Prefeitura entrega ciclovia da Cidade Baixa à população

Melo e Cappellari participaram do passeio de abertura, além de outros ciclistas   Foto: Ocimar Pereira/Divulgação PMPA

Melo e Cappellari participaram do passeio de abertura, além de outros ciclistas Foto: Ocimar Pereira/Divulgação PMPA

Os ciclistas já têm um novo espaço para seus deslocamentos na Capital. Na manhã deste sábado, 8, foi entregue à população a ciclovia da rua José do Patrocínio, bairro Cidade Baixa. Ela tem 880 metros de extensão e liga as avenidas Loureiro da Silva e Venâncio Aires. Com o novo trecho, Porto Alegre conta com 14 quilômetros de ciclovias. O vice-prefeito Sebastião Melo e o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, estiveram presentes no passeio de abertura, além de diversos ciclistas e moradores.

A nova ciclovia, que responde às normas do Plano Diretor Cicloviário, tem piso de asfalto, coloração vermelha, com semáforos exclusivos para ciclistas e sinalização indicativa. A pista é bidirecional (mão-dupla) e está localizada no lado esquerdo da via, no sentido do tráfego. Ivo Vivian, que é ciclista, comentou sobre o novo espaço. “Sou a favor das ciclovias e essa ciclovia representa um ganho para a cidade, uma conquista que não é só dos ciclistas, mas de uma nova ideia de pensar o trânsito. Espero que avancem com essa iniciativa por outros pontos da cidade”, concluiu.

Ciclovia tem 880 metros de extensão e liga a Loureiro da Silva e Venâncio Aires  Foto: Ocimar Pereira/Divulgação PMPA

Ciclovia tem 880 metros de extensão e liga a Loureiro da Silva e Venâncio Aires Foto: Ocimar Pereira/Divulgação PMPA

Em relação aos carros, foram mantidas 100 vagas para estacionamento junto à ciclovia, sendo liberadas mais 50 vagas das 20h às 8h, horário de grande demanda no comércio da região. As vagas para carga e descarga foram mantidas. “Fora os estacionamentos, nada foi alterado na configuração do tráfego na José do Patrocínio. Essa ciclovia é mais um espaço que a cidade ganha, com o objetivo de mudar a cultura do trânsito. A próxima ciclovia será da avenida Chuí, na zona Sul, onde já foram iniciadas as pinturas no asfalto”, afirmou o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

A previsão da prefeitura é contar com 50 km de ciclovias até 2014. “Com a construção desse espaço, já está tomando forma uma rede de ciclovias, com vias que serão interligadas na área central, avenida Ipiranga e orla do Guaíba, chegando até a zona Sul, pela Diário de Notícias”, disse o vice-prefeito Sebastião Melo, que alertou também sobre o comportamento correto que se deve ter no trânsito. “O trânsito não pode ser um lugar de competição por espaços. As ruas devem ser, sim, um ambiente de convivência pacifica e harmoniosa, sempre com respeito às normas”, completou.

Os próximos espaços exclusivos de ciclistas serão implantados na avenida Chuí (entre Icaraí e Diário de Notícias) e a rua Vasco da Gama/Irmão José Otão (entre Miguel Tostes e Barros Cassal) que, somadas, terão a extensão de 1,7 quilômetro. Todos os projetos são da prefeitura e atendem ao Plano Diretor Cicloviário.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Ciclofaixas, ciclovias

Tags:, ,

9 respostas

  1. Da para perceber que o Melo nunca pedala, a não ser para aparecer… o banco está terrivelmente desregulado para a altura dele.

    Curtir

  2. Gostaria de saber pq “ainda” não retiraram a placa que permite que taxistas mantenham o ponto SOBRE A CICLOFAIXA DA JOSÉ DO PATROCÍNIO, na frente do Opinião?
    Competência para inaugurar a EPTC tem, já para fazer bem feito, NÃO!

    Curtir

  3. esse blog jah foi melhor, dava a noticia interia, parece estar de bem com tudo que esta acontecendo, nem comentario sobre o protesto que teve quando o vice prefeito pedalou por ali…. parece até blog da rbs

    Curtir

  4. E segue a Tinta de sabão.. fora isso e ser bidirecional, achei boa.

    Curtir

  5. Na entrega do PISA vão colocar um vaso sanitário para políticos darem a primeira ca. gada.

    Curtir

  6. Os babacas ainda tiram fotos ignorando o sentido da faixa!

    Já não bastou o Fortunati posando de infrator?

    Pelo jeito, está faltando “bici-escola” pra ensinar como se anda em uma ciclovia contendo dois sentidos, semáforos (pra quem só entende gauchês: “sinaleiras”) e outros itens igualmente existentes em vias destinadas aos carros.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: