Governo instala comitê executivo de estudos para implantação do aeroporto da Região Metropolitana

O Governo do Estado instalou nesta quarta-feira (17) o comitê executivo de estudos para a implantação do novo aeroporto da Região Metropolitana, em ato realizado na Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seinfra). Presidido pelo titular da secretaria, Caleb de Oliveira, e coordenado pelo diretor-executivo Roberto Carvalho Netto, do Departamento Aeroportuário do Estado (DAP), o comitê é formado por membros de nove secretarias de Estado e entidades representativas.

O governador Tarso Genro, ao instituir o comitê por meio Decreto nº 50.263 de 19 de abril de 2013, destacou que o objetivo do grupo de trabalho é formatar um termo de referência para encaminhar a proposta ao Governo Federal, além de outras ações técnicas para viabilizar o projeto. Nesta tarde, o grupo defendeu a área localizada nas imediações do município de Nova Santa Rita para implantação do novo aeroporto.

Na última visita ao Estado, o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, confirmou que o Governo Federal dará início aos estudos técnicos e financeiros para viabilizar o projeto. “Estamos em permanente contato com a SAC e recebemos a informação de que este pacote de incentivos à ativação da aviação regional, que inclui a implantação de novos aeroportos, está num ritmo acelerado, já na fase dos editais”, afirmou Caleb. A expectativa é de que as obras comecem no primeiro semestre de 2014. O Governo do Estado já apontou a necessidade de implantação dos dois novos aeroportos – um na Região Metropolitana e outro em Vila Oliva, em Caxias do Sul. “Obtivemos um aceno positivo da União para viabilizar esses projetos”, disse o secretário.

Carvalho Netto apresentou os estudos realizados pelo DAP com a proposta básica do projeto e justificativas à implantação do novo aeroporto na Região Metropolitana e indicativos de área entre os municípios de Portão e Nova Santa Rita. O comitê tem como finalidade coordenar a transversalidade das ações necessárias à implantação do novo aeroporto como a representação oficial do Estado neste processo. “Entre as atribuições, estão os estudos com vista à implantação do novo aeroporto, avaliação e determinação da melhor localização, avaliação técnica e política acerca da decisão a ser tomada”, ressaltou Netto.

Integram o comitê representantes da Secretaria de Infraestrutura e Logística, Casa Civil, Secretaria Geral de Governo, Secretaria de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Secretaria do Ggabinete dos Prefeitos, Secretaria de Obras Públicas, Secretaria do Turismo, Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria de Aviação Civil (SAC), Infraero, Federasul, Fecomércio, Fiergs, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), 5º Comando Aéreo Regional, Polo RS/Agenda 2020, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Trensurb, Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa do RS, Prefeituras de Nova Santa Rita e Portão, e Comitê do Aeroporto Internacional 20 de Setembro.

Portal do Governo do Estado do RS



Categorias:Aeroporto 20 de Setembro

Tags:, , ,

5 respostas

  1. Só muita burrice ou muita negociata para colocar um aeroporto de grande porte no meio de uma região metropolitana, perto de uma serra e longe do mar. Quando o primeiro avião de carga despencar sobre as cabeças do povo de Canoas, NH, São Léo ou Gravataí é que vamos ver a bobagem feita em nome de interesses pequenos. Quando o primeiro engarrafamento fizer os aviões decolarem vazios é que veremos o estrago que a burrice e a sem-vergonhice dos dirigentes gaúchos fez para o estado!

    Curtir

  2. O problema não é a criação do aeroporto. O problema é toda a estrutura que vão ter que alojar ali.

    O Salgado Filho é um dos únicos aeroportos do país a ter metrô a menos de um km dele (agora com acesso direto, via aeromovel), quiçá o único que tem ligação férrea com o centro da capital à que serve e com os municípios mais importantes da RM. Fica à próximo de 3 rodovias (BR 116, BR 290 e BR 448) e acesso à zona sul da cidade (3ª perimetral) e ao centro (Farrapos), fora as linhas de ônibus que veem da de toda a RM e de toda a cidade para o aeroporto, quando uma das maiores reclamações dos aeroportos no Brasil é a falta de transporte público nos aeroportos.

    Não será necessário apenas construir o aeroporto, mas sim também toda a estrutura imediatamente para que se torna vantajoso. Vi que um dos parceiros ali é a Trensurb, ela já planeja alguma linha de trem que passe por ali? Ou o DNIT já tem rodovias para construir ali, quem sabe um BRT?

    Toda essa estrutura tem que ser pensada, porque mesmo que o Salgado Filho atenda à uma quantidade menor de passageiros, é inegável que há uma estrutura para escoar os passageiros enquanto na maioria dos aeroportos do país os passageiros fiquem reféns dos táxis.

    Curtir

  3. Pensando até melhor e conhecendo a velocidade com que andam as obras por aqui, reservar uma área para um novo aeroporto pode ser algo até positivo. Daqui a 20 anos, quando começarem a pensar na saturação do Salgado Filho terão mais 10 anos para construí-lo. Só espero que não paguemos a compra desta área!

    Curtir

  4. Só espero que não seja o mesmo comitê que escolheu Lavras pra instalar os aerogeradores.

    Curtir

  5. Título poderia ser “Beto 40 e o leite sagrado das futuras gerações”.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: