Aeroportos pelo Brasil derrapam na tradução e confundem turistas

Setor de embarque do Aeroporto Internacional de Brasília apresenta erro de inglês em placa  -  Vinicius Mesquita/UOL

Setor de embarque do Aeroporto Internacional de Brasília apresenta erro de inglês em placa – Vinicius Mesquita/UOL

A Copa das Confederações começou há mais de uma semana, mas aeroportos de algumas sedes da competição ainda patinam em estrutura e organização. No setor de embarque do Aeroporto Internacional de Brasília, cidade que recebeu a partida de abertura entre Brasil e Japão, as placas de sinalização confundem os estrangeiros com as traduções mal elaboradas.

O viajante que não entende um níquel da língua portuguesa e deseja procurar os portões B, C, D, E, F e G da ala de embarque doméstico pode ficar confuso. A sinalização indica em português os “portões de A a H”, mas apresenta em inglês a equivocada tradução para “portões A and H”, ou seja: “portões A e H”.

O Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, parecia abrigar um festival de mímicas no último sábado. Os torcedores japoneses, que desembarcaram para acompanhar a partida contra o México, sofreram para obter informações das empresas responsáveis pelos serviços de táxi.

Sorridentes, os japoneses mostravam mapas, entregavam folhetos ou apontavam para o horizonte na frustrada esperança de se fazerem entender Os funcionários respondiam em português, balançando as maquininhas de cartão de crédito:

“Você pode pagar com cartão, pode sim. Caso seja em dinheiro, pague para o motorista do táxi”.

Japoneses e atendentes entraram em “loop infinito” (aquela definição dada pelos estudiosos de tecnologia para determinar uma situação que se repete interminavelmente em um programa de computador). Nenhum funcionário das empresas credenciadas pelo aeroporto de Confins para oferecer táxis aos turistas sabia falar em inglês.

No Rio de Janeiro, as escadas rolantes do setor de embarque para voos domésticos do aeroporto Santos Dumont estavam desligadas no último sábado. Pequenos totens próximos às rolantes direcionavam as pessoas para os elevadores.

Vinicius Mesquita

Do UOL, em Brasília



Categorias:aeroportos brasileiros, Copa das Confederações 2013

Tags:,

7 respostas

  1. Para animar um pouco esse tópico http://www.youtube.com/watch?v=-3szYw_8guQ

    Curtir

  2. Faz licitação para contratar empresa de tradução, superfatura e traduz no Google (se bem que nem no Google é tão grotesco o erro).

    Curtir

  3. Nao sei onde foi, mas por esses dias publicaram a foto de placas em um aeroporto que diziam “Departure – Desembarque” e “Arrival – Embarque” rsrs. Os gringos vao sofrer.

    Curtir

  4. Isto tudo é muito bom. Há aquela tradição que com cordialidade se resolve tudo. Uma pinoia, tem que ter conhecimento e educação formal.
    .
    Quando colocaram que a Arena era um Soccer stadium (nem no Google translation dá isto aparece “football stadium”) e eu critiquei acharam que era ranço de minha parte, agora tomem lá.
    .
    A lógica dos brasileiros que já viajaram para o exterior é como não escrevem nada em português, por que devemos escrever em inglês? Isto são palavras da nossa fantástica “classe média”.

    Curtir

  5. Mai inglish tiu bed.

    Curtir

  6. Que tristeza

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: