Manifestantes bloqueiam via em frente à Câmara

Audiência de conciliação para desocupação do Legislativo começou com uma hora de atraso

Audiência de conciliação para desocupação do Legislativo começou com uma hora de atraso.  Crédito: Paulo Nunes

Audiência de conciliação para desocupação do Legislativo começou com uma hora de atraso. Crédito: Paulo Nunes

Os manifestantes ligados ao Bloco de Lutas pelo Transporte Público bloquearam na tarde desta quarta-feira a avenida Loureiro da Silva, em frente à Câmara de Vereadores de Porto Alegre, na região central. De acordo com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o ato ocorre nos dois sentidos da via. O trânsito está sendo desviado pela Edvaldo Pereira Paiva (para quem vai ao bairro) e Washington Luiz (na chegada ao Centro).

Enquanto isso, a audiência de conciliação entre o grupo e os vereadores começou com uma hora de atraso no Foro Central da Capital. Na segunda-feira, a juíza Cristina Luisa Marquesan da Silva suspendeu o imediato cumprimento da liminar de reintegração de posse da Casa e convocou essa reunião para resolver o impasse.

Nessa terça, o presidente da Câmara, Thiago Duarte (PDT), afirmou que após a derrota no Poder Judiciário para desocupar o Legislativo, a última saída será a audiência de hoje. O grupo está acampado no prédio desde quarta-feira passada.

Correio do Povo

 



Categorias:Invasão

Tags:,

26 respostas

  1. Velhas ideias com velhas práticas.

    Curtir

    • E?…

      Um Fiestinha humilde da mãe, modelo antigo. Não entendi no que isso deslegitimiza o protesto.

      Curtir

      • Porque não foi de ônibus?

        Curtir

        • Por que deveria ir de ônibus? Será que ela não foi de ônibus alguns dias? Será que no contexto específico, não era mais prático a sua mãe deixá-la no local, de carro? Será que tudo tem que ser na base do oito ou oitenta, do tipo “ou você usa somente transporte público ou somente transporte privado”?

          Cada uma que eu tenho que ler. Parafraseando Wave do amigo Tom, “vou te contaaar”.

          Curtir

        • Provavelmente nem sabe que linhas de ônibus passam perto de sua casa. É o que eu digo sempre: são os revolucionário que querem construir um novo país, mas nunca ao menos arrumaram a sua própria cama.

          Curtir

        • Oba, ataques ad hominem. A definição da falta de conteúdo.

          Curtir

    • Gustavo, ages com ignorância por conveniência ou convicção ?

      http://ocetico.wordpress.com/2013/07/17/band-manipula-informacoes-para-criminalizar-movimento-social/

      Em reportagem mentirosa e caluniosa veiculada no programa Brasil Urgente na última segunda-feira, dia 15 de julho, a TV Band manipulou informações para tentar desmoralizar e criminalizar manifestantes e deslegitimizar um movimento social aos olhos da sua audiência.

      Confira a reportagem da Band clicando aqui.

      375px-Graham’s_Hierarchy_of_Disagreement1.svg
      O Diagrama de Graham lista o argumentum ad hominem como a segunda forma mais baixa de argumentação, estando acima apenas dos xingamentos.

      A tentativa de manipulação da opinião pública começa de forma sutil já nos primeiros 35 segundos, quando a repórter comenta que a mãe de uma manifestante foi buscá-la de carro na frente da Câmara de Vereadores, como se jovens que ainda dependem dos pais não tivessem o direito de protestar, ou como se quem anda de carro não tivesse o direito de protestar por um melhor transporte público. Pelo contrário, o fato de alguém que protestar por algo que visa o bem comum – como o transporte público de qualidade – e não beneficia a essa pessoa em particular, só mostra que ela não está lá para defender apenas os seus interesses, mas sim pelo bem maior. Esse tipo de estratégia, de desqualificar os manifestantes e não as suas reivindicações é um artifício muito comum, conhecido como argumentum ad hominem – ou seja, um argumento que ataca a pessoa e não as idéias desta pessoa.

      Aos 50 segundos, a repórter emite primeira mentira descarada: “Funcionários que chegavam para trabalhar eram barrados” para em seguida ser desmentida pelas imagens da própria reportagem que mostram um manifestante que se aproxima da janela de um carro que tenta entrar na Câmara e informa: “É feriado hoje, tá? Não precisa entrar, se quiser pode entrar.” Ou seja, os manifestantes não estavam barrando os servidores da Câmara, mas informando-os que os vereadores haviam determinado numa reunião em um restaurante que não haveria expediente na segunda-feira, dia 15/07.

      A 1 minuto e 20 segundos uma breve deturpação dos fatos. A repórter afirma que a imprensa está impedida de entrar na Câmara de Vereadores, o que não é de fato verdade, visto que jornalistas independentes têm livre acesso às dependências da Câmara. Até onde sei, os únicos jornalistas que sofreram restrições foram os que trabalham para grandes conglomerados, como Globo e Bandeirantes e, acredito que até aqui, a Band já mostrou muito bem que essa limitação de acesso é justificada, pois não possuem a intenção de informar, mas sim de manipular a opinião pública. E ainda vai piorar…

      Aos dois minutos e 15 segundos a desinformação atinge níveis absurdos. A repórter afirma que “uma representante do Bloco de Lutas Pelo Transporte Coletivo” foi até a imprensa informar sobre a posição dos manifestantes sobre o pedido de reintegração de posse. A reportagem afirma que a jovem estava “visivelmente sob o efeito de drogas” e que falou palavras sem sentido. Na verdade, o que a moça estava fazendo não era uma declaração à imprensa em nome do Bloco, senão uma apresentação teatral, uma performance artística para debochar da cobertura da grande mídia e da opinião de comentaristas como Lasier Martins, da RBS, que tentam criminalizar os manifestantes rotulando-os de “anarquistas mascarados”. A jovem atriz apresentou-se como representante dos Mascaristas Anarcados e o trecho que foi ao ar na Band era um trecho da música que a jovem apresentou, debochando de Lasier Martins.

      Curtir

      • Não, só não bebi da mesma água que tu!

        Fora o outro vídeo que vi por aí de um “manifestante” fumando maconha dentro da câmara. Pensei que houvesse uma lei proibindo fumar em ambientes fechados…

        Curtir

        • Oba, mais ad hominem. Afinal, se um manifestante fez algo errado, o movimento todo está desqualificado. Óbvio.

          Curtir

    • Só pode defender o transporte coletivo quem anda de ônibus? É por isso que os vereadores não fazem nada então.

      Curtir

  2. Eu nao falei, deixem eles e daqui a pouco estaram junto com alguns sem teto sentados em seu sofa na sua sala…

    Curtir

  3. Nada contra a ocupacao, ate’ porque nao se faz nada de util la’ na Camara mesmo, mas achar que esse pessoal quer negociacao e’ piada. Soltaram uma lista de exigencias que, sabe-se, nao ira’ a lugar algum. Vao ficar la’ ate’ os tirarem, porque ate’ os cachorros da Vila Pinto sabem que passe livre e’ inviavel e impossivel numa cidade do tamanho de POA.

    Curtir

    • Eu diria: “até os cachorros da Vila Pinto sabem que passe livre é inviável em uma cidade onde a ATP tem o poder que tem.”

      Curtir

  4. A minha dúvida é: os vereadores estão sendo impedidos de trabalhar? A simples ocupação das dependências da Câmara não deve ser um impeditivo, pois trata-se de um espaço público.

    Aliás, se formos pensar no âmbito constitucional, o que impede qualquer cidadão de querer dormir nas dependências de um prédio público?

    A questão da ocupação foi judicializada porque provavelmente não há consenso sobre como deve ser tratada uma ocupação nesses moldes. Em se tratando de ser espaço público, não se pode falar em invasão. Se não há violência ou restrição ao direito dos vereadores ocuparem seus gabinetes, não se justifica o emprego de força policial.

    Estou levantando hipóteses, mas se fosse algo tão óbvio, os ocupantes já teriam sido enxotados nos primeiros dias.

    Curtir

    • Sim, os vereadores estão sendo impedidos de trabalhar. O plenário é local de trabalho deles também. As galerias do plenário é que são o local das manifestações populares.
      Será que liberar o uso de prédio público como dormitório, ou qualquer outro fim que não para o qual ele foi planejado, não seria tornar tudo uma baderna generalizada?
      Ocupação é uma coisa, invasão é outra, e é o que está ocorrendo na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Ocupem as galerias, mas não invadam o plenário e os gabinetes!
      Democracia requer deveres também. Tem muita gente lembrando só dos direitos e esquecendo dos deveres.

      Curtir

      • Tiago Jacobus, se formos falar de deveres, a nossa república é uma lástima. Há incontáveis deveres impostos ao agente público que não são respeitados desde a constituição de 88. Direito à saúde, à educação, à moradia, ir e vir, etc.

        Não dá para partir do pressuposto de que o poder ou os níveis mais altos da hierarquia estão sempre fazendo o certo e o povão está errado. Sinceramente, se qualquer um de nós ler a constituição, vai ficar em dúvida quanto a quem tem mais legitimidade de ocupar o plenário da Câmara. Eu acho que é mais ou menos isso que passa na cabeça dos juízes que estão lidando com o caso.

        Eu sei que o Psol e o PSTU estão em peso presentes nessa ocupação. Isso não invalida o movimento. Temos de ter o discernimento de ver o que é uma atitude política legítima e o que é capitalização partidária. Certamente, se eu vier a votar no Psol nas próximas eleições, não será por causa das manifestações, pois a situação nunca se manifesta contra si mesma.

        Em outras palavras, é burrice votar em partido que organiza manifestações, pois ele é socialmente mais útil como força mobilizadora de movimentos sociais do que como situação. Dito isto, não quero dizer que é errado votar no Psol; o que quero dizer é que se eu perceber que o Psol é a grande força motriz dos protestos, eu pensaria seriamente em não votar no Psol para um cargo do Executivo para que a chama do inconformismo se mantenha acesa.

        Curtir

      • Blz então, as ruas foram criadas para transporte, não podem ser fechadas. A câmara foi criada para atenderem os financiadores de campanha, não pode ser fechada. As praças foram criadas para passear com cachorro, não podem ser ocupadas.

        Quem quiser protestar que fique no facebook e no forum do porto imagem.

        Curtir

  5. “Thiago Duarte (PDT), afirmou que após a derrota no Poder Judiciário para desocupar o Legislativo, a última saída será a audiência de hoje.”

    O certo não deveria ser o oposto? Primeiro se negocia antes de apelar para o judiciário?

    Curtir

    • Em um lugar sério,sim, Pablo.

      Curtir

      • Em um lugar sério, a ordem da Justiça seria cumprida, ou seria feita se cumprir, e pronto.
        Mas, como não estamos em um lugar sério, essa ordem simplesmente não é cumprida, a própria Justiça se mostra fraca e não dá seguimento a uma legítima reintegração de posse por ela expedida, anulando sua autoridade.
        Democracia e baderna estão sendo confundidas, infelizmente.

        Curtir

        • Total apoio às suas palavras Tiago, infelizmente onde nao há disciplina nao há ordem

          Curtir

        • É verdade Tiago, até o presente momento não consigo compreender como uma liminar legitimamente concedida não foi cumprida, bem como sob que argumento ela foi “revogada”. Como assim, deixar para audiência de conciliação a solução desta ocupação. Vai-se conciliar o quê? Votar e aprovar suas reivindicações?
          É triste, mas realmente Democracia e baderna estão sendo confundidas, infelizmente.

          Curtir

        • Uma liminar posse ser deferida, não tem nada de errado juridicamente nisso. Bizarro mesmo é o chefe da câmara achar que não representa qualquer morador da cidade e não querer negociar.

          Ah, e tentar fingir que foi atacado, claro.

          Curtir

  6. Mais bloqueios :

    http://wp.clicrbs.com.br/rosanedeoliveira/2013/07/13/kulczynski-no-gabinete-de-melo/?topo=13,1,1,,,77?

    Kulczynski no gabinete de Melo
    13 de julho de 2013

    Convidado a se exonerar da presidência da Procempa diante de denúncias de irregularidades na companhia, André Imar Kulczynski (PTB), que é técnico do Tesouro do Estado, não retornou ao seu cargo de origem. Saiu da Procempa em 5 de junho e foi imediatamente lotado no gabinete do vice-prefeito Sebastião Melo (PMDB). Tirou 30 dias de licença-prêmio e retorna nesta segunda-feira.

    – Ele é cedido do Estado à prefeitura desde 2005. Para receber o salário não podia ficar sem lotação. Como ficou acertado que ele vai continuar no governo, foi lotado comigo e agora vamos conversar sobre o que vai fazer – disse Melo.

    Postado por carlosrollsing, às 16:40

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: