa cidade, nao.

    LAMENTAVEL a mentalidade de alguns.

    Vamos destruir a Fonte, pois nossa causa merece.

    Curtir

  3. Esperem até o camarada e Grande Comandante Kim Jong acertar as contas com esses imperialistas…

    Curtir

  4. http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=4266

    A chantagem das empresas de ônibus

    Não existe novela boa, que é sempre ruim, sem ponto de virada. No meio da trama, o autor precisa de uma boa inversão. Quanto mais inverossímil, melhor. Quer dizer, pior. Ou seja, tanto faz. O importante é virar o jogo.

    As empresas de ônibus de Porto Alegre estão nessa fase.

    Partiram para o panfleto. Querem fazer baderna.

    Se não forem “compensadas” pela Prefeitura, prometem não pagar taxas e impostos. Devem andar lendo tratados de desobediência civil.

    Não duvido que venham a fazer greve e a trancar com ônibus as avenidas Júlio de Castilhos e Mauá, parando Porto Alegre. O perigo é real.

    O perigo é criar um Outono Porto-alegrense, com a galera ocupando as ruas e peitando os empresários sem a menor cerimônia. Melhor não brincar.

    As empresas de ônibus insistem que a tarifa é insuficiente.

    Não convencem.

    Os serviços nas horas de pico são péssimos.

    Sei do que falo. Eu uso.

    É ônibus atrasado e lotado.

    Um refrão.

    Essa novela parece ter sido escrita por Glória Perez.

    Tudo é absurdo.

    Fala-se português na Turquia.

    Os empresários não entendem o recado que vêm recebendo.

    A audiência deles não para de cair.

    Vai uma sugestão de enredo: diminuir a margem de lucro.

    É sucesso certo.

    Curtir

  5. Prédio detonado… as pichações são um “adorno” a essa obra.

    Curtir

  6. Tinta ante pixação pra que né rsrsrsrs

    Curtir

  7. Impunidade pra pichadores resulta nisso…..

    Curtir

  8. O próximo passo da prefeitura é cercar o paço municipal que nem fez com a fonte talavera. Vão cercar a praça Montevideo inteira e não deixar ninguém entrar.

    Curtir

  9. Quem sabe nao aproveitamos e nao viramos uma cidade tematica na Copa? Tem que haver pixacoes por toda a cidade, com palavras de ordem como: O Guaiba é Nosso; Luta; Abaixo Tigres Imperialistas; Viva Fidel; Mais Amor, Menos Motor; Chaves Não Morreu.

    O esqueleto vai virar um parque de diversões, explorando “A Casa do Terror”.

    Na “boca” do morro Santa Teresa, vão imitar(mal) a atração da do bairro de mesmo nome do Rio: vamos ter o Parque das Ruínas. As ruinas serão as do ex-mirante.

    Quanto ao Cais Mauá, esquecam, o Gerson tem uma ideia muito melhor: o Parque Temático da Resistencia.
    No parque tematico, a primeira coisa a ser feita eh tirar toda a visao que temos do Guaiba: tem que botar um paredao de maricás, mas importante: os maricás tem que impedir toda a vista e o contato com o Guaiba. Os ecologistas portoalegrenses aprovam. Depois, os bares tematicos: tera o Bar da AGAPAN, o Bar Havana é Aqui, o bar Maricá-Chic.

    Nos barrancos do Gasômetro, será a feirinha do MST.

    Na outra metade do Cais Mauá – ops, esqueci de dizer, o Cais Mauá mudará de nome: ele passará a se chamar “Cais Olívio Dutra”.
    Bem, como eu estava dizendo, na outra metade do Cais Olívio Dutra terá o dois parques ecológicos, o Parque dos Maricás e o Parque Jurássico. Neste, o que vai ter não será dinossauros, mas sim estátuas de personalidades portoalegrenses, como Sophia Cavedon e outras. E no Parque dos Maricás haverá bastantes brincadeiras, como “ache a coruja escondida” , ou então “procure um sítio histórico indígena”

    Olha, não sei porque Porto Alegre não implanta todas essas atrações! Será o maior sucesso da Copa !

    ____________________________________________

    Curtir

  10. Tem um grupo de anarquistas que transformaram isso no videogame deles. Nem importa qual o protesto, querem é ser contra o sistema.

    Curtir

    • Melhor isso do que o monte de babaca que há por aí achando que dirigir é um videogame, colocando a vida e o sossego de todos em risco.

      Curtir

      • Desculpe, estás defendendo estes vagabundos que pichão?

        Curtir

      • Marcelo, me desculpa mas uma coisa não justifica a outra.

        Curtir

        • Não, mas entre as duas, eu acho a pichação de revolta/protesto é mais útil. Tem a intenção de questionar e motivar as pessoas para melhorar a sociedade, se a forma como foi feita é produtiva ou não, é uma discussão válida, mas é melhor que jogar roleta russa com a vida dos outros dirigindo como se tivesse jogando videogame.

          Curtir

        • Me desculpe Marcelo, mas pichação cria mais adversários do que aliados. Se querem alguma coisa a estratégia é essencial.

          Curtir

        • Que estratégia sugeres, Rogério?

          Curtir

        • Marcelo, só mais um detalhe que deixei escapar, um verdadeiro anarquista lá pelo fim do século XIX início do século XX, poderia jogar uma bomba no colo de um Imperador pagando com a vida o seu ato de protesto, mas certamente não danificaria um prédio público.
          .
          Veja o que propunham os anarquistas brasileiros em 1921 numa de suas ações:
          .
          f) Tomar em consideração, procurar realizar todas as iniciativas benéficas indispensáveis e urgentes, para a emancipação humana, tais como fundação de escolas, publicação de livros, revistas e jornais que visem instruir num ponto de vista integral e racional.
          .
          Procurei, mas não encontrei nos manifestos anarquistas a depredação do patrimônio público e principalmente o histórico!

          Curtir

        • Caro Felipe.
          .
          Não sou um teórico anarquista e vejo que a teoria anarquista com um forte problema, ela supõe que as pessoas sejam educadas, cientes de suas obrigações e solidárias.
          .
          Infelizmente não é assim. Porém da ideologia anarquista podemos tirar muita coisa de útil. Da prática sugerida pelos nossos amigos anarquistas do início do século XX, uma que deveria ser levada em conta é manter permanente as suas ações, que inclusive pela maioria dos anarquistas passa por ações não violentas.
          .
          Se há uma coisa que os anarquistas em particular e a esquerda em geral aprendeu durante a história é que partir para a confrontação violenta, ou leva a uma rápida e dolorosa derrota, ou gera regimes “socialistas” que muitas vezes são mais autoritários e autocráticos que os próprios regimes de direita que derrubaram.
          .
          O que sugiro é principalmente reflexão antes da ação, pois movimentos de contestação sofrem muito mais com seus erros do que os governantes que combatem.
          .
          No caso de Porto Alegre é evidente, enquanto a prefeitura por seus projetos mal estruturados causam milhões de prejuízo a todos os portalegrenses, enquanto quem contesta não prejudica nem 0,1% o cidadão em termos de prejuízos, mas de posse dos organismos de imprensa os 100% aparecem muito menos do que os 0,1%!

          Curtir

        • Felipe a Marcelo.
          Só para não ficar como uma opinião pessoal minha vou colocar um parágrafo extremamente ilustrativo que pincei de um portal anarquista na Internet:
          .
          “Poucos anarquistas defendem a violência contra indivíduos. Durante o fim do século XIX e início do século XX, o anarquismo era conhecido como uma ideologia que pregava os assassinatos e explosões, devido a ação de pessoas como o russo Nechaiev, o francês Ravachol e à influência dos meios de comunicação da época. A maioria dos anarquistas acreditam que a violência contra indivíduos é inútil, já que mantém intactas as relações sociais de exploração e as instituições que a mantém. Entretanto, os anarquistas acreditam ser inevitável o recurso à violência como legítima defesa à violência do Estado ou de instituições coercivas. Anarquistas como Errico Malatesta publicaram célebres debates e publicações, condenando o individualismo-terrorista de alguns anarquistas”
          .
          Parece bem claro, verdadeiros anarquistas não iniciam a violência, entretanto reagem a ela.

          Curtir

        • Gostei da resposta do Rogério mesmo que não tenha me respondido exatamente. Estou curioso para saber do Marcelo 😛

          Curtir

        • Rogério,
          Não cabe discutirmos estratégias do anarquismo nesse post se nem sabemos quem foi que pixou aquela parede. Pode ter sido um anarquista, pode ter sido um socialista, pode ter sido alguém que não é nenhum dos dois.

          Por outro lado, dentro do anarquismo existe uma enorme diversidade de táticas empregadas e não existe coisa como “verdeiro” anarquista, se a pessoa tem ideais libertários, luta contra hierarquia e pela igualdade, ela é um anarquista, independente das táticas que usa. Existem anarquistas pacifistas e anarquistas que não são pacifistas, existem anarquistas instruídos e anarquistas analfabetos, existem anarquistas babacas e anarquistas legais, por aí vai.

          Em segundo lugar, eu jamais categorizaria pixar um muro como violência.

          Curtir

        • Marcelo, e neste libelo contra a discussão, algo que anarquistas verdadeiros, falsos, violentos, pacifistas, babacas … aceitam e gostam de fazer, tu te situas a onde? Ou não és anarquista?

          Curtir

        • Pô, o cara que mais gosta de discutir jogando a toalha 😥

          Curtir

        • Felipe.
          .
          E esta discussão, que num primeiro momento pode parecer desvinculada dos problemas da cidade, é importante, pois pode desmistificar em parte uma aura de espírito político e revolucionário de alguns, para reduzi-los a meros porcões!

          Curtir

        • Mas não acho desvinculada, fiquei triste que o Marcelo saiu pela tangente.

          Não tenho entendido algumas respostas tuas para mim 😛

          Curtir

        • Felipe.
          .
          Só para entenderes melhor, quando muitas vezes respondo para ti, na realidade não estou respondendo para ti! Capiche!

          Curtir

      • Zero efeito. Mas marcelo, ja que gostas tanto de pichacao piche a fachada de sua residência. Utilize as mesmas palavras que o vagabundo escreveu no patrimônio histórico da cidade.

        Curtir

    • Prefiro que a juventude jogue “videogame de protesto” do que Angry Birds. O primeiro tem mais chances de mudar a sociedade para melhor.

      Curtir

  11. Por que o único prédio a ser limpo depois das pichações é o Paço Municipal?

    Imagina o viaduto da borges com esse nível de limpeza.

    Curtir

    • Olha as rachaduras, descascados e pedaços faltando na fachada na 1ª foto. No máximo tão pintando por cima das pichações que nem a cara deles. Obra padrão POA.

      Curtir

      • É como a “pichação” que foi feita no viaduto da conceição onde limparam pedaços escrevendo coisas. Apagaram rapidinho as frases, mas demoraram décadas para limpar tudo.

        Curtir

        • A reforma do Viaduto Otávio Rocha é quase uma pichação. Passaram uma camada de reboco de cerca de 1cm sobre o reboco original e pronto! Houve uma interferência na concepção estética original – se o arquiteto quisesse que os elementos da obra fossem 1cm mais espessos, ele teria definido assim.

          A “pichação promovida pelo Estado” demonstra suas facetas ainda mais agora, quando a camada de 1 cm começa a se desprender do reboco original. Isso para mim tem um custo bem maior que algumas demãos de tinta. Na verdade, é uma obra milionária que foi pessimamente executava – e já pede nova reforma. O que farão agora? Mais uma camada de 1cm de reboco?

          Curtir

  12. Pera um pouco aí! Pagamos a Guarda Municipal para fazer o que? Pelo menos deveriam estar cuidando da segurança do prédio principal da PMPA.

    Curtir

    • Tudo bem que foi falha da Guarda Municipal … mas nada desmerece o fato que virou uma PALHAÇADA estas manifestações!!!

      Curtir

    • A manifestação é válida, tão válida quanto a investigação policial e punição dos envolvidos através de multa, trabalho comunitário, etc (acredito que a pichação não seja passível de prisão).

      Há, no caso das passagens de ônibus, provavelmente outras irregularidades do lado da ATP e da Administração Pública, cobras e lagartos que só serão soltos mediante muita pressão popular. Alguém duvida que nos últimos 20 anos nunca houve um lobby violento – e talvez até ilícito em alguns casos – junto às administrações municipais?

      Essa pichação tem um preço para o infrator, que é responder judicialmente por esse ato. Se a guarda municipal ou a polícia não conseguem levantar provas e suspeitos, bem, imaginem o que acontece em casos mais nebulosos de corrupção e improbidade administrativa?

      Curtir

      • A pichação não tem um preço só para o infrator, nós que pagamos impostos pagamos a conta dos reparos. Não é uma manifestação válida, é coisa de vagabundo mesmo. O sujeito gasta com tinta de pichação e depois se acha no direito de ficar com choradeiras quanto ao preço da passagem de ônibus, então que ingressasse com ação civil pública ao invés de praticar vandalismo.

        Curtir

        • O conluio da ATP com a Administração também nos impõe custos, Hell’s Guardian. A sua fé no Estado é tão grande que, justamente por isso, você deveria relaxar.

          Por que falo isso? Simples, se você confia tanto no Estado, não deveria esquentar a cabeça com o pichador, pois certamente ele será encontrado e punido adequadamente, ou seja, tudo certo no seu mundo perfeito, não há com que se preocupar.

          Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: