Retomada obra de duplicação da Avenida Beira-Rio, em Porto Alegre

Obra deve ser concluída entre abril e maio de 2014

Porto Alegre – Recomeçaram, na manhã desta segunda-feira (3) as obras no quarto trecho da duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira Rio, na área próxima às avenidas Loureiro da Silva e João Goulart. O consórcio responsável pela obra providenciou a mobilização do parque de máquinas, necessário para dar continuidade às intervenções. Desde quinta-feira (30) as equipes do consórcio trabalham na limpeza da área, da qual foram retirados 57 vegetais. Obras complementares de calçamento e colocação de meio-fio não foram paralisadas, seguindo no ritmo previsto pelo cronograma.

A duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, na extensão de 6 quilômetros, é uma das importantes obras viárias previstas para a Copa 2014. Ela deve garantir a fluidez do tráfego e a segurança dos usuários na região de dois dos principais parques da cidade – o Marinha do Brasil e o Harmonia. Um dos trechos mais críticos para o trânsito fica na confluência entre as avenidas Loureiro da Silva e João Goulart. Neste trecho, o estreitamento da pista oferece sérios riscos a pedestres e ciclistas, que se dirigem aos parques, ao mesmo tempo em que é área sofre constantes engarrafamentos.

A nova Avenida Beira Rio vai integrar-se a outros projetos urbanísticos em andamento na cidade, o projeto da Orla e o do Cais Mauá. Atualmente, mais de 46 mil veículos trafegam diariamente pela avenida.

A previsão é de que a obra seja concluída entre abril e maio de 2014.

Compensação ambiental

Mesmo causando polêmica, foram retiradas as árvores no entorno da região. A compensação ambiental pela retirada dos 57 vegetais será feita com a plantação de 401 novas árvores. 130 delas já foram plantadas no entorno da própria avenida. Mais 2 mil serão plantadas na região, dentro do futuro projeto Orla.

Jornal NH



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:,

19 respostas

  1. Palestra bem interessante falando desse lance de financiamento de campanhas por empresas….

    Curtir

  2. O FUTURO DIRÁ PARA QUE SERVE ESTA OBRA…

    Curtir

  3. Construtora responsável pela obra (Toniolo Busnello) doou 231 mil reais para a campanha do Fortunatti… hmmmmmmmm

    Curtir

  4. Me entristece notar que as obras que estão sendo feitas não são para melhoria do centro e sim para criar meios para sair do centro rápido e de carro. Nesse sentido essa obra combina muito com o novo viaduto em frente a rodoviária.

    Curtir

  5. Uma coisa que tava pensando agora no almoço: não se cogitou transplantar estas árvores, ao invés de simplesmente cortá-las e plantar novas mudas? (onde sabemos que irão demorar uns 20 anos pra atingir o nível das atuais)

    Estão fazendo esse trabalho na duplicação da BR-116, lá em Camaquã, por exemplo.

    Curtir

    • alguem vai dizer…

      … bla bla bla, bla bla bla, a questão não é somente as arvores…

      Curtir

    • Fizeram em Buenos Aires também.

      Curtir

    • Transplantar arvores adultas é bem complicado pois com o crescimento as raizes se aprofundam ate encontrarem fontes de terra mais rica e agua, desta forma tem como crescer e manter-se. Transplantar a arvore sem que a mesma possa se nutrir é como ficar dando comida de bebe para um adulto, ela acaba morrendo.

      Curtir

  6. Pelo visto todas obras “da Copa” irão ficar prontas em cima do laço ou ainda depois da Copa. E ainda vão culpar os manifestantes.

    Curtir

    • Por causa dos manifestantes a obra atrasou, e tempo atrás não havia problema de falta de areia, se a obra tivesse sido feita antes estaria quase pronta. Por tanto os manifestantes tem sim uma parcela de culpa pelo atrasado. Pelo menos assumam o que fizeram e não se façam de vítimas agora.

      Curtir

      • Temos umas 20 obras “Da Copa” em Porto Alegre, e UMA atrasa devido aos manifestantes, pois ficou parada pouco mais de UM MES. A prefeitura deixou tudo para a última hora, isto é inegável. No começo do ano passado só tinha um naquinho da Beira-rio em obras e mais nada, num trecho que acabou com um baita espaço do Marinha, pois era o mais barato a ser feito (nem terraplanagem precisou), depois parou por meses até recomeçar algo naquela avenida. O viaduto da Bento é o maior lixo urbanistico da história de Porto Alegre. Existem 3 viadutos/trincheiras na perimetral a serem feitos, em um trecho de menos de 2 km. Por enquanto só tem um em obras, a praticamente um ano da Copa. Passei na tronco, e duvido que fique pronta antes de Junho de 2013. E o Sr. Fortunatti ainda teve o despeito de dar ultimato na Andrade Gutierres. Os manifestantes realmente são os culpados.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: