Operação na madrugada garante continuidade das obras da Beira Rio

Ação da Prefeitura e da Brigada Militar se baseou em decisão judicial  Foto: Evandro Oliveira/PMPA

Ação da Prefeitura e da Brigada Militar se baseou em decisão judicial Foto: Evandro Oliveira/PMPA

Uma operação conjunta da Prefeitura e da Brigada Militar, na madrugada desta quarta-feira, 29, garantiu o prosseguimento das obras de duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira Rio. A operação se baseou em decisão judicial da 22ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça. A primeira ação foi da Brigada Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e de contingentes do 3º BPM e do 4º Regimento de Polícia Montada, que providenciaram a retirada, sem incidentes, de um pequeno grupo de pessoas que havia acampado na área das obras.

Na sequência, 20 equipes da prefeitura deram início à remoção de 57 árvores, sendo 20 de grande porte, trabalho que será concluído até o meio-dia desta quarta-feira. Inicialmente seriam removidos 115 vegetais, mas uma avaliação mais detalhada dos técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam) e da empresa responsável pela obra resultaram em mais 32 árvores preservadas. Outras 20 árvores já haviam sido retiradas em operação anterior. Como compensação pelo impacto ambiental da obra, a prefeitura providenciará o plantio de 401 novas árvores, das quais 130 já foram plantadas na região. Além disso, mais 2 mil espécies nativas serão plantadas no projeto da Orla.

O secretário de Gestão do município, Urbano Schmitt, que coordenou os trabalhos das equipes da prefeitura, esclareceu por que a operação ocorreu na madrugada. “O objetivo principal foi causar o menor transtorno possível à população, especialmente quanto à circulação do trânsito. Isso foi conseguido graças ao trabalho qualificado da Brigada Militar e ao empenho e à integração de todo o pessoal do município e da empresa construtora, envolvido na operação”. Pela prefeitura participaram das ações equipes das secretarias do Meio Ambiente, da Saúde (Samu), de Segurança (Guarda Municipal), da PGM, da Governança, de Obras e Viação, do DMLU e da EPTC.

O prefeito em exercício, Sebastião Melo, saudou o resultado positivo da operação. “Mostramos com esse processo que é possível promover o desenvolvimento da cidade com sustentabilidade, executando obras e melhorias e promovendo as devidas compensações ambientais”, afirmou Melo.

A obra – A duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva na extensão de seis quilômetros é uma das importantes obras previstas para a Copa 2014. Mais do que isso, vai garantir a fluidez do tráfego e a segurança dos usuários na região de dois dos principais parques da cidade – o Marinha do Brasil e o Harmonia – e integrar-se a outros projetos urbanísticos em andamento na cidade: da Orla e do Cais Mauá. Hoje, mais de 46 mil veículos trafegam diariamente pela avenida.

Prefeitura de Porto Alegre

____________________

Corte de árvores é concluído e manifestantes são liberados

Conforme Prefeitura de Porto Alegre, 57 plantas foram removidas do entorno da Usina do Gasômetro

Corte de árvores ocorre para duplicação da avenida Beira-Rio  Crédito: Vinícius Roratto

Corte de árvores ocorre para duplicação da avenida Beira-Rio Crédito: Vinícius Roratto

A operação conjunta entre Prefeitura de Porto Alegre e Brigada Militar (BM) para cortar as árvores no entorno da Usina do Gasômetro, no Centro da Capital, foi concluída antes do previsto. O corte começou por volta das 5h e foi encerrado antes das 10h desta quarta-feira.

Segundo o Executivo municipal, 57 árvores foram removidas hoje. Outras 20 já tinham sido retiradas e seis ainda aguardam decisão da Justiça. No entanto, 32 devem ser preservadas. Inicialmente, a prefeitura informou que seriam 70 mudas seriam derrubadas nesta quarta.

Ainda durante a madrugada, policiais do Batalhão de Operações Especiais (BOE) e do 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM) cercaram o pequeno acampamento de 12 barracas, composto por um grupo de manifestantes contrários ao corte das árvores. Na ação, foram detidos 21 homens e seis mulheres. Todos foram soltos antes das 8h, após assinarem um Termo Circunstanciado por desobediência de medida judicial e por desacato, infrações que responderão em liberdade.

Segundo o secretário municipal de Gestão, Urbano Schimitt, o corte da vegetação ocorreu durante a madrugada para preservar a segurança das pessoas e evitar problemas no trânsito. “Foi uma preocupação grande para que houvesse uma rapidez nessa operação e tivéssemos menor impacto possível na questão do trânsito, como também na questão da segurança das pessoas que estão trabalhando e dos próprios manifestantes”, explicou em entrevista à Rádio Guaíba.

O corte de árvores foi autorizado pela Justiça no último dia 16. Por três votos a zero, os desembargadores liberaram a retirada de cerca de 100 mudas na avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio. A decisão foi tomada pelo relator Carlos Eduardo Duro, pela presidente da Câmara, Maria Isabel Souza, e pelo desembargador Eduardo Kraemer.

A derrubada das árvores permitirá a continuidade da obra de duplicação da avenida, um dos projetos para a Copa do Mundo de 2014. “Agora o canteiro de obras está liberado e entendemos que ela (duplicação da via) esteja pronta até março do ano que vem”, ponderou o secretário de Gestão, Urbano Schimitt.

Como compensação pelo impacto ambiental da obra, a prefeitura da Capital promete providenciaráo o plantio de 401 novas árvores, das quais 130 já foram plantadas na área. Além disso, mais 2 mil espécies nativas devem ser plantadas no projeto da Orla do Guaíba.

Na última segunda-feira, um grupo de manifestantes se reuniu para protestar contra o corte dos vegetais em passeata pelas ruas da Capital. Apesar do corte, os ativistas prometem novas mobilizações para os próximos dias.

Com informações dos repórteres Mauren Xavier e Dico Reis

Correio do Povo



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:,

93 respostas

  1. Certamente nos tempos da ditadura é comum atos praticados na calada da madrugada, ao que parece o Gov. Municipal de Fortunati está aplicando o que aprendeu com a ditadura, em que tudo pode, tudo vale, afinal de contas a Copa é dos Políticos.

    Enfim, muita gente está terminando sua carreira política, questão de tempo, veremos o resultado final do político do Sr. Fortunati

    Curtir

    • Estranho, o que mais anda acontecendo é ele ganhar votos com isso, ja que ta peitando essa tchurminha contra tudo.

      Curtir

  2. Vou abrir uma garrafa de Champagne enquanto pratico alfinetadas voodoo com meus bonequinhos da Cavedon, Ruas e Marcelo…..hahahahaaaaa..
    Tim. Tim……

    Curtir

  3. O Correio do Povo acaba de publicar uma enquete:

    Você concorda com a decisão da prefeitura de cortar árvores durante a madrugada?

    Votem lá: http://www.correiodopovo.com.br/default.aspx

    Curtir

  4. O debate aqui descambou para a maldita dicotomia dos gauchos de ser a favor ou contra. Argumentos consistentes acabam ficando em segundo plano. Infelizmente.

    Desde que o ser humano habita este planeta ele interfere na natureza para tornar o seu habitat menos hostil. Constroi casas, ruas, viadutos para melhorar a sua qualidade de vida. Por outro lado não pode destruir mananciais, nascentes, florestas de forma desordenada. Há que se ter racionalidade nas ações. Quais benefícios e quais prejuízos a longo prazo esta obra trás para a cidade como um todo? Raramente foi discutido isso. A idelologia pautou o debate.

    É inegável que o crescimento da população vai exigindo cada vez mais intervenções no ambiente. Na minha opinião, uma árvore ou grupo de árvores não pode ser obstáculo para uma obra que vai beneficiar toda a população. Não vai haver impacto no meio ambiente com a supreção destas árvores que um dia foram plantadas pelo homem. O plantio de outras árvores compensará plenamente a retiradas das atuais.

    Curtir

  5. Fim da Novela!!!.
    .
    Perdemos todos.
    RsdoNão que não conseguiu aparecer na capa dos pasquim de Poa apanhando da BM.
    Movimento do Parque Gasômetro, que vai ter sonho adiado por anos. (Mas tamô junto!)
    Porto Alegrense que vai continuar no congestionado, pois o projeto não vai funcionar.
    Os frequentadores da Orla bem como o projeto de revitalização da mesma.
    O judiciário que deu sentença vitoriosa a Prefeitura sem considerar um estudo de tráfico independente, que finalmente mostraria o erro no projeto. (lavando as mãos como, Pilatos)
    Todos os defensores dos modais alternativos e do Plano Diretor de 99.
    .
    Tudo por culpa de um grupelho que teve como seu principal argumento e ações, junto aos Porto Alegrenses, o factoide das árvores em vez de usar o um argumento inconteste que foi a falta de um estudo de trafico independente que mostraria o erro desse projeto.
    .
    E o grupelho idiota fez pior! Propagandeou esse factoide no pasquim mor.
    .
    Pois todos nós sabemos e debatemos aqui no blog o erro desse projeto, a obviedade de que 6(pistas de rolamento) não entra em 3 B/C e 4 não entra em 3 C/B! É a lei da física!
    .
    Que venha a próxima “emocionante” novela de PoA!

    PS: Queria ter visto a carinha do grupelho quando viram chegando os aboboras da BM e não tinha um jornaleiro oficial pra bater uma foto.

    Curtir

    • Meu amigo, gostaria de deixar registrado meu negativo aos teus comentários pois se queres expor o teu argumento, ao menos crie alguma lógica e escreva um português que as pessoas entendam e que não precisem ler três vezes a mesma frase …

      Curtir

    • Este foi um dos melhores comentários do debate, pena que alguns não entendem.

      Curtir

  6. A toca diz tudo do real objetivo da “causa”…

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: