Obra da Tronco beneficia mais de 1,5 mil famílias

Reassentados puderam escolher entre adquirir nova casa ou o aluguel social.  Foto: Cristine Rochol/PMPA

Reassentados puderam escolher entre adquirir nova casa ou o aluguel social. Foto: Cristine Rochol/PMPA

As obras de duplicação da avenida Tronco já proporcionam grandes mudanças sociais na região. A avenida de 5,6 quilômetros de extensão beneficia sete comunidades da zona Sul: vilas Silva Paes, dos Comerciários, Cristal, Cruzeiros do Sul, Gaston Mazeron e Maria. Para dialogar com os moradores da Tronco e atender as suas demandas, a prefeitura instalou um escritório na região. Serão beneficiadas 1.525 famílias com novas moradias e infraestrutura.

A obra compreende trecho a partir da rótula que será construída na avenida Icaraí, no bairro Cristal, até a nova rótula no cruzamento com a avenidas Gaston Mazeron e Carlos Barbosa, e outra parte formada a partir de bifurcação: uma via até a Terceira Perimetral (altura da av. Teresópolis) e outra até a rótula do Papa (Medianeira). A obra contempla duas pistas, uma em cada sentido, faixa preferencial de ônibus, ciclovia, incluindo rótulas e intersecções, além de mobiliário urbano.

O investimento é de R$ 156 milhões. A prefeitura investirá R$ 33 milhões na obra, incluindo as estações de ônibus. O trabalho foi dividido em duas etapas e quatro trechos:

Trechos 1 e 2 – entre a rua Gabriel Fialho Camargo, rua Catão Coelho e av. Cel. Aparício Borges – faz parte da segunda etapa.

Trechos 3 e 4 – entre a av. Icaraí e rua Gabriel Fialho Camargo – faz parte da primeira etapa.

Já foram concluídos os 1,4 mil metros de pavimentação entre as avenidas Carlos Barbosa e Icaraí (trechos 3 e 4) e os 800 metros da rua Gaston Mazeron (trechos 1 e 2). Também já forma implantadas as redes de água e de drenagem.

Moradores beneficiados – Levantamento socioeoconômico, realizado pelo município, revela que 1.525 famílias residem nas vilas pela qual passa a duplicação da Tronco.

Para a maioria das famílias cadastradas e que serão transferidas, a obra da Nova Tronco representa a oportunidade de conquistar a casa própria de forma regular, resultado do diálogo entre a prefeitura e a comunidade em busca das melhores soluções. Para que as famílias sejam reassentadas próximo de onde viviam, a prefeitura adquiriu 16 áreas na Vila Cruzeiro e nos bairros Glória e Cristal, onde serão construídas unidades habitacionais por meio do programa Minha Casa, Minha Vida. O projeto, que está em fase de aprovação na Caixa Econômica Federal, prevê 800 unidades habitacionais. Após o projeto aprovado na Caixa, iniciam-se as obras.

Bônus moradia – Os moradores que serão reassentados puderam escolher entre adquirir uma nova casa ou esperar pela construção de moradias nas áreas próximas à Tronco, optando pelo aluguel social. O bônus moradia, no valor de R$ 52.340, é totalmente pago pela prefeitura, que também custeia as despesas de impostos de transmissão, custas com escritas e registros no Cartório de Registro de Imóveis. Das 1.525 famílias cadastradas, 350 já receberam o bônus moradia.

O aluguel social destina R$ 500 mensais para a locação de uma casa. Ele é pago até a entrega das chaves das unidades habitacionais que serão construídas na região.

Centro Popular – Entre as melhorias para a comunidade, está prevista a implantação do Terminal BRT Cristal que, além de servir como terminal de ônibus, será utilizado para a construção de um Centro Popular de Comércio. O CPC contemplará os comerciantes que saíram do leito da avenida. Eles terão um local apropriado de trabalho, com toda a infraestrutura necessária.

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:,

6 respostas

  1. Muitas famílias tomam posse de terrenos irregularmente para construir suas casas sabendo que estão cometendo um erro e depois querem reclamar que estão sendo relocadas?
    Olha elas tem que agradecer que pelo menos irão ganhar uma nova moradia…

    – Mas ai eu pergunto: Eu que tenho que trabalhar e estudar e pagar minhas contas ainda terei que pagar por essas moradias construída pela prefeitura, porque essas pessoas simplesmente tomaram posse na marra e agora não tem onde morar??

    – Por favor, e ainda tem gente que defende essas pessoas que estão em situação irregular…

    – Outra coisa, vim de família humilde do interior passei necessidades aqui na capital e no entanto nunca fiz nada irregular, como tomar posse de terreno por exemplo… superei minhas dificuldades, enquanto isso alguns espertões ficam enchendo o saco e atrapalhando o crescimento achando que tem direito de permanecer numa area apossada…

    DEFINITIVAMENTE SOU CONTRA A MALANDRAGEM, PODEM SER DE PESSOAS POBRES OU DE PESSOAS RICAS, SE ESTÃO IRREGULARES ENTÃO NÃO ENCHAM O SACO, EU TENHO OS MESMOS PROBLEMAS E NO ENTANTO NÃO FAÇO IRREGULARIDADES E AGORA TEREI QUE PAGAR MORADIA PRA ESSAS PESSOAS, DINHEIRO ESSE QUE PODERIA SER INVESTIDO EM OUTRAS AREAS…

    Curtir

  2. “O bônus moradia, no valor de R$ 52.340, é totalmente pago pela prefeitura” Não sabia que a prefeitura tinha uma grana, achei que era eu que pagava por isso!

    Curtir

  3. Beneficiadas = removidas para a periferia?

    Curtir

    • Não é verdade Marcelo, estás mas informado. Estas famílias vão ser movidas para região, inclusive algumas vão ficar no Cristal, mais perto do shopping, uma zona bem boa.

      Curtir

  4. Quando li o título me perguntei – será que elas concordam? 😀

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: