Prefeitura entrega nova ponte sobre o Arroio Dilúvio

  Trânsito na segunda ponte será liberado às 10h desta quarta-feira  Foto: Ivo Gonçalves/PMPA


Trânsito na segunda ponte será liberado às 10h desta quarta-feira Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Nesta quarta-feira, 17, o prefeito José Fortunati e o secretário municipal de Obras e Viação, Mauro Zacher, entregam a segunda ponte sobre o Arroio Dilúvio, na avenida Edvaldo Pereira Paiva. O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, e o secretário de Gestão, Urbano Schmitt, também participam da solenidade. O evento será realizado às 10h, no local.

Mapa mostra esquema de trânsito no local

Mapa mostra esquema de trânsito no local

A estrutura tem extensão de 80 metros e largura aproximada de 15 metros. A obra, um trecho de cerca de 300 metros, faz parte do alargamento das pistas da avenida Ipiranga, entre as avenidas Borges de Medeiros e Edvaldo Pereira Paiva. Com investimento de R$ 4.516.464,02, foi realizada pelo consórcio vencedor da licitação, EPT – Procon, com fiscalização da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov).

O projeto – A segunda ponte sobre a avenida Edvaldo Pereira Paiva tem extensão de 80 metros e largura aproximada de 15 metros. O alargamento das pistas da avenida Ipiranga, entre a Borges e a Edvaldo, é de cerca de 300 metros. A obra faz parte da duplicação da chamada avenida Beira-Rio, um dos grandes projetos de mobilidade urbana na capital gaúcha. A duplicação da Edvaldo compreende quatro trechos, somando 5,3 quilômetros. A primeira fase inclui os dois primeiros trechos e tem 1,38 quilômetro de extensão. O terceiro trecho se inicia na altura da pista de skate do Parque Marinha do Brasil e segue até a avenida Pinheiro Borda. O investimento total chega a R$ 94 milhões. A obra completa, incluindo a quarta etapa entre a Aureliano de Figueiredo Pinto e a Usina do Gasômetro, inclui três pistas em cada sentido, rótulas, ciclovia, ponte sobre o Dilúvio e viaduto na avenida Padre Cacique, além de ciclovia paralela ao Guaíba.

Trânsito será liberado – A partir das 10h de quarta-feira, 15, o trânsito será liberado aos veículos na segunda ponte sobre o Arroio Dilúvio. A liberação acontece após a conclusão das obras e a implantação da sinalização viária instalada pela EPTC. O projeto de trânsito prevê conversões e retornos, tanto para a Edvaldo Pereira Paiva como para a Ipiranga. “Com a liberação da ponte será possível aos condutores da região acessar o novo trecho duplicado da Edvaldo, criando uma boa alternativa para quem está na Ipiranga e pretende ir à zona Sul”, afirmou o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari. A característica do tráfego na ponte será parecida com uma rotatória. A diferença é que o ambiente será sinalizado com semáforos, que contribuirão para uma travessia segura dos pedestres.

Como fica a circulação – Quem trafega pela Edvaldo Pereira Paiva, direção Centro-bairro, poderá seguir reto na via ou acessar à esquerda na Ipiranga. No sentido oposto, também poderá seguir reto na via ou acessar à direita na Ipiranga. Quem trafega pela Ipiranga poderá acessar a Edvaldo Pereira Paiva, nos dois sentidos de circulação da via.

Foto: Indaiá Dillenburg/Divulgação PMPA

Foto: Indaiá Dillenburg/Divulgação PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:Duplicação de avenidas

Tags:, ,

38 respostas

  1. Uma ponte parecida com essa fora construída na minha cidade. Ela tem uma pista em cada sentido e é um pouco mais longa. Custo total: 1,8 milhões. Eu já achei superfaturado por ser um ponte bem “basicona” como essa aí. Mas eu não sou base pois não entendo muito bem disso.

    Só acho que seria legal se a prefeitura pensasse um pouquinho mais e fizesse um projeto um pouco maior (com mais planejamento) e não algo isolado assim.

    Seria bacana se fizessem toda uma reurbanização da Ipiranga. Tornando o rio todo da mesma largura, colocando calçadas e ciclovias contínuas, iluminação usando postes antigos e todas as pontes iguais ás antigas.

    * Sonhar não custa!

    Curtir

  2. Para quem tem real interesse em urbanismo: http://www.iabrs.org.br/web/Noticias/Noticia.aspx?id=4263

    Curtir

  3. Agora quem vai pela Edvaldo Pereira Paiva não conseguirá mais acessar a Augusto de Carvalho de forma direta?

    Curtir

  4. Menos uma novela na cidade!
    Vejamos quantas faltam ainda….

    Curtir

  5. Nunca vi tanto alarde para uma coisa tão pequena.
    Fora isso, discordo de que cabia um MARCO ARQUITETÔNICO para uma mera pontezinha pequena. Minha preocupação maior é que ela não seja como outras pontes que estrangulam o Dilúvio, aumentando as cheias dentro da cidade. Em suma: me pareceu bonita o suficiente, embora atrasada como sempre.

    Curtir

  6. Isso explica o post sobre o lixo… Se estivesse tudo limpinho não se justificaria os contratos de emergência.

    Curtir

  7. A Zona Sul agradece.

    Curtir

  8. Não me surpreenderia se fizessem uma de madeira, aos moldes do “pier” do ipanema lá….

    Curtir

  9. Uma “obra-prima” da arquitetura.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: