Criado o grupo que vai coordenar demolição do Estádio Olímpico

Estádio Olímpico  Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

Estádio Olímpico Foto: Gilberto Simon – Porto Imagem

Será publicada nesta terça-feira a portaria que cria o Grupo Executivo Projeto Demolição do Estádio Olímpico, no âmbito da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Na próxima sexta-feira (28) às 14h, na sala do Conselho Municipal do Desenvolvimento Urbano e Ambiental, na sede da Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb), acontecerá a primeira reunião do grupo. A abertura será feita pelo prefeito José Fortunati e, após a fala do representante da OAS, haverá uma apresentação do Engº Manoel Dias sobre o processo de implosão.

Etapas da Demolição

A demolição do Estádio Olímpico será feita em três etapas. A primeira é a seletiva, na qual são retiradas aberturas, luminárias e outros pequenos materiais. A segunda etapa é a mecânica, com a destruição da arquibancada inferior e outras paredes. A implosão contemplará a arquibancada superior e as alvenarias restantes. Na reunião, estarão presentes os integrantes do Grupo Executivo com Coordenação Geral do Prefeito e Coordenação Executiva do Sub-Secretário de Urbanismo, Ricardo Gothe. Estarão representadas, ainda a OAS, a empresa Ramos Andrade e o Engº Manoel Dias, responsável pela implosão.”A ideia é que os técnicos da Prefeitura já fiquem reunidos para iniciar o chamado Plano de Trabalho e estabelecer cronogramas”, explica Ricardo Gothe.

Deslocamento de pessoas e animais, saúde, segurança, transporte, tráfego, meio ambiente, redes de água e esgoto, monitoramento, comunicação, reciclagem de resíduos, são alguns dos temas que receberão atenção especial dos representantes da Smurb, Smov, Smam, Secretaria Municipal da Saúde, Fundação de Assistência Social e Cidadania, Codec, Secretaria Municipal da Segurança, Seda, Gabinete de Comunicação Social, Secretaria Municipal de Governança Local, Dep, Demae, DMLU, EPTC e PGM. Em reunião preliminar ficou definido que a OAS começará imediatamente o cadastramento dos moradores que precisarão se ausentar de suas casas no dia da implosão do estádio, para elaboração do laudo social e do laudo físico dos imóveis.

A previsão é de que serão necessárias 8 horas de afastamento dos moradores e seus animais de estimação (contabilizando o tempo desde a saída até o retorno) de suas residências. Além disso, os que desejarem, poderão usufruir de espaço especial com completa estrutura (incluindo transporte), providenciado pelas empresas envolvidas. “É importante ressaltar que todos os custos do processo, inclusive para as operações nas áreas públicas, caberão aos empreendedores”, esclarece Gothe. Sobre o reaproveitamento dos resíduos, o sub-secretário informou que de 80 a 85% do concreto resultante da demolição deverá ser reciclado e reaproveitado na construção das torres do futuro empreendimento a ser erguido na área do estádio Olímpico.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Outros assuntos

Tags:, ,

1 resposta

  1. Agora que não entendi. Uma coisa que nenhum engenheiro gaúcho entende. Vão fazer um enorme grupo de trabalho para discutir o assunto. O que pode ocorrer são duas coisas, ou simplesmente vão escutar o que profissionais habituados a isto tem a dizer, ou vão criar normas e mais um monte de regramentos que logicamente estarão errados!
    .
    Deveriam chamar a firma que tem experiência nisto e perguntar:
    .
    O que devemos fazer?
    .
    Depois disto o grupo deveria se auto-extinguir-se.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: